Pastor Mário Hort

Uma fresta no céu em plena cavalgada – 4ª parte

Quando Maomé faleceu, no ano 632, seu amigo Omar parou-se diante da tenda onde Maomé estava morto, retirou sua espada e disse:

“Cortarei a cabeça de quem afirma que nosso profeta está morto”. Mas, depois de alguns dias, ninguém mais pôde negar que o “profeta” estava morto.

Porém, de Jesus a Escritura diz: “No terceiro dia, após a morte de Jesus, um anjo do Senhor desceu do céu, rolou a pedra do sepulcro e Jesus saiu e foi ao encontro de seus discípulos” (Mt. 28:1-6).

E este Jesus tem aparecido a milhares de pessoas em todo o mundo desde o dia de sua ressurreição.

Saulo estava a caminho de Damascos e queria prender e matar a todos quantos cressem no nome de Jesus, quando subitamente uma luz do céu brilhou ao seu arredor, ele caiu ao chão e ouviu uma voz que lhe dizia: “Saulo, Saulo por que me persegues?”. Saulo perguntou: “Quem és tu Senhor”? A voz do céu lhe disse:

“Eu sou Jesus a quem tu persegues”.

A “fresta no céu” que Saulo viu foi uma luz tão forte que ele ficou cego durante três dias e também ficou sem comer e beber, pois estava perplexo, como perseguidor dos que acreditavam na ressurreição.

Falei com um senhor na Turquia que disse: “Paulo foi o pior homem que pisou em nossa terra”, pois ele se atreveu a escrever uma Bíblia. Eu lhe expliquei que Paulo apenas escreveu cartas, que foram incluídas nas Escrituras.

Paulo transformou-se na testemunha mais importante do cristianismo pela “fresta no céu” que por suas cartas iluminaram o caminho para a vida eterna de milhões de pessoas.

Nossa fé está baseada na Escritura de homens que viram as maiores “frestas no céu” de todos os tempos.

 

Eliseu viu uma fresta no céu com carro e cavalos de fogo

“A fé é a certeza de coisas que se esperam, e a convicção de fatos que não se veem” (Heb. 11:1).

Jesus disse: “Bem-aventurados os que não viram e creram” (João 20: 29).

Contudo, Deus também abriu pequenas “frestas” nos céus para fortalecer a fé, como aconteceu quando Jesus estava orando em suor, com gotas como de sangue e lhe apareceu um anjo do céu (Luc. 22:43).

Eliseu viu o carro e os cavalos de fogo levando o profeta Elias, subindo num redemoinho para o céu, para fortalecer a sua fé, lutando contra os pagãos (2 Reis 2:11).

Jamais devemos supervalorizar visões ou “frestas” celestiais, pois é mais bem-aventurado quem crê, sem ver.

Não devemos depender de “visualizações” de carros de fogo ou de anjos. Devemos saber que Deus revela seu poder e sua glória como quem abre uma “fresta” num piscar de olhos para fortalecer a nossa fé.

Eliseu sentiu-se incapaz diante da tarefa de substituir o homem mais poderoso da fé dos tempos antigos, e para fortalecer a sua e a minha fé, Deus mostrou o carro e os cavalos de fogo, levando Elias ao céu.

Não é necessário que você e eu vejamos carros e cavalos de fogo, mas nossa fé sempre precisa de fortalecimento diante de nossos problemas, que fogem de nossas capacidades e forças.

Creia e espere fortalecido pela experiência de Eliseu. Permaneça firme na caminhada de sua fé. Avance confiando que Deus também fará o “Rio Jordão” se abrir diante de sua vida, como aconteceu com Eliseu, após tomar a capa de Elias (2 Reis 2:14).

 

Mário Hort, o autor é pastor da Igreja de Deus no Brasil em Marechal Cândido Rondon

ecosdaliberdade@yahoo.com.br

 

TOPO