Brasil Medida urgente

Abro mão da reeleição se Brasil passar por reforma política, diz Bolsonaro

Presidente Jair Bolsonaro durante a Marcha Para Jesus, realizada em São Paulo (Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil)

O presidente da República, Jair Bolsonaro, disse na tarde de hoje (20), após participar da 27ª edição da Marcha Para Jesus, na capital paulista, que abriria mão da reeleição se o Brasil passar por uma séria reforma política. “Agora se não tiver uma boa reforma política e o povo quiser, estamos aí para continuar mais quatro anos”, declarou.
Durante seu discurso, Bolsonaro disse que o Estado é laico, mas o presidente é cristão. “Vocês (evangélicos) foram decisivos para mudar o destino dessa pátria maravilhosa chamada Brasil. Todos nós compartilhamos dessa responsabilidade, onde primeiro Deus, depois a família respeitada e tradicional acima de tudo”, afirmou.
Aos evangélicos, Bolsonaro destacou ainda que todos sabem que o Brasil tem problemas sérios de ética, moral e economia, mas entende ser possível reverter essa condição. “Podemos ser o ponto de inflexão mas entendemos que é possível fazer com que um dia o Brasil seja colocado no local de destaque que merece”, declarou.

Entrevista a jornalistas
Bolsonaro disse à imprensa que pegou o Brasil arrebentado economicamente e que o governo está trabalhando para reverter a situação. “Não há ato de corrupção no meu governo. Quem cria emprego não é presidente, é a iniciativa privada. Nós queremos que, uma vez que os empreendedores tenham confiança em nós, eles invistam”, enalteceu.
Bolsonaro também comentou sobre o caso de vazamento de supostas conversas do ministro da Justiça, Sergio Moro. Conforme o presidente, o ex-juiz federal é um patrimônio nacional, responsável por um excelente trabalho após o que chamou de saque no Brasil, resultado da corrupção. “O juiz conversa com ambas as partes. Se é que é verdade aquilo, não vejo nada demais. Eu jamais vou inquiri-lo”, garantiu.
Quando questionado sobre declarações do ex-ministro general Calos Alberto Santos Cruz de que há muita bobagem no governo, Bolsonaro respondeu que o general é página virada. “Ele integrou o governo por seis meses e nunca disse que tinha bobagem lá dentro”, mencionou.

Casa do Eletricista – RETOMA

(Agência Brasil)

TOPO