Elio Migliorança

Uma surpresa em cada esquina

Andar pelas ruas de Dubai significa surpreender-se ao dobrar cada esquina. Como o projeto de construção do país tinha prazo de 50 anos, foi preciso estabelecer prioridades e métodos de trabalho, fundamentados em eficiência, qualidade e segurança. Um bom aparato de marketing fazia parte do projeto para tornar Dubai conhecido no mundo inteiro. Manter as tradições e a cultura num universo em que a tecnologia dá as cartas foi um desafio vencido com rara eficiência, sem perder as tradições dos povos do deserto.

Surpreende-se o viajante quando entra no aeroporto de Dubai, um dos maiores do mundo, e é atendido por funcionários vestidos segundo as tradições árabes, com turbante e túnica, os quais rapidamente liberam seu passaporte sem burocracia e a mobilidade dentro do aeroporto é tão funcional que em poucos minutos você vai de um extremo a outro do gigantesco aeroporto.

Casa do Eletricista – RETOMA

Outra estratégia para atrair os olhos do mundo foi fazer as maiores obras do mundo. Lá o turista encontra o maior prédio do mundo, a maior ilha artificial, o hotel mais luxuoso do mundo construído dentro do mar, a maior pista de esqui artificial do mundo, o maior metrô de superfície automático do planeta, o maior shopping, o maior anel de ouro do mundo e, sem dúvida alguma, as mais fantásticas obras de engenharia nos prédios que competem entre si em originalidade e formas surpreendentes.

Segundo os guias turísticos, lá incentivam um estilo arquitetônico chamado arquitetura livre. Você vai pela rua e numa extensão de mil metros não vai encontrar dois prédios iguais. Todos se destacam por algo diferente que alia originalidade e beleza, sem abrir mão da segurança. Se em algum lugar do mundo alguém tem uma ideia que parece maluca e não sabe o que fazer com ela, vai para Dubai e lá ela é executada. Como em Dubai não existem rios e nem águas subterrâneas, o desafio do fornecimento de água para uma multidão de três milhões de pessoas foi vencido com um eficiente processo de dessalinização da água do mar, aproveitando o vapor gerado no processo de dessalinização para produzir energia elétrica. Como a cidade está no meio do deserto é impressionante ver a quantidade de áreas verdes, e mais ainda ao descobrirmos que tudo o que é verde em Dubai foi importado de algum lugar, lá plantado e irrigado, razão de sua sobrevivência.

Considerando que a religião oficial é o islamismo, uma das perguntas é como é administrada a questão dos costumes, já que em muitos lugares do mundo vigoram inúmeras restrições nesta área. Como 85% da população é de estrangeiros, souberam os governantes administrar isto para não criar conflitos que prejudiquem o projeto do país. Há liberdade no uso de vestimentas próprias da cultura de cada um, liberdade de frequentar locais de lazer tipo danceterias ou barzinhos, desde que observados critérios de comportamento nos locais públicos onde não é permitido o consumo de bebidas alcoólicas ou atitudes de intimidades que criem constrangimento para os demais. O consumo de bebidas alcoólicas é permitido em bares e restaurantes autorizados e a venda liberada em estabelecimentos autorizados.

Assim Dubai atraiu a atenção e turistas do mundo inteiro que lá vão ver o resultado de um projeto ousado, levado a cabo com competência, seriedade e originalidade.

 

O autor é professor em Nova Santa Rosa

miglioranza@opcaonet.com.br

TOPO