Copagril
Brasil Dois lados

Armar professores e funcionários é a solução? Especialistas discordam

Depois do atentado em Suzano, voltou a ganhar força as discussões acerca da facilitação no acesso à posse de arma (Foto: Reprodução)

Depois do atentado em Suzano, voltou a ganhar força as discussões acerca da facilitação no acesso à posse de arma. De um lado, aqueles que criticam a flexibilização do Estatuto do Desarmamento e acusam o risco de ataques desse tipo se tornarem mais frequentes caso haja mais facilidade no acesso à armas legais. Do outro, os que são a favor da armar a população e acreditam que mais armas são sinônimo de maior segurança.

O senador Major Olímpio (PSL), por exemplo, afirmou após a tragédia na escola Raul Brasil que, se os professores e funcionários da instituição de ensino estivessem armados, o pior poderia ter sido evitado. “Se tivesse um cidadão com arma regular dentro da escola, professor, servente, policial militar trabalhando lá, ele poderia ter minimizado o tamanho da tragédia”, disse o político durante reunião da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado.

Por outro lado, há também especialistas que discordam da ideia de que mais armas é equivalente a mais segurança, caso do coronel da Polícia Militar Roberson Luiz Bondaruk.

 

Com Bem Paraná 

TOPO