Copagril – Compras no Site
Esportes

Coxa precisa de R$ 400 mil para “consertar” o Couto

Um levantamento preliminar, apresentado por uma comiss atilde;o t eacute;cnica na segunda-feira (04), na cerim ocirc;nia de posse do Conselho Administrativo, presidido por Jair Cirino, mostrou que cerca de R$ 400 mil precisar atilde;o ser gastos para deixar o Est aacute;dio Couto Pereira em condi ccedil; otilde;es abrigar partidas oficiais, depois das cenas de b aacute;rbarie ap oacute;s a partida com o Fluminense, em 06 de dezembro. O empate decretou o rebaixamento do Coxa agrave; S eacute;rie B do Brasileiro.
ldquo;Temos de agilizar as obras para n atilde;o ter uma perda expressiva no quadro associativo, pois eacute; uma das principais fontes de renda do clube. Dentro do conselho contamos com apoio pol iacute;tico e t eacute;cnico para reverter essa situa ccedil; atilde;o rdquo;, disse Omar Akel, presidente do Conselho Deliberativo do Coritiba.
A inten ccedil; atilde;o do grupo formado por 178 membros eacute; colocar o est aacute;dio em condi ccedil; otilde;es de abrigar jogos do Paranaense, que come ccedil;a no pr oacute;ximo dia 16 para o Coxa na partida contra o Serrano.
Na ponta do l aacute;pis, a conta inclui dezenas de cadeiras quebradas, extintores de inc ecirc;ndio e port otilde;es danificados. Nem mesmo o sistema de som do est aacute;dio escapou da a ccedil; atilde;o dos v acirc;ndalos. Al eacute;m disso, ainda tem a multa de R$ 610 mil imposta pelo Superior Tribunal de Justi ccedil;a Desportiva (STJD).
Fora d iacute;vida do confronto, a mensalidade subiu de 17,4% (sociais) a 31,6% (arquibancada) e provocou protestos da torcida, que teria de pegar mais para ver o time menos vezes em seu est aacute;dio.
Segundo Akel, o clube j aacute; estuda formas de privilegiar aqueles torcedores que pagarem suas mensalidades antecipadamente. ldquo;Seria a forma de dar um f ocirc;lego ao clube nesse momento delicado rdquo;, ponderou.
Apesar do otimismo, a tarefa de liberar o Couto para partidas oficiais n atilde;o ser aacute; simples. O est aacute;dio precisar aacute; passar por vistorias do Crea, Corpo de Bombeiros, Pol iacute;cia Militar, Vigil acirc;ncia Sanit aacute;ria e da Federa ccedil; atilde;o Paranaense de Futebol. Os laudos de vistoria dever atilde;o ser encaminhados pelo clube agrave; FPF at eacute; 11 de janeiro, cinco dias da estreia no Estadual.
Mesmo que consiga a libera ccedil; atilde;o imediata, o Coxa ainda ter aacute; de buscar um lar para a disputa de competi ccedil; otilde;es nacionais. O julgamento na segunda Comiss atilde;o Disciplinar do STJD cassou 30 mandos de campo do clube. Embora trabalhe com a possibilidade de reduzir o per iacute;odo, ainda assim ter aacute; de pegar a estrada para jogar Copa do Brasil e S eacute;rie B.

TOPO