Geral Pragas no campo

Biopark anuncia implantação de laboratório para pesquisa de controle biológico

Agricultores, pesquisadores, estudantes e agrônomos participaram da programação que contou com palestras com foco na expansão dos ganhos em rentabilidade (Foto: Divulgação)

O controle biológico de pragas foi tema de seminário realizado no Biopark na última quinta-feira (09). Agricultores, pesquisadores, estudantes e agrônomos participaram da programação que contou com palestras com foco na expansão dos ganhos em rentabilidade. O evento também apresentou o cenário da região Oeste no uso da técnica que utiliza meios naturais, principalmente outros organismos vivos, para diminuir as pragas nas lavouras.

Na ocasião, o presidente do Biopark, Luiz Donaduzzi, anunciou apoio do parque para pesquisas na área através da implantação de um laboratório de desenvolvimento de técnicas de controle biológico. “Queremos auxiliar a busca de soluções tecnológicas para o homem do campo, oferecendo aos agricultores o acesso às inovações da área e suporte para a implantação”, destaca.

Além da parceria com a startup Agribela, empreendimento que atua no desenvolvimento de produtos e soluções através da tecnologia sustentável, Donaduzzi pretende abrir espaço também para pelo menos mais duas biofábricas. “Trata-se de uma oportunidade para a região Oeste desenvolver-se ainda mais no agronegócio e, acima de tudo, para que os produtores possam preservar o meio ambiente e crescer de maneira sustentável”, acrescenta.

 

Demandas

Segundo a secretária da Câmara Técnica de Grãos do Programa Oeste em Desenvolvimento, Patrícia Viana, os produtores vêm enfrentando a perda da eficiência dos agroquímicos, que está conectada com uma resistência das plantas daninhas ao uso de agrotóxicos. “Com isso, precisávamos identificar as alternativas frente a esse gargalo e uma delas é o controle biológico. O objetivo do seminário foi identificar as demandas e uma possível expansão dessa técnica”, explica.

Embora pouco utilizado na região, o controle biológico apresenta-se como uma oportunidade acessível para melhorar o rendimento da lavoura, explica o agricultor e agrônomo João Elias Hahn. “A competitividade aumentou bastante nos últimos anos e achatou a margem da atividade. Durante as palestras, observei a importância do manejo de pragas, que, além de promover uma redução do custo da produção, melhora o equilíbrio ambiental e financeiro do agricultor”, menciona.

 

Com assessoria

 

TOPO