Copagril
Geral SEM ERRO

Dia das crianças: veja como escolher o presente certo para cada idade

Foto: Divulgação

Escolher presente para crianças geralmente é uma tarefa difícil e que gera muitas dúvidas. Saber o que presentear de acordo com a idade pode beneficiar a diversão e, até mesmo, proporcionar mais segurança para as crianças durante a brincadeira. Com a proximidade do Dia das Crianças, comemorado em 12 de outubro, a psicóloga escolar Michelle Cristina Norberto, orienta como presentear os pequenos.

De acordo com a especialista, no processo de desenvolvimento cognitivo de uma criança, as brincadeiras possuem uma função importante e os brinquedos, por sua vez, são ferramentas fundamentais nesse processo. “Na escolha de um brinquedo, alguns cuidados são fundamentais, como a identificação de quais estímulos à aprendizagem ele proporciona, se é adequado quanto à segurança e se possui certificação do INMETRO”, reforça Michelle. Com relação aos estímulos para o desenvolvimento infantil, alguns brinquedos são mais adequados para determinadas fases do desenvolvimento.

Casa do Eletricista ESCAVAÇÕES

De 0 a 2 anos: brinquedos coloridos, com sons e texturas diferentes são ideais para crianças de até dois anos, já que estimulam o desenvolvimento das percepções táteis, auditivas, visuais e psicomotoras. Segundo a psicóloga, esse é o período de maior desenvolvimento da criança e com maiores saltos de aprendizagem. “Os brinquedos ideais são os que propiciam estímulos sensoriais e coordenação motora, como objetos sonoros, mordedores, móbiles, jogos de encaixe, jogos de ação e reação para bebês e que se desloquem a partir do movimento da criança”, sugere.

De 2 a 4 anos: Nesta fase, a criança aprende muito por imitação e inicia os jogos simbólicos e o faz de conta. Os brinquedos que permitem e estimulam o faz de conta são os mais indicados. Exemplos de brinquedos são os blocos de montar, jogos de panelinhas, kits de ferramentas, fantasias, bonecos e bonecas, brinquedos que recriam cenários e jogos de encaixe.

De 4 a 6 anos: princesas, bonecas, cavaleiros e futebol são as atividades preferidas desta faixa etária. “Para essas crianças, os brinquedos podem ser ferramentas também no desenvolvimento do aprendizado acadêmico, estimulando a memória, a coordenação motora fina e ampla, a coordenação viso-motora, a atenção, o raciocínio e a criatividade. Algumas possibilidades são massinhas, tintas, bolas de diferentes tamanhos, quebra-cabeças, Lince, jogos de alinhavo, fantasias e blocos de montar”, diz Michelle.

A partir de 6 anos: nesta fase, as crianças já conseguem expressar seus interesses e vontades e os brinquedos podem ser mais direcionados a partir das características e aspectos motores de cada um. “Cada dia mais a interação social e entre os pares se mostra mais presente nas brincadeiras; o brincar de faz de conta já ocorre em grupo, já há elaboração de contextos e troca de papéis. São importantes brinquedos que sejam utilizados em grupo, como jogos de tabuleiro, corda, bola, jogos de regras que exijam troca de turnos (minha vez/sua vez) e saber lidar com o ganhar e perder”, sinaliza a psicóloga.

A partir de 8 anos: as crianças já conseguem expressar seus interesses e vontades. Por isso, os brinquedos já podem ser mais direcionados a partir dos interesses da criança, para estimular os aspectos motores.

Com Bem Paraná

TOPO