Ford Show Rural
Ecoville – Maior rede de limpeza
Arno Kunzler

Vontade x atitude

Vejo o Brasil inteiro discutindo e debatendo os rumos que desejamos para o país.

Aqui nas comunidades pequenas, nos grandes meios de comunicação e no Congresso Nacional, pessoas debruçadas para debater o Brasil que queremos.

Casa do eletricista MINIESCAVADEIRA

Prefeitos, vereadores, empresários, lideranças comunitárias, professores, estudantes, agricultores e até aposentados preocupados com o futuro do Brasil.

Aqueles que acreditam que o Brasil vai mudar porque votaram no Bolsonaro ou aqueles que acreditam que o Brasil vai mudar porque deixaram de votar nele têm praticamente as mesmas certezas: o Brasil vai melhorar.

As pessoas de modo geral querem e desejam mudanças, mudanças que melhoram, mudanças que facilitam, mudanças que protegem as pessoas.

Sim, temos muita vontade de mudar o Brasil, de construir uma Nação gigante do tamanho do nosso território e da nossa população.

Mas o que me intriga é justamente isso.

Temos vontade, e daí?

Vai mudar alguma coisa por causa da nossa vontade?

A resposta é não.

O que pode mudar o Brasil, e isso é muito mais difícil encontrar nas pessoas do que vontade, é ATITUDE.

Atitude começa pela nossa conduta pessoal.

Para mudar o Brasil os brasileiros precisam mudar suas atitudes.

Primeiro em relação aos próprios brasileiros. Ser honesto com o funcionário, com o patrão, com a família, com os vizinhos e com a comunidade onde se vive.

Segundo, não aceitar e nem apoiar coisas erradas, seja de alguém da família, da empresa, da comunidade ou político (costumamos só achar errado o que os políticos fazem).

Terceiro, influenciar outras pessoas com o nosso exemplo, sejam elas da nossa família, da empresa onde trabalhamos ou da comunidade.

Quarto, ajudar os governos, seja local, estadual ou federal, pagando corretamente os impostos, contribuindo com opiniões sérias e atitudes coerentes.

Acreditem, se fizermos isso o Brasil vai mudar muito, vai se tornar de fato uma grande Nação.

Agora, se ficarmos somente querendo, apenas cobrando atitudes dos outros – especialmente dos políticos – e não olharmos para dentro de nós mesmos, para as nossas famílias e nossas empresas, vamos continuar construindo ilusões.

Vamos continuar alimentando nossos jovens de esperança de que somos o país do futuro.

 

Arno Kunzler é jornalista e diretor do Jornal O Presente e da Editora Amigos da Natureza

arno@opresente.com.br

TOPO