Copagril
Editorial

Um mês o ano todo

Está chegando ao fim mais uma edição do Outubro Rosa, campanha realizada em todo o Brasil para alertar sobre a necessidade de prevenir o câncer de mama, o que mais mata mulheres no Brasil e no mundo. Em várias cidades da região a campanha ganhou as ruas, o comércio e até as passarelas, como em Santa Helena, que realizou a Noite Glamour Rosa, evento que teve como ponto alto da programação um desfile de modas envolvendo as mulheres que venceram o câncer e hoje esbanjam saúde e vontade de viver.

Em Marechal Cândido Rondon o encerramento da campanha acontece neste domingo (27) com extensa programação junto ao Parque de Lazer Rodolfo Rieger (Lago Municipal). No município, as camisetas rosas foram a alta moda desse mês. A realização de exames foi ampliada nesse período, assim como a conscientização no boca a boca. Parabéns a todos que participaram e se engajaram nesta importante causa social.

Casa do Eletricista folha LORENZETTI

Agora, as atenções são voltadas para a saúde do homem. O Novembro Azul chega para alertar sobre os riscos do câncer de próstata e a necessidade de uma rotina de exames para que os casos sejam descobertos o quanto antes e os pacientes possam ter maiores chances de cura, com tratamentos menos agressivos.

Antes, foi o Setembro Amarelo que chamou a atenção para o suicídio, demonstrando que é preciso eliminar tabus e falar abertamente sobre o tema por conta dos riscos de salvar alguém que a informação e a comunicação podem oferecer. Há também a campanha para o trânsito, em abril, entre outras.

Mas não é só botar o lacinho rosa no peito para encarar essa doença com a devida seriedade que o câncer de mama exige. Mais que mostrar seu interesse pela vida, é preciso fazer com que as mulheres não apenas se conscientizem, mas façam seus autoexames corriqueiramente, visitem o médico com frequência e fiquem atentas e reativas a qualquer mudança. Aos homens, cabe o dever de incentivá-las a manter o autoexame em dia.

A prevenção e o combate ao câncer precisam acontecer não somente nos meses em que ele vira pauta dos jornais; devem acontecer o ano todo, todos os dias. Em relação ao homem, ao trânsito, ao suicídio, da mesma forma. Esses assuntos não podem morrer a cada fim de campanha. Eles precisam estar vivos no nosso dia a dia. Cuidar da saúde, melhorar os hábitos, seja de consumo ou do dia a dia, é uma lição que cada dia mais as pessoas precisam se atentar. A prevenção é o melhor remédio, como o velho ditado já dizia.

Em um mundo que cada dia mais toma o tempo das pessoas, os cuidados com a saúde muitas vezes são deixados em segundo plano. Mas é preciso lembrar sempre que sem a saúde não há trabalho, não há lazer, não há relações sociais, não há vida. É somente com a saúde em dia que as pessoas podem viver da maneira que bem entendem. Por isso, não custa reforçar ao homem, à mulher: vá ao médico, faça seus exames, cuide-se no seu dia a dia. A vida não tem preço, mas você pode pagar com ela o custo de um vacilo, um descuido.

TOPO