Copagril
Esportes Ginástica Rítmica

Equipe chilena encerra intercâmbio em Toledo nesta sexta com treino controle

Um grupo de atletas chilenas encerra nesta sexta-feira (15) um período de 30 dias de treinamento no projeto de Ginástica Rítmica de Toledo (Foto: Eliane C. Torres)
  • (Foto: Eliane C. Torres)

  • (Foto: Eliane C. Torres)

  • (Foto: Eliane C. Torres)

  • (Foto: Eliane C. Torres)

  • (Foto: Eliane C. Torres)

Um grupo de atletas chilenas encerra nesta sexta-feira (15) um período de 30 dias de treinamento no projeto de Ginástica Rítmica de Toledo. O grupo, formado por 11 atletas, acompanhadas das técnicas Daniela Paredes e Karina Vasquez, do Clube Fênix, de Santiago, no Chile, veio a Toledo para completar a preparação para a seletiva para o Campeonato Sul-Americano de GR. A equipe, integrada por atletas das categorias juvenil e adulto, vai participar da seletiva e quer ocupar as vagas para representar o país na competição. Amanhã (15), antes de encerrar o intercâmbio, fazem um treino controle no ginásio do Sesi, centro de treinamento da equipe de GR de Toledo, às 15 horas. O treino controle aproxima-se de uma competição regular, em que as meninas apresentam as suas coreografias e são avaliadas pela equipe técnica, visando corrigir eventuais falhas. O treino é aberto ao público e deverá ser intercalado com a participação de ginastas da equipe de GR de Toledo.

A vinda a Toledo, explicam as duas técnicas chilenas, faz parte de um trabalho iniciado no começo do ano, quando a professora Anita Klemann, coordenadora técnica do projeto de GR de Toledo, esteve no Chile. Depois de um período lá, as ginastas se programaram para vir a Toledo, onde permaneceram por 30 dias, encerrando a temporada nesta sexta-feira,15. “Estamos muito satisfeitas com o trabalho da Anita e sua equipe. As meninas progrediram muito e esperamos alcançar o nosso resultado. O trabalho técnico é excelente e embora ela seja muito rígida e exigente, percebemos que trabalha com o coração. É muito detalhista, preocupada com o desempenho das atletas, mas também sabe ser carinhosa e quer que as meninas façam o seu melhor”, afirma Karina.

Casa do Eletricista CÂMERAS

Segundo ela, entre as técnicas brasileiras, Anita Klemann é muito reconhecida e respeitada no Chile, razão pela qual elas escolheram vir a Toledo para este período de treinamentos. Diferente do Brasil, no Chile as ginastas não tem tanto apoio governamental e de entidades. Os treinos são feitos em clubes particulares e a participação das atletas no intercâmbio é custeada exclusivamente pelos pais. Acostumadas a quatro horas diárias de treinos, as ginastas chilenas estranharam um pouco nos primeiros dias o ritmo mais intenso, mas foram aos poucos se habituando. Às vésperas da seletiva no Chile, programada para o final do mês, as atletas intensificaram os treinos no Brasil, com uma carga diária de oito horas.

Durante o período trabalharam a preparação física para ganhar mais resistência, a limpeza dos movimentos, o manejo dos aparelhos, entre outros detalhes técnicos e coreografias. Conforme Daniela e Karina, o intercâmbio está sendo importante para que as atletas conheçam outras realidades e atletas de rendimento, que devem servir de modelo e inspiração para elas. As técnicas ficaram impressionadas com a qualidade do trabalho desenvolvido em Toledo e a estrutura disponível. No Chile, a GR é ministrada em clubes particulares, com uma estrutura menor, porém um atendimento mais individualizado. O período de treinos, que precisa conciliar com a disponibilidade de ginásio, também é menor, considerando ainda o turno integral. Lá, as crianças e adolescentes permanecem na escola das 08 às 16 horas. Com isso, os treinos são das 17 às 21 horas, durante a semana, e aos sábados pela manhã.

As técnicas, que retornam ao Chile neste sábado com suas atletas, também elogiaram a beleza e a tranquilidade de uma cidade de menor porte. Acostumadas a rotina estressante de uma capital, onde vivem, aproveitaram o sossego de Toledo para recarregar as energias, além da troca de conhecimentos técnicos.

A técnica Anita Klemann também destacou a importância deste intercâmbio, que representa um reconhecimento ao trabalho que vem sendo feito em Toledo, referência para outros países da América, além de permitir as nossas ginastas ver o trabalho e a evolução de outras atletas, o que deve servir de motivação para melhorar ainda mais e alcançar os seus objetivos.

O projeto de Ginástica Rítmica de Toledo, com 28 anos de atuação no município, conta com as parceiras do Sesi e prefeitura de Toledo e  com o co–patrocínio de O Boticário e Itaipu Binacional, através de recursos obtidos pela da Lei de Incentivo ao Esporte do Ministério do Esporte/Governo Federal.

 

Com 

TOPO