Copagril
Esportes Expectativa positiva

Rondonenses apostam no Brasil como favorito ao título da Copa América

Foto: Divulgação

 

Embalada pelos bons resultados em amistosos e em busca de novas conquistas após a precoce eliminação na Copa do Mundo na Rússia, a Seleção Brasileira estreia nesta sexta-feira (14) na Copa América, com tudo!

Comandado pelo técnico Adenor Leonardo Bachi (Tite), o time Canarinho passou nos últimos dias por ajustes decisivos em preparação ao jogo das 21h30, diante da Bolívia.

Casa do Eletricista CÂMERAS

Por ser sede de uma competição de destaque no esporte, espera-se, mais uma vez, muito da equipe brasileira de futebol. Para lideranças esportivas rondonenses entrevistadas pela reportagem de O Presente, pelo fato da Copa América ser disputada dentro de seus domínios, o Brasil tem o dever de mostrar bom desempenho e se classificar à final, até para espantar o fantasma da eliminação nas quartas na Copa do Mundo, ano passado, e devolver a credibilidade à torcida.

Elas estão confiantes no resultado positivo esta noite, projetam alguns jogadores com chance de se destacar na competição e acreditam que o Brasil tem capacidade para faturar o título de campeão. Confira.

 

ATLETAS CONVOCADOS

GOLEIROS: Alisson (Liverpool), Cássio (Corinthians) e Ederson (Manchester City);

DEFENSORES: Alex Sandro (Juventus), Dani Alves (PSG), Éder Militão (Porto), Fagner (Corinthians), Filipe Luís (Atlético de Madrid), Marquinhos (PSG), Miranda (Inter de Milão) e Thiago Silva (PSG);

MEIO-CAMPISTAS: Allan (Napoli), Arthur (Barcelona), Casemiro (Real Madrid), Fernandinho (Manchester City), Lucas Paquetá (Milan) e Philippe Coutinho (Barcelona);

ATACANTES: David Neres (Ajax), Everton (Grêmio), Roberto Firmino (Liverpool), Gabriel Jesus (Manchester City), Richarlison (Everton) e Willian (Chelsea) – no lugar de Neymar (PSG).

1ª FASE DE DISPUTAS DO BRASIL

Hoje (14), às 21h30, contra a Bolívia

Dia 18, às 21h30, contra a Venezuela

Dia 22, às 17h00, contra o Peru

 

Técnico da Copagril/Sempre Vida/Sicredi/Marechal Cândido Rondon, Fernando Malafaia:

“Acredito que Uruguai, Argentina e Brasil largam com vantagem. Há outras equipes que têm feito boas competições, mas penso que não foge de uma dessas três seleções se encaixarem na semifinal. O Tite entrou com um glamour da população brasileira e hoje é literalmente questionado, perdemos a Copa do Mundo, mas mesmo que não tenhamos ganhado, estamos entre os melhores do mundo. Precisamos melhorar muito nas gestões dos clubes para não perdermos os atletas como estamos perdendo”, considera.

Segundo ele, o Brasil está em um bom caminho. “Por segurança trouxe alguns atletas que já estão maduros para passar por esta situação de desafio, pois é importante para eles estar na final da Copa América. Se o Brasil for campeão ótimo, mas estar na final é necessário. Por isso Tite faz esta mescla de garotos que ainda não têm experiência com a Seleção Brasileira e atletas da confiança dele, que entendem o jogo dele e o que é necessário fazer nesse momento. Esta química vai dar resultado”, avalia.

Em relação ao jogo de estreia, contra a Bolívia, o treinador acredita na vitória por 3 a 0. “Apesar de ser estreia e por mais que seja emocionalmente difícil, com todo o peso que traz, acredito que vamos ganhar de 3 a 0”, analisa.

