Pref. Pato Bragado – Dengue 2019
Dom João Carlos Seneme

Todos conhecerão que sois meus discípulos se vos amardes uns aos outros

Neste 5º Domingo da Páscoa, cada vez mais perto da despedida de Jesus na sua ascensão aos céus, ressoa o mandato de enviar os seus discípulos a levar sua mensagem de amor e paz a todos os povos. Os textos de hoje refletem a expansão missionária da Igreja, relatando a formação de pequenas comunidades cristãs fundadas por São Paulo e seus companheiros, movidos pelo Espírito Santo e anunciado a boa nova de Jesus. A novidade do mandato do Senhor consiste em amar como Ele nos amou, entregando sua vida pela nossa, no serviço e na entrega sem limites. É só assim que o mundo poderá ser transformado: com muito amor e dedicação dos discípulos missionários do Senhor recordando ao mundo que Jesus Cristo nos fez um único “rebanho” que ouve a voz do Bom Pastor e se coloca na dinâmica do seguimento sob a proteção do Espírito Santo.

Hoje Jesus transmite aos seus discípulos e, consequentemente, a todos nós o seu novo e eterno mandamento: amai-vos uns aos outros como eu vos amei.O contexto é a despedida de Jesus antes de sua paixão e morte. Os discípulos não conseguem compreender tudo, o que se dará depois da ressurreição e ascensão de Jesus e a vinda do Espírito Santo no dia de Pentecostes.

Casa do Eletricista folha LORENZETTI

O dom do Ressuscitado é a paz, que não é ausência de conflito, mas a unidade com Jesus e sua missão. Deste modo, Jesus prepara os seus discípulos para tudo o que vai acontecer depois de sua morte e ressurreição. O mundo precisa desta paz e deste amor para vencer o egoísmo, o ódio e continuar acreditando que um mundo novo é possível onde reine a harmonia, a convivência pacífica entre as pessoas respeitando-se as diferenças.

Os discípulos estão chocados com a saída de Judas que vai entregar Jesus aos seus inimigos. Jesus ainda afirma que na cruz se dará a sua glorificação. Jesus lhes dá um mandamento novo: amai-vos uns aos outros! A medida do amor que devemos manifestar entre nós é marcada pelo amor que Jesus dedicou aos seus discípulos e, através dele, a toda a humanidade. Todos conhecerão que eles são discípulos pelo amor que testemunham e partilham entre si.

O sentimento entre os discípulos é de medo, não sabem o que acontecerá com eles depois que Jesus partir. Jesus lhes garante que não ficarão sozinhos, Jesus estará sempre com eles através do Espírito Santo. Ou seja, a vida continua e o Ressuscitado está aí para sustentar a missão que começa no amor entre eles. A partir deste dia, tem início o tempo da Igreja: com a infusão do Espírito Santo, os discípulos se tornarão verdadeiros anunciadores de tudo o que viveram com Jesus.

A pessoa que leva a paz dentro de si possui algumas características: ela sempre busca o bem de todos, ao exclui ninguém, respeita as diferenças, não alimenta a agressão, fomenta a unidade, não provoca a discórdia.

A liturgia de hoje nos oferece uma oportunidade para refletir sobre nossa responsabilidade como seguidores de Jesus levando a todas as pessoas a mensagem cristã. O Espírito Santo está conosco para nos animar e iluminar nossas ações. É nossa responsabilidade cuidar do mundo em que vivemos, nossa casa comum, construindo um ambiente humano, fraterno, sensível às necessidades dos mais fracos justamente porque somos continuadores da missão de Jesus.

 

* O autor é bispo da Diocese de Toledo

 

revistacristorei@diocesetoledo.org

TOPO