Pastor Mário Hort
Um adolescente conheceu a luz do céu - 5ª parte

A participação do grupo da Igreja Batista nas entrevistas em Nova Iorque é uma das “luzes mais fortes” que eu vi na história de nossas viagens de pesquisas. Ao informar ao doutor Daniel Martin do endereço, onde eu estaria na Broadway, ele solicitou a oportunidade de participar com um grupo de sua igreja para conhecer a forma “jornalística” de evangelismo que usamos. Para nossa surpresa, chegaram 12 pessoas. E o curso de treinamento foi na “sala de conferências” do meu pequeno quarto, todos sentados sobre a minha cama, no antigo hotel que se encheu da luz do céu.

“Culpado” da ação do grupo foi o médico que reconheceu a “luz do céu” em sua adolescência.

Doutor, como foi possível contemplar a “luz do céu” ainda em sua adolescência?

Confira a gravação na íntegra:

- Eu sou Daniel, e fiquei muito encorajado com a notícia do pastor Mário chegar para Nova Iorque. Achei que seria uma ótima ideia vir ver o que o pastor está a fazer aqui, para compartilhar o evangelho de uma maneira diferente. Também fiquei muito feliz pelo grupo de 12 pessoas da igreja que veio ver e aprender.

- Sim, eu vi a luz de Deus quando tinha 12 anos de idade. Minha família foi cristã, participante fiel da igreja. Eu conhecia a Bíblia, fazia oração e tudo de modo que as pessoas diriam que eu já seria um verdadeiro cristão.

 - Mas eu sabia que em meu coração não existia essa “luz de Deus”. Até aquele dia, quando eu recebi a Jesus na minha vida. Eu sabia que deveria fazer isso, mas não o havia feito.

 - Quando recebi a Jesus Cristo, saí da igreja e olhei para o céu, para as árvores e dizia: “Isso é algo novo! Tudo parece que ficou novo! Até mesmo fisicamente parecia que eu estava experimentando algo novo. Eu nem mesmo queria conversar com as pessoas, e me meti no meio das árvores e olhei para cima para desfrutar desse momento precioso e falar com Deus”. Daquele dia até agora, Deus sempre está a me surpreender. Deus sempre tem coisas novas e está a me ensinar, e aprendo coisas novas de Deus.

 - Tenho agora 49 anos de idade e a cada dia fico mais feliz em conhecer a Deus. Ele é grande e poderoso, o que é uma demonstração de que Ele é Deus. É nossa limitação que faz com que nós não entendamos algumas coisas, mas Deus sempre está a nos mostrar coisas novas.

- Em minha infância eu fui uma criança rebelde, desobediente e falava agressivamente com meus pais. Mas, então eu vi como Deus começou a mudar a minha vida. Comecei a tomar consciência do meu erro e aprendi a pedir perdão para minha mãe, quando fazia um erro, até chegar a uma boa relação com os pais.

- Pouco tempo, após conhecer a Deus, eu senti o desejo de levar o evangelho a todos os lugares aos quais Deus me levaria. Essa foi a razão de procurar a possibilidade de ser pastor, evangelista e missionário. O que me deixa repleto de alegria é quando posso ajudar alguém a chegar aos pés de Deus, aos pés de Jesus Cristo, concluiu Daniel Martin.