Copagril
Esportes Nova disputa

Thiago Wild estreia com vitória no Uruguai após faturar seu maior título profissional

(Foto: KC Tenis)

O tenista rondonense Thiago Wild (Itaú/Rede/CBT/Asics/Wilson), atleta do Instituto Tennis Route, do Rio de Janeiro, não ligou para o cansaço e estreou com vitória na noite de terça-feira (05) no torneio challenger de Montevidéu, no Uruguai, evento sobre o piso de saibro com premiação de US$ 54 mil.

Wild, de apenas 19 anos, 235º do mundo, superou o argentino Juan Pablo Ficovich, 252º, por 6/2 6/4 após 01h01 e enfrenta nesta quarta-feira (06) o alemão Yannick Hanfmann, 12º favorito e 171º colocado, a partir das 14 horas.

Casa do Eletricista folha LORENZETTI

 

PRINCIPAL CONQUISTA

O tenista conquistou, na noite de domingo (03), o título do Torneio Challenger de Guayaquil, no Equador, evento sobre o piso de saibro com premiação de US$ 54 mil.

Wild, de apenas 19 anos, derrotou na final o boliviano Hugo Dellien, 76º colocado, por 6/4 6/0.

“A sensação de ganhar o torneio é sempre das melhores. Qualquer título conta, mas este é o resultado de um trabalho que venho fazendo, então vou seguir na mesma linha e pegada de trabalho”, destacou.

“Venho evoluindo bastante nos últimos meses. Só tenho a agradecer a minha equipe da Tennis Route e seguir para a próxima, pois tenho um novo torneio para jogar”, salienta Wild, emendando: “Na disputa final em questão me concentrei mais em mim mesmo, na parte mental e na consistência para vencer na parte externa do jogo”.

O título de campeão no Torneio Challenger de Guayaquil é a principal conquista do jovem rondonense na sua recente e promissora carreira na categoria profissional, a primeira em nível challenger.

Wild se torna um dos mais jovens brasileiros nos últimos anos a vencer seu primeiro challenger. Guilherme Clezar conseguiu tal façanha em Rio Quente (GO) aos 19 anos em 2012, Thomaz Bellucci com 20 em Santiago, no Chile, em 2008, e Thiago Monteiro aos 22 em Aix en Provence, na França, em 2016.

Pela campanha apresentada, Wild somou 80 pontos no ranking e apareceu no 235º lugar no ranking mundial, 76 posições à frente da última lista em seu melhor desempenho da carreira. O rondonense aparece como o 3º melhor tenista do país.

“Este resultado é importante, me fez subir bem no ranking e praticamente me coloca dentro do quali do Australian Open, o que me deixa muito feliz”, enfatiza.

 

VITÓRIAS

Em Guayaquil ele conquistou duas das três maiores vitórias da carreira. Na final contra Dellien a segunda, e na 2ª rodada diante de Thiago Monteiro, 89º. Na 1ª rodada superou o brasileiro Wilson Leite, nas oitavas bateu o 13º favorito, o eslovaco Josrf Kovalik, 181º, nas quartas superou o argentino Francisco Cerundolo e na semifinal o cabeça 12 e 155º, o peruano Juan Varillas que ganhou dois challengers em outubro.

A semana passada também foi produtiva nas duplas com o vice-campeonato ao lado do companheiro de treinos Pedro Sakamoto, caindo na final diante do uruguaio Ariel Behar e do equatoriano Gonzalo Escobar por 7/6 (7/4) 7/6 (7/5).

 

CONSOLIDAÇÃO

Treinador do Instituto Tennis Route que acompanha Thiago Wild, João Zwetsch destacou a evolução do atleta. “Foi uma semana muito legal, marcada por um passo importante em um caminho ainda longo para trabalhar, melhorar e crescer. Esses passos são importantes para consolidar o trabalho, criar motivação e a crença ainda maior em todas as partes envolvidas, caminhando na estrada certa”, ressalta.

“Wild vem fazendo um grande esforço para amadurecer, buscar as coisas importantes para ele, treinamento, rotinas do dia a dia, uma condição e necessidade de ter uma cabeça forte, autocontrole durante o jogo. Enfim, está desenvolvendo cada vez mais essa parte com a ajuda do psicólogo Felipe Vardiero em um trabalho sendo feito há uns três meses. Agora é seguir para Montevidéu, onde deveríamos chegar na madrugada de terça para jogar no mesmo dia, mas tudo bem, é um passo importante na carreira dele e da equipe do Instituto Tennis Route que está com ele há cinco anos. Este é o trabalho de muitas mãos e vamos em frente, pois há muito para melhorar e manter os pés no chão. O caminho certo é este, estamos convictos disso”, declarou Zwetsch.

 

INSTITUTO

O Instituto Tennis Route, entidade sem fins lucrativos, tem como missão transformar a vida de jovens tenistas através do esporte e educação oferecendo oportunidades para criar rotas rumo ao tênis profissional ou universitário. O Instituto Tennis Route conta com o apoio do Itaú e Rede através da Lei de Incentivo pelo Ministério do Esporte do governo federal.

 

Com assessoria

TOPO