Conforme o treinador, o maior destaque em termos de trabalho está na coletividade. “Não teremos nenhum jogador que será expoente; eu acredito que o expoente será o trabalho coletivo. Hoje, com todos os fatos ocorridos, abriu-se a possibilidade de fechar o grupo mais ainda, então o coletivo vai estar à frente de tudo. Teremos boa defesa, meio-campo forte com capacidade de fazer a transição e um ataque que será municiado por esse meio campo”, conclui.

 

Ex-árbitro Fifa e único rondonense a atuar como bandeirinha em uma Copa do Mundo, Roberto Braatz:

Atualmente coordenador técnico da Associação Rondonense de Árbitros e atuando em campeonatos na região, Braatz aposta que quatro seleções se destacarão na Copa América: “os favoritos serão Brasil, Chile, Argentina e Equador”, opina. Para ele, o placar do compromisso de estreia do Brasil deve ser 2 a 0 sobre a Bolívia. Embora aposte na vitória, o rondonense entende que o jogo de estreia não deve ser fácil, pois a Bolívia também vem com “fome de bola”, contudo o Brasil está no compromisso de apresentar bom desempenho ao longo da competição.

“Um jogador que vejo como destaque é Roberto Firmino, que foi bem na Copa do Mundo, por isso a aposta nele este ano”, salienta. Firmino marcou um dos gols da vitória diante do México, selando a classificação do Brasil às quartas de final da Copa do Mundo na Rússia.

 

Radialista e narrador esportivo Anderson Picolo:

“Hoje existem três seleções favoritas na Copa América: Brasil, Argentina e Uruguai. A primeira por ser o país-sede, a segunda por ter Lionel Messi e a terceira por ser uma seleção extremamente competitiva. A Copa América é um divisor de águas. Se o Brasil vencer, Tite vai permanecer no comando da Seleção até a Copa do Mundo de 2022 no Catar. Mas, se a Seleção Brasileira não estiver conquistando o título ao final do torneio, para mim Tite não continua no comando e a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) deve promover ajustes”, expõe.

“A Seleção Brasileira em si é candidata ao título por ter exatamente a sua casa para jogar e agora, mais do que nunca, ter um apoio mais maciço por parte do torcedor, porque até com o Neymar na Seleção o torcedor não estava atento para essa situação, não estava nem observando muito a Copa América. Mas com tudo isso que está acontecendo agora, não tenho dúvidas que a Seleção Brasileira vai obviamente ser candidata ao título da competição mesmo sem o Neymar e contando com a participação do torcedor muito maior do que já tivemos até o presente momento. O destaque coletivo vai ser peça fundamental para o Brasil conquistar a Copa América”, menciona, apostando em um resultado de 4 a 0 sobre a Bolívia.

 

Secretário de Esporte e Lazer de Marechal Cândido Rondon, Cristiano Metzner (Suko):

“Acredito que todos os times venham com cara nova e que teremos Brasil, Chile e Argentina como favoritos. Na minha opinião, essa ‘era Neymar’ que muitos falam não é tanto assim porque uma equipe depende de muitos outros fatores, tanto físicos quanto psicológicos. A química deve rolar, digamos assim. O fato de Neymar estar fora agora pode fazer com que a Seleção Brasileira surpreenda bastante porque abre caminho para outras lideranças e representações. A Seleção não é um só e nome não ganha jogo, pois número de atletas com qualidade nós temos”, salienta.

O secretário municipal destaca que o Brasil é bem servido de atletas, basta jogar! “Com isso, esperamos que a Seleção consiga sagrar-se campeã da competição. Mas, vale lembrar que Chile, Argentina e também o Uruguai têm fortes chances de chegar às finais. Vejo um equilíbrio entre esses três últimos. Logicamente nós queremos o Brasil, mas vai ser difícil”, pondera.

“Acredito que com o Neymar fora de campo teremos na linha de frente dois grandes jogadores: Roberto Firmino e Philippe Coutinho tendem a se destacar. Em relação ao jogo contra a Bolívia, historicamente os resultados são positivos ao Brasil, por isso a expectativa é de vitória para a estreia. Aposto no resultado final de 2 a 0”, prevê.

