Copagril – Sou agro com orgulho
Geral 1,8 milhão de imunizados

Paraguai começa vacinação contra Covid-19 em adolescentes entre 12 e 17 anos com comorbidