Copagril
Elio Migliorança

UMA COPA COM APOIO TOTAL

Começaram as propagandas políticas, algumas legais outras não, motivo de várias multas aplicadas pela Justiça Eleitoral, e os candidatos falam de educação, saúde, segurança e saneamento básico. Nada de novo, é o velho e surrado discurso, a eterna promessa não cumprida. Ainda não ouvi ninguém colocar o futebol entre as prioridades. Fala-se de bilhões necessários para atender as exigências da Fifa para a realização do mundial de futebol em 2014. As exigências da Fifa lembram as missões do FMI, que em tempos idos vinham aqui e ficavam ditando regras de conduta para o país. Como não se ouve falar de futebol entre as prioridades dos candidatos, mas todos falam de educação, estou aqui para sugerir a realização de outra copa mundial, ao invés daquela programada para 2014. Até porque em futebol nós estamos muito bem. Entre os 195 países do mundo nós ficamos entre os oito melhores na última Copa do Mundo. Isso não é pouca coisa, embora esta colocação tenha desagradado a maioria dos brasileiros. Mas quando o tema é educação, nós estamos classificados em 85º lugar. O único brasileiro que ouvi questionar este nosso resultado pífio foi o senador Cristovam Buarque, do Distrito Federal, e mais ninguém. O restante da população nem sabe que existe esta classificação.
Como sempre falta dinheiro para a educação, neste caso por se tratar de um evento mundial, o governo com certeza vai tirar dinheiro de tudo que é buraco e dará um jeito de preparar a infraestrutura. Até porque o governo só age mediante pressão. E como educação é problema de governo, estou sugerindo a “Copa Mundial da Educação”. Haverá eliminatórias por continente e as seleções classificadas disputarão entre si, a fase de classificação, oitavas, quartas, semi e finais. Serão incluídos desafios em todas as áreas do conhecimento. Da Matemática, passando pela Física, Química, Sociologia e Artes. E caberá ao governo construir toda a infraestrutura: novas escolas, quadras esportivas, laboratórios, equipamentos de informática, salas temáticas e todo o material necessário para a realização das provas. Quando a copa finalizar, toda a estrutura ficará disponível para o ensino regular. Neste caso, todo o dinheiro aplicado será útil para o nosso desenvolvimento.
O dinheiro público gasto nas reformas de estádios vai beneficiar clubes e federações que estarão usando os estádios construídos ou reformados depois que a copa do futebol tiver terminado, porque a Copa só dura 40 dias. Na educação toda a população será beneficiada. A estrutura montada nos dará novo ânimo. Será o dinheiro mais bem gasto por este governo, porque as estruturas construídas serão benéficas para as próximas gerações.  Nada se perderá, a não ser que durante a sua construção entre em ação um novo PAC – Programa de Aceleração da Corrupção. Sim, porque quando se fala de construção, os aproveitadores estão de plantão e são rápidos na ação. 
Esta Copa terá apoio total, e certamente merecerá o aplauso unânime dos brasileiros. Até porque, ao invés de perguntar que país deixaremos para nossos filhos, está na hora de perguntar que filhos deixaremos para nosso país.

TOPO