 

Ala-esquerda da Copagril/Sempre Vida/Sicredi/Marechal Cândido Rondon, Eduardo Jabá:

Para ele, o Brasil é favorito ao título. “Em primeiro? O meu time, Brasil! Sempre torço para o Brasil porque é uma grande seleção e agora com a presença do Willian, jogador do qual gosto do seu futebol, tem tudo para estar na final e ganhar. Uma outra seleção é a Argentina, do craque Lionel Messi”, enaltece.

Segundo o ala, o favoritismo do Brasil vem pela força da camisa. “Traz peso e agora a responsabilidade é muito maior porque não fomos bem na Copa do Mundo, então é uma obrigação ganhar a Copa América”, diz.

Eduardo Jabá acredita que a vitória do Brasil sobre a Bolívia, hoje à noite, será pelo placar de 2 a 1, contudo não “dá pitaco” sobre quem pode assinalar os gols da Seleção. Em relação ao jogador destaque, o atleta da Copagril Futsal volta a analisar que a convocação do atacante do Chelsea no lugar de Neymar. “Penso que o Willian será um importante diferencial à Seleção Brasileira na Copa América e deve se destacar, outro pode ser o Richarlison”, avalia.

 

Vice-presidente da Liga Rondonense de Esportes, Ubiratã Clasen (Bira):

“Acredito que a Seleção Brasileira é favorita a disputar a final da Copa América. Não em si por ser a melhor, mas porque ficou devendo na Copa do Mundo na Rússia e porque agora tem o compromisso, uma vez que disputa esta edição da Copa América dentro de casa”, pontua.

Além do Brasil, Bira avalia que Uruguai e Argentina também são seleções consideradas favoritas ao título de campeão. “Por fora correm Colômbia e Chile”, projeta. Ele entende que o jogo de estreia do Brasil deve ser de vitória brasileira, pelo placar de 2 a 0 sobre a Bolívia, no entanto não arrisca citar quem serão os autores dos gols.

Para Bira, Arthur é um nome para dar equilíbrio à Seleção, no entanto, a lesão ocorrida no último amistoso pode mudar isso. “A partir da saída do Neymar, que foi desconvocado após a lesão, acredito que o grande ponto positivo será o conjunto Seleção Brasileira”, enfatiza.

 

Técnico do Guarani/Santo Amaro, da Divisão Ouro do Campeonato de Futebol Amador, Toninho Dino:

“As seleções do Brasil e da Argentina devem protagonizar a ‘audiência’ da competição. São rivais de respeito, por isso na maioria das vezes entram nas competições esportivas como postulantes ao título”, opina. “A minha expectativa na Seleção Brasileira é boa, apesar da desconfiança no grupo de Tite. Acredito que o Brasil tem chances de avançar à final e se tornar campeão da Copa América justamente pelo seu potencial”, aposta o treinador.

Segundo ele, o compromisso de estreia terá o Brasil como vitorioso. “Será um jogo difícil, ‘nervoso’ mesmo por ser o jogo de abertura, então meu palpite é de 2 a 1 contra a Bolívia. O atacante David Neres, na minha opinião, será o destaque do Brasil nesta Copa América. O nome seria Neymar, mas como saiu, vamos acreditar nos jogadores que permanecem e têm boas chances”, salienta.

 

Plantonista esportivo da Rádio Difusora, Wilmar Güttges:

“Os favoritos como sempre são, pela ordem: Brasil, Argentina e Chile. A expectativa é de que a Seleção Brasileira reencontre aquele bom futebol, voltando a atuar bem e vencendo. Acredito que a Seleção é favorita ao título”, destaca. “Além disso, foi bom para a Seleção a saída do Neymar. Acredito que teremos vários outros jogadores se destacando e o coletivo vai prevalecer, mas também acho que o Philippe Coutinho será um dos grandes destaques. Para o primeiro jogo, meu palpite é de vitória por 2 a 0 contra a Bolívia”, expõe Güttges.

 

O Presente

TOPO