Copagril
Esportes JEPS 2019

Irmãs conquistam ouro inédito e fazem história nos JEPS

Foto: Ricardo Morante/Esporte Paraná
  • Ricardo Morante/Esporte Paraná

Em sua primeira participação nos Jogos Escolares do Paraná (JEPS), as irmãs Ana Julia e Gabriela Ywata fizeram história. Vestindo a camisa do Colégio Estadual Professor Francisco Zardo, de Curitiba, levaram o título do badminton em dupla, ouro e prata no individual da fase final da 66ª edição da competição, etapa 15 a 17 anos, realizada sábado (10.08), em Foz do Iguaçu.

Na final em pares venceram por duas parciais a dupla toledense do Colégio Estadual Dario Vellozo, Amanda Lima e Isabelle Simão. “Entendemos que os Jogos Escolares são uma das competições mais importantes para a nossa equipe e por isso tentamos buscar sempre os melhores resultados. Chegar à final foi fruto da nossa dedicação, perdemos, mas vamos treinar para conseguirmos sair com a vitória na próxima vez”, declarou as toledenses que já se destacam em competições estaduais, nacionais, pan-americanos e sul-americanos.

Casa do eletricista TRATAM. E ACESS.

O bronze ficou com Ana Zanon e Auany Silva, do Colégio Estadual Euclides da Cunha, de Matelândia, enquanto Claudiane Lugli e Raiane Rossi, do Colégio Estadual José Alfredo de Almeida, de Mariluz, se despediram do torneio na 4ª colocação.  Disputada do início ao fim, Ana venceu a partida simples na terceira parcial, deixando Gabriela com a medalha de prata, sendo as duas muito aplaudidas ao fim do jogo pelas demais delegações, em razão do alto nível que apresentaram no confronto. Com esse resultado, Ana garantiu a classificação para representar o Paraná nos Jogos Escolares da Juventude, organizados pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB), que acontece de 16 a 30 de novembro, em Blumenau (SC). A etapa nacional não engloba a disputa em dupla, apenas individual.

Essa foi a primeira participação da dupla curitibana na competição, elas falam da experiência inédita de dividir a quadra e de se enfrentarem em uma final. “Essa foi a primeira vez que formamos uma dupla, que jogamos juntas. Foi muito bom dividir a quadra com ela, viver essa experiência com ela e comemorar nossos resultados juntas. Levar essa medalha de ouro é uma superação, porque todos os dias estamos treinando em busca de resultado e, agora que conseguimos, vimos que somos capazes, temos potencial’, ressaltou Gabriela, afirmando: “A Ana me ajuda muito nos treinos, me dá apoio moral e emocional, ela vai comigo para os campeonatos, me ajuda a evoluir, gosto muito de ter ela aqui”, declarou.

Para Ana o nível técnico da competição é muito alto, sendo considerado por ela um campeonato difícil, uma vez que os melhores do Paraná se enfrentam pelo título escolar. Ela conta que ficou muito feliz em poder jogar com a irmã. “Sempre é muito bom ter minha irmã do meu lado. Eu sou mais sentimental, sempre fico mais abalada com meus jogos, daí ela sempre está me incentivando. Nos treinos ela me motiva quando estou desanimada e vice-versa. No nosso jogo, sabíamos a qualidade e o defeito de cada uma, então, por isso, foi um jogo bastante equilibrado. É muito difícil jogar contra sua irmã, fico muito nervosa, e por ser a mais nova, já perdi pra ela uma vez, não queria perder de novo, mais também não queria que ela perdesse”, disse Ana, que já conquistou o 3º lugar em duplas e o 2º por equipes no Sul-Americano.

Com o apoio dos pais Juraci e Telma, as jovens promessas do badminton despontam na modalidade. “Nossos pais ajudam sempre, estão presentes nos treinos, em todos os campeonatos, eles dão maior apoio pra nós, em tudo”, afirmaram, e Gabriela acrescentou: “Quero seguir carreira no esporte, dar treino, chegar a uma Olimpíada. Já ganhei uma medalha de bronze em dupla no Pan-Americano, almejo conquistas maiores agora”.

