Fale com a gente

Esportes

Medida dá isenção tributária e barateia obra da Arena

Publicado

em

Foi publicada ontem (29), no Di aacute;rio Oficial da Uni atilde;o, a medida provis oacute;ria editada pelo governo federal que cria regime especial de tributa ccedil; atilde;o para a constru ccedil; atilde;o, amplia ccedil; atilde;o, reforma ou moderniza ccedil; atilde;o de est aacute;dios para a Copa do Mundo de 2014, no Brasil. Benef iacute;cios fiscais que dever atilde;o desonerar em at eacute; 25% o projeto paranaense, na Arena da Baixada.
ldquo;Essa confirma ccedil; atilde;o eacute; uma excelente not iacute;cia, sem d uacute;vida. Eacute; algo que nos deixa mais tranquilos em rela ccedil; atilde;o aos custos da obra rdquo;, afirma Luiz de Carvalho, gestor do Mundial em Curitiba. ldquo; Eacute; uma exig ecirc;ncia da Fifa que j aacute; estava programada desde o in iacute;cio, mas eacute; bom saber que est aacute; tudo certo rdquo;, diz Gl aacute;ucio Geara, presidente do Conselho Deliberativo do Atl eacute;tico.
Gra ccedil;as ao pacote os gastos para a adequa ccedil; atilde;o do est aacute;dio rubro-negro ter atilde;o um consider aacute;vel barateamento. Anteriormente or ccedil;ada em cerca de R$ 150 milh otilde;es, a conta dever aacute; cair para, aproximadamente, R$ 110 milh otilde;es. Valor que ser aacute; dividido entre o Furac atilde;o, a prefeitura e o Governo do Paran aacute;.
Isso porque as construtoras que forem habilitadas pelo Minist eacute;rio do Esporte ter atilde;o cortes no PIS/Cofins, no Imposto sobre Produtos Industrializados e no imposto sobre Importa ccedil; atilde;o de materiais, bens e servi ccedil;os que ser atilde;o empregados nos est aacute;dios.
Ao todo, a ren uacute;ncia fiscal brasileira ser aacute; de
R$ 350 milh otilde;es at eacute; 2014. Manobra que ser aacute; compensada pela arrecada ccedil; atilde;o com impostos federais por conta da Copa, calculada em torno de R$ 10 bilh otilde;es.
O benef iacute;cio eacute; indiscut iacute;vel, mas h aacute; quem considere outros valores. ldquo; Eacute; um facilitador, mas eu creio que n atilde;o alcan ccedil;ar aacute; esse percentual (25%) de redu ccedil; atilde;o. Imagino que tenhamos uma diminui ccedil; atilde;o de, no m aacute;ximo, 20% rdquo;, declara Ecirc;nio Fornea, vice-presidente do Conselho Administrativo do Atl eacute;tico.
Algumas construtoras j aacute; sondaram o clube. ldquo;Recebemos contatos para saber como funcionaria o processo. Mas precisamos aguardar a confirma ccedil; atilde;o da Copa em Curitiba para abrir uma concorr ecirc;ncia pela obra. Tudo ser aacute; feito da forma mais transparente poss iacute;vel rdquo;, diz Geara.
Ainda n atilde;o h aacute; uma data para o desenrolar final da Copa em Curitiba. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econ ocirc;mico Social (BNDES) segue estudando a viabilidade de aceitar o potencial construtivo como garantia da obra da Arena, via Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE).
ldquo;N atilde;o h aacute; um prazo estipulado para uma resposta deles. Estamos aguardando os estudos terminarem. Mas acredito que as coisas est atilde;o caminhando bem rdquo;, comenta Luiz de Carvalho.

Facebook