Fale com a gente

Geral Desenvolvimento

Cerimônia marca parceria para a retomada das obras do campus da Unila

Evento em Brasília celebrou parceria para a conclusão de três edificações projetadas pelo arquiteto Oscar Niemeyer

Publicado

em

(Foto: Divulgação)

O Ministério da Educação, a Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA), o Escritório das Nações Unidas de Serviços para Projetos (UNOPS) e a Itaipu Binacional realizaram, nesta quarta-feira (28), uma cerimônia para marcar a retomada das obras do campus da UNILA – Projeto Oscar Niemeyer. O evento celebrou a parceria entre as instituições para a conclusão de três edificações do campus: o Refeitório, o Edifício Central e o Bloco de Salas de Aula.

O projeto do campus, localizado em Foz do Iguaçu, no Paraná, foi o último realizado em vida pelo arquiteto Oscar Niemeyer. A retomada das obras, com custo de cerca de R$ 752 milhões, está sendo viabilizada por meio de recursos da Itaipu Binacional e assinatura de acordo de cooperação técnica internacional com o UNOPS, organismo da ONU especializado em infraestrutura. O acordo refere-se unicamente à finalização do campus e não altera nenhum aspecto da gestão acadêmica, administrativa e financeira da Universidade, que segue autônoma, como previsto pela Constituição Federal.

O escopo do projeto inclui a realização de diagnóstico construtivo das obras já iniciadas, para verificação do seu estado atual e da necessidade de atualização de projetos de engenharia e arquitetura; a revisão e atualização dos projetos executivos; a licitação e contratação da empresa construtora; o gerenciamento, a supervisão e a fiscalização das obras. As obras terão entregas escalonadas em fases ao longo dos próximos três anos.

“Este projeto marca uma nova relação do UNOPS com o Governo brasileiro”, disse o subsecretário-geral da ONU e diretor executivo do UNOPS, Jorge Moreira da Silva, durante o evento. “Não há multiplicador mais importante para o desenvolvimento sustentável do que a educação; a educação é o fator principal de combate às desigualdades e de promoção do desenvolvimento. É, portanto, muito gratificante para o UNOPS se associar a um projeto de impacto como esse”, acrescentou.

A reitora da UNILA, Diana Araujo Pereira, destacou o papel de integração já exercido pela instituição, na qual convivem estudantes de 36 nacionalidades e professores de diversas partes do Brasil e do mundo. “A UNILA nasceu de um sonho, o sonho da integração regional. Construir para esta Universidade tão particular um campus que é um patrimônio artístico demonstra a importância dada a esse projeto de integração, é dar à nossa Universidade condições reais de consolidação e crescimento e valorizar a educação superior do nosso país”, apontou.

O diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional, Enio Verri, lembrou os esforços do presidente Lula para promover integração em várias frentes, inclusive na da educação. “Temos um papel estratégico considerando a localização e a missão de Itaipu, na tríplice fronteira, e a necessidade de melhorar a formação de profissionais de diversas áreas do conhecimento”, disse. “Nosso compromisso é com a entrega das edificações, precisamos colocar essa Universidade de pé o mais rápido possível, pois isso fará a diferença.”

O Ministro de Estado da Educação, Camilo Santana, ressaltou o investimento da Itaipu e o papel do UNOPS como alternativa para destravar obras estratégicas para a educação brasileira. “A Itaipu vai investir cerca de 750 milhões para que a gente possa entregar essa obra importante para o Paraná e para o Brasil. Essa é uma obra fundamental para o fortalecimento da integração latino-americana e caribenha e que traz um simbolismo muito grande”, finalizou.

O primeiro prédio a ser concluído será o do Refeitório e da Central de Utilidades. Na sequência, virá o Edifício Central e, por fim, o Bloco de Salas de Aula.

Acompanhamento

Todas as atividades previstas no escopo do projeto serão realizadas pelo UNOPS. O acompanhamento será feito porMinistro da Educação, Camilo Santana meio de dois comitês: um técnico (formado por equipes de engenharia) e um executivo, dos quais fazem parte representantes da UNILA, do MEC (como órgão interveniente da iniciativa), do UNOPS e da Itaipu Binacional.

Neste primeiro ano da iniciativa, ocorrem atividades necessárias para o início da obra, com a obtenção de todos os documentos técnicos e autorizações e a atualização dos projetos executivos. Dentro de duas semanas, uma empresa já estará em terreno para fazer o levantamento topográfico e o início da análise das estruturas atuais. Todos os procedimentos seguirão as melhores práticas internacionais em infraestrutura e contemplarão aspectos de sustentabilidade, gênero, diversidade e inclusão.

Está prevista também a abertura de canais próprios de comunicação do projeto, com um site e um perfil em rede social, e a criação de outras ferramentas de transparência e divulgação do andamento do projeto.

Consulta à comunidade

Além disso, está programada a realização de uma apresentação do UNOPS à comunidade acadêmica da UNILA, em data ainda a ser marcada. “É muito importante que a comunidade da UNILA conheça o UNOPS, sua capacidade técnica e de gestão de recursos e pessoas, além do trabalho social e importância como organismo da ONU voltado para a condução dos processos de infraestrutura. Essa apresentação visa mostrar a capacidade profissional que esse organismo tem para a retomada da obra”, destacou a reitora Diana Araujo Pereira. A Comunicação da UNILA também deverá lançar, nos próximos dias, uma consulta à comunidade acadêmica para a escolha do nome do campus.

Na semana passada, uma equipe do UNOPS esteve em Foz do Iguaçu para reuniões com representantes da UNILA e de Itaipu e definição das linhas de ação estratégicas de implementação do projeto. Também foi realizada uma visita ao local das obras.

Sobre o UNOPS

UNOPS é a sigla em inglês para Escritório das Nações Unidas de Serviços para Projetos. O UNOPS foi formalmente criado em 1º de janeiro de 1995, por decisão da Assembleia Geral das Nações Unidas, como um organismo autofinanciado e independente com expertise na operacionalização de projetos.

No Brasil, o UNOPS atua desde 2012, ao lado de outras agências da ONU, organismos financeiros internacionais e governos das esferas federal, estadual e municipal. Desde então, o Escritório vem atuando em infraestrutura (com, por exemplo, a construção de escolas e hospitais); projetos de recuperação socioeconômica e promoção do trabalho; apoio em compras e logística para a cooperação humanitária brasileira; urbanização de assentamentos; e modernização do sistema de justiça juvenil.

O UNOPS tem sólida expertise na área de infraestrutura. Entre os projetos já concluídos pelo Escritório, estão o Museu Nacional do Peru (um edifício inteligente com cinco andares, capaz de abrigar mais de 500 mil peças arqueológicas); a construção de duas pontes na Costa Rica (incluindo uma que liga o país ao vizinho Panamá); e hospitais de grande porte na Nicarágua e em El Salvador. A experiência e solidez do UNOPS levaram à assinatura do convênio com a Itaipu Binacional, que destinou recursos para a finalização do campus da UNILA.

Com assessoria

Clique aqui e participe do nosso grupo no WhatsApp

Copyright © 2017 O Presente