Copagril
Arno Kunzler

Tributo aos pioneiros

Quando vejo as ruas pavimentadas e bem arborizadas, prédios comerciais recentes, comércio diversificado, casas com arquitetura moderna, bem conservadas e de alto valor, não consigo imaginar que Nova Santa Rosa há 42 era apenas uma vila, com forte desejo de se tornar município.

Eu era um jovem de 22 anos, estudante e líder do Grêmio Estudantil e um “projeto” de empresário. Comemorei muito com os nova-santa-rosenses a emancipação anunciada pela Rádio Difusora, assinada pelo então presidente da República Ernesto Geisel.

Casa do Eletricista PISCINAS

Qualquer pessoa que morava ali sabia que Nova Santa Rosa teria um novo alento depois da emancipação, embora ela não fosse unanimidade entre seus moradores, especialmente os de Alto Santa Fé e também de Planalto, distritos que pertenciam a Palotina e Terra Roxa, respectivamente.

A primeira eleição consagrou o maior entusiasta e líder emancipacionista, Gustavo Fischer, elegendo seu filho Armindo Fischer prefeito, José Luiz Dosciatti vice e oito dos nove vereadores da Arena.

Armindo Fischer recebeu a missão de seu pai de liderar o desenvolvimento desse novo município, criando a infraestrutura necessária e promovendo a política do crescimento econômico e social.

A confiança dos pioneiros no seu novo município era enorme, e não era em vão.

Sabiam que a gente trabalhadora que veio do Sul, organizada em fortes comunidades religiosas e com incentivos para educação, uma característica dos povos descendentes de colonizações europeias, especialmente a alemã, seria capaz de prover essa pequena comunidade de infraestrutura e espírito desenvolvimentista capaz de superar os traumas da emancipação e as dificuldades de construir uma unidade em torno dos ideais de um novo município.

Hoje Nova Santa Rosa é pujante, é uma estrela que brilha forte no Oeste do Paraná.

Não só pela sua gente trabalhadora, mas também pelo solo fértil, que os pioneiros tinham desejo de cultivar e conservar.

A pujança do agronegócio é o tema destaque da revista especial que o Jornal O Presente produziu para comemorar com os nova-santa-rosenses o aniversário de 42 anos de emancipação.

Ali está o retrato do que esse município conquistou em tão pouco tempo, a partir do agronegócio.

Hoje bem servido de indústrias, comércio forte e prestadores de serviço, Nova Santa Rosa está de parabéns.

 

arno@opresente.com.br

TOPO