Copagril – Sou agro com orgulho
Geral

1989/92: surgem os royalties e distritos são emancipados

Ex-prefeito Dieter Seyboth: Cada prefeito teve sua participação e sua importância na história do município (Foto: Arquivo/OP)

Marechal C acirc;ndido
nbsp; nbsp; nbsp; Rondon integrou,
nbsp; nbsp; nbsp; durante muitos anos de sua hist oacute;ria, por estar localizado em regi atilde;o de fronteira, aacute;rea de seguran ccedil;a nacional. Por conta disso, durante o per iacute;odo da ditadura os prefeitos eram nomeados pelo governo. Com o fim do comando dos militares, os prefeitos foram exonerados em junho de 1985 e os presidentes das C acirc;maras de Vereadores assumiram as prefeituras at eacute; a nova elei ccedil; atilde;o, que aconteceria em 15 de novembro daquele mesmo ano.
No munic iacute;pio rondonense, quem passou a comandar o Poder Executivo foi Dieter Seyboth, que justamente presidia a Casa de Leis. Foram apenas poucos meses, mas ele afirma que neste curto per iacute;odo foi poss iacute;vel fazer algo pelo bem de Marechal Rondon. ldquo;Eu n atilde;o tinha nenhuma experi ecirc;ncia em termos de Executivo, pois atuava no Legislativo. Diga-se de passagem, eu estava substituindo um excelente prefeito, que era o Verno Scherer, e antes disso o Almiro Bauermann. Ent atilde;o era algo dif iacute;cil, mas t iacute;nhamos for ccedil;a de vontade. Buscamos junto com nossos secret aacute;rios alguns incrementos em termos de administra ccedil; atilde;o. Este per iacute;odo de 1985 foi bom para eu me preparar para a elei ccedil; atilde;o em 1988 rdquo;, afirma.
Foram apenas alguns meses p oacute;s-Ditadura agrave; frente da municipalidade, mas o ex-prefeito destaca a implanta ccedil; atilde;o de uma importante iniciativa: a disponibilidade do transporte escolar para os alunos, abrangendo ainda crian ccedil;as e idosos. ldquo;Eu sempre digo que fui o pai do transporte escolar. E essa iniciativa foi disseminada no Paran aacute; e Brasil, tanto que houve a entrega de ocirc;nibus escolares do governo para os munic iacute;pios, recentemente rdquo;, declara, acrescentando: ldquo;Demos apoio tamb eacute;m para a terceira idade, para que os idosos tivessem seus locais de encontro. Enfim, demos uma alavancada muito importante neste sentido rdquo;, emenda.

Educa ccedil; atilde;o
Quando retornou para a prefeitura, em 1989, Dieter diz que reimplantou o transporte escolar, o qual havia sido extinto. ldquo;Sempre defendi os investimentos em educa ccedil; atilde;o e entendo que eacute; inadmiss iacute;vel uma crian ccedil;a caminhar quil ocirc;metros para estudar, pois com certeza vai chegar agrave; escola sem disponibilidade para ter um bom rendimento. Tanto que ao t eacute;rmino do nosso governo uma equipe de Bras iacute;lia esteve em Marechal Rondon e nos premiou pelo pioneirismo no transporte escolar rdquo;, afirma.

Casa do Eletricista – Temporizador Jardim

Parque de m aacute;quinas
O ex-prefeito relembra ainda que foi desenvolvido um trabalho para reaparelhar o parque de m aacute;quinas da prefeitura. Ele menciona que foram adquiridos seis caminh otilde;es, tr ecirc;s motoniveladoras, um rolo compactador e tr ecirc;s retroescavadeiras.

Ind uacute;stria
De acordo com Dieter, no setor industrial foram fortalecidas todas as ind uacute;strias de fecularia, inclusive nos ent atilde;o distritos e hoje munic iacute;pios de Entre Rios do Oeste, Mercedes, Pato Bragado, Quatro Pontes. ldquo;Incentivamos e ajudamos no crescimento destas ind uacute;strias, ao ponto de na eacute;poca o munic iacute;pio ser considerado o maior produtor de mandioca e de amido do Paran aacute; rdquo;, comemora.

