Ecoville – Maior rede de limpeza
Geral Doença

Estudo estima que Paraná deverá ter mais de 35 mil novos casos de câncer em 2020

(Foto: Divulgação/INCA/RPC)

O Paraná poderá ter mais de 35 mil novos casos de câncer em 2020, de acordo com uma estimativa do Instituto Nacional de Câncer (INCA), órgão ligado ao Ministério da Saúde. O estudo foi divulgado nesta terça-feira (04), considerado o Dia Mundial de Combate ao Câncer.

Conforme o levantamento, 53,4% dos casos no estado devem ocorrer em homens e 46,6% em mulheres. Veja mais abaixo o número de casos estimados por tipo de câncer.

Atualmente, uma em cada seis mortes no mundo está relacionada ao câncer. São 7,6 milhões de vítimas da doença por ano. A estimativa da Organização Mundial da Saúde (OMS) é de que pelo menos 1,5 milhão de mortes poderiam ser evitadas com o diagnóstico precoce.

“As chances de cura estão aumentando, principalmente quando há o diagnóstico precoce. E aí o que ajuda muito é a conscientização da população para a realização de exames periódicos”, afirma o oncologista Guilherme Stelko Pereira.

Segundo ele, o câncer de mama diagnosticado em estágio inicial, por exemplo, tem índice de cura acima de 95%. “Isso é muito diferente do que a gente tinha no passado, que eram diagnósticos em uma forma mais avançada. E isso não acontece só em relação ao câncer de mama”, explica.

O oncologista diz ainda que não é apenas o tabagismo que aumenta os ricos da doença. “A exposição excessiva ao sol, a obesidade, a alimentação inadequada com baixa ingestão de frutas e verduras são situações que nos trazem maior risco”, indica.

Sinais na pele

O câncer de pele é um dos que mais devem ter incidência na população paranaenses, conforme a estimativa. Para o representante comercial Roberto Foggiato, os sinais na pele serviram de alerta.

“Eu tinha umas pintas nas pernas em 2001. Fui no médico tirar, ele não fez biópsia. Daí em 2002, a mesma pinta que eu tinha tirado, tirei novamente, porque senti coceirinha e agulhada. Fui no dermatologista e acusou que era um melanoma”, conta.

Doze anos depois, Foggiato explica que a doença voltou de uma forma mais agressiva. Por isso, ele precisou encarar a quimioterapia. “A pancada foi maior. Você cai na realidade e se preocupa muito com a família”, diz.

Ele, que continua em tratamento, dá uma dica. “Fiquem em cima, vá ao médico e não tenha medo”, afirma.

Veja a estimativa por tipo de câncer no Paraná:

  • Próstata: 3.560
  • Mama feminina: 3.470
  • Colo do útero: 990
  • Traqueia, brônquio e pulmão: 1.990
  • Cólon e reto: 2.480
  • Estômago: 1.390
  • Cavidade oral: 910
  • Laringe: 470
  • Bexiga: 620
  • Esôfago: 900
  • Ovário: 390
  • Linfoma de Hodgkin: 190
  • Linfoma não Hodgkin: 690
  • Glândula Tireoide: 440
  • Sistema nervoso central: 810
  • Leucemias: 720
  • Corpo do útero: 480
  • Pele melanoma: 540
  • Pele não melanoma: 8.390
  • Outras localizações: 5.620

 

Com G1

 

Clique e participe do nosso grupo do Whatsapp

TOPO