Copagril
Arno Kunzler

Vários e bons candidatos

 

Contrariando outros anos, nesta eleição os eleitores de Marechal Cândido Rondon terão direito a conhecer alguns candidatos na disputa eleitoral do próximo ano, com a devida antecedência.

A primeira pré-candidatura que surgiu veio do novato PSL, que resolveu dar a largada na campanha eleitoral lançando Maria Cleonice Froehlich como pré-candidata a prefeita.

Casa do Eletricista SORTEIO DE VERÃO

A segunda candidatura veio do PP, que lançou o nome do advogado Oscar Nasihgil como seu pré-candidato. Ambos, em tese, candidatos de oposição.

Finalmente, veio a decisão do atual prefeito Marcio Rauber de anunciar que também é pré-candidato à reeleição.

Faltam alguns partidos que ainda sonham com candidaturas próprias, como o MDB, que deverá lançar dois pré-candidatos, o vereador Josoé Pedralli e o ex-prefeito Moacir Froehlich.

O PDT pretendia lançar a candidatura do empresário Elemar Lamberti, mas esse já adiantou que não será candidato desta vez e dificilmente conseguirá convencer o ex-secretário Arlen Güttges a ser candidato, ainda que seja um nome forte e bem apreciado pelos dois grupos políticos.

O PSD do ex-deputado Ademir Bier dificilmente disputará eleição contra o MDB e o PP; logo, não deverá apresentar candidato.

Dos demais partidos que formam a coligação do atual governo, também não deverá surgir nenhum candidato para disputar contra o prefeito Marcio Rauber.

Assim, os nomes dos principais candidatos a prefeito de Marechal Cândido Rondon estão postos.

Certamente teremos duas coligações, uma liderada pelo atual prefeito Marcio Rauber e seus aliados, uma coligação que nasce forte, pois representa o atual governo, que pode até cometer deslizes políticos, mas na questão administrativa tem sido muito elogiado, até por seus adversários.

E teremos um bom quadro de candidatos a candidatos para formar uma chapa forte de oposição, entre os quais se destacam nomes como do advogado Oscar Nasihgil e também da ex-primeira-dama Maria Cleonice, que teve papel marcante no governo de Moacir Froehlich.

Não menos expressivos são os pré-candidatos do MDB Josoé Pedralli e Moacir Froehlich, embora essa disputa esteja, de certa forma, condicionada à candidatura de Maria Cleonice.

Como se pode ver, a campanha eleitoral está começando cedo em Marechal Rondon.

Será uma longa e difícil peregrinação para saber quem chegará em julho de 2020 em condições de ser candidato.

É como se fosse uma corrida de longa duração. Vale o fôlego, a coerência, a disposição dos aliados mais próximos e a capacidade de cada candidato de costurar alianças.

Só então, depois das convenções em julho de 2020, os candidatos irão para rua disputar votos.

Aí começa o veredicto final: quem o povo pretende ver por mais quatro anos governando o município.

 

Arno Kunzler é jornalista e diretor do Jornal O Presente e da Editora Amigos da Natureza

 

TOPO