Sem esconder o orgulho de suas pupilas, o treinador Cássio Trevisan enalteceu a conquista. “Nós ficamos muito orgulhosos com o desempenho das meninas, esperávamos que chegassem à final e vencessem. Acompanhamos a evolução delas, o trabalho que elas têm desenvolvido sob a coordenação do professor Vladimir Rodrigues, representaram brilhantemente o colégio”, parabenizou.

De acordo com o professor Trevisan, as irmãs atletas apresentaram uma disputa de alto nível e deram exemplo de humildade em quadra, por isso foram tão aplaudidas ao fim do jogo. “Alguns erros aconteciam mais pelo lado emocional de estar jogando uma irmã com a outra. Me emocionou quando, no intervalo, uma irmã atravessou para a quadra da outra, o que não é convencional, para dividir a garrafinha de água, eram adversárias, mas acima de tudo irmãs, fizemos história neste JEPS”, expôs.

Completou o pódio Natalia Lima, do Colégio Estadual Luiz Augusto Morais Rego, de Toledo. “É muito significativo estar levando essa medalha pra casa, porque é resultado de muito treino, esforço e dedicação. Essa é minha primeira medalha da competição em dois anos que estou competindo. Pra fazer parte desta equipe tem que se dedicar bastante nas quadras”, frisou Natalia, que na decisão do bronze ganhou de 21/08 e 21/14 da sua conterrânea Ana Campos, do Colégio Ayrton Senna da Silva. “Essa foi a minha primeira vez nesta categoria, conseguir ficar entre as quatro é muito significativo, até em razão do alto nível desta competição”, ressaltou Ana.

O professor Valdecir Anacleto Barbosa fez uma análise positiva da performance da equipe feminina, mais adianta que os treinamos serão intensificados visando atingir melhores resultados na disputa escolar. “Perdemos as duas semifinais, mas o resultado da medalha de prata e bronze são positivos, até para que possamos nos preparar melhor para o ano que vem. Muitas das meninas que não disputaram medalha tem mais um ano de JEPS, elas são nossa esperança para 2020 tentar melhorar nossas posições no pódio”, mencionou Barbosa.

Com essas medalhas, o Colégio Estadual Professor Francisco Zardo consagrou-se campeão geral por equipes da modalidade. Já a prata ficou com as toledenses e o de bronze com as matelandienses. Participaram da competição 134 atletas de 65 instituições de ensino, que representaram 36 municípios.

 

Projeto Social

O Colégio Estadual Professor Francisco Zardo desenvolve há seis anos o projeto social Badminton Zardo, atendendo mais de 100 alunos, entre 10 e 18 anos,  em atividades no contraturno escolar.

A iniciativa veio de encontro com as aulas especiais de treinamento esportivo, programa ofertado pelo Governo do Paraná para fomentar a prática de atividade física nas escolas. “Temos essas conquistas em virtude do investimento com o esporte e a seriedade com que é executado pelo colégio. Agradeço aos pais das meninas, Juraci e Telma, que são grandes entusiastas do esporte, acompanham e incentivam as meninas”, evidenciou Trevisan.

Coordenado pelo professor Vladimir Rodrigues, o projeto tem como objetivo melhorar o desempenho dos alunos nos estudos, além de encontrar talentos que possam representar a instituição nos JEPS. “O badminton tem melhorado e muito o desempenho dos alunos em sala de aula, na concentração deles e até mesmo no carinho que eles têm pelas próprias coisas do colégio. Tudo caminha junto, então, com certeza é uma contribuição muito grande para a educação como um todo”, afirmou Rodrigues.

Acompanhe mais informações sobre a competição pela fanpage www.facebook.com/jogosescolaresdoparana.

 

Realização

Os Jogos Escolares do Paraná são promovidos pelo Governo do Estado do Paraná, por meio da Secretaria de Estado da Educação e do Esporte, e contam com o apoio dos Núcleos Regionais de Educação e do município de Foz do Iguaçu.

Com JEPS
TOPO