RoYalties
Na avalia ccedil; atilde;o do ex-prefeito, um dos maiores legados deixados para Marechal Rondon foram os royalties oriundos da Itaipu Binacional. ldquo;Conseguimos fazer com que todos apoiassem o processo em prol dos royalties, como os prefeitos da eacute;poca, o deputado Maur iacute;cio Fruet, o governador Alvaro Dias, o senador Roberto Requi atilde;o, bem como a Gazeta do Povo, que foi a grande incentivadora. S atilde;o Paulo queria nos tirar grande parte destes recursos e acabamos tendo de ceder 10% para o Estado vizinho para que o projeto fosse aprovado pelo Congresso rdquo;, informa.
Os recursos come ccedil;aram a ser destinados para os prefeitos apenas poucos meses antes do fim de seus mandatos, em 1992, apesar da medida ter sido sancionada pelo ent atilde;o presidente da Rep uacute;blica, Jos eacute; Sarney, ainda em 1990.
nbsp;
Processo de emancipa ccedil; atilde;o
Foi na gest atilde;o de Dieter Seyboth que se deu in iacute;cio ao processo de emancipa ccedil; atilde;o dos ex-distritos de Quatro Pontes, Mercedes, Pato Bragado e Entre Rios do Oeste. Se hoje s oacute; eacute; poss iacute;vel transformar uma localidade em munic iacute;pio com dez mil habitantes, naquela eacute;poca isso era poss iacute;vel com cinco mil.
Mesmo assim, o rondonense diz que houve um engajamento pol iacute;tico para que isso acontecesse. ldquo;A emancipa ccedil; atilde;o foi importante e devo reconhecer a participa ccedil; atilde;o do Elio Rusch e do Werner Wanderer neste processo. Eles fizeram um trabalho para que o IBGE fornecesse uma certid atilde;o de que pelo crescimento populacional dos distritos, eles estariam com cinco mil habitantes. Mas eacute; sabido de que n atilde;o havia esse n uacute;mero. Foi uma forma que deu certo e apoiamos e incentivamos com recursos para que os distritos se emancipassem. Era algo natural, n atilde;o mudou nada para Marechal Rondon e s oacute; ajudou aos novos munic iacute;pios em se desenvolver. S atilde;o hoje bel iacute;ssimos munic iacute;pios rdquo;, ressalta.

Verno Scherer
Dieter lembra com carinho do seu ex-vice-prefeito e ex-prefeito rondonense Verno Scherer, j aacute; falecido. ldquo;O Verno foi o pai da diversifica ccedil; atilde;o, que deu in iacute;cio a este processo. E n oacute;s, neste embalo, buscamos contribuir no fomento. Ele foi um vice-prefeito ativo, estava sempre presente. A experi ecirc;ncia, o conhecimento e, principalmente, o prest iacute;gio dele foram muito importantes. Sempre se busca um vice que de alguma maneira traga tamb eacute;m o voto e que a popula ccedil; atilde;o confie. E acho que n oacute;s, neste contexto, fomos bastante felizes rdquo;, aponta.

Hist oacute;ria
O rondonense afirma que eacute; costume jogar a culpa no governo anterior pela inexperi ecirc;ncia e pela incompet ecirc;ncia do come ccedil;o de uma administra ccedil; atilde;o. Depois, se come ccedil;a a entender que os recursos s atilde;o limitados e as prioridades precisam ser definidas. ldquo;Eu n atilde;o entendia muito disso em 1985, mas em 1989 j aacute; estava mais preparado tecnicamente para administrar o munic iacute;pio. A nossa realiza ccedil; atilde;o uacute;nica eacute; poder dizer que fazemos parte da hist oacute;ria do munic iacute;pio. N oacute;s fam iacute;lia, eu e minha esposa, meus filhos, meus pais, que s atilde;o pioneiros. Ajudamos a construir este munic iacute;pio e isso ningu eacute;m vai nos tirar rdquo;, declara.
Por fim, o ex-prefeito salienta que ningu eacute;m chega ao posto de chefe do Poder Executivo ldquo;do nada rdquo;. ldquo;Isso vale para qualquer ex-prefeito. Todos constru iacute;ram a sua participa ccedil; atilde;o dentro da sociedade. N atilde;o eacute; s oacute; chegar e querer ser prefeito. Cada prefeito teve sua participa ccedil; atilde;o e sua import acirc;ncia na hist oacute;ria deste munic iacute;pio rdquo;, conclui.

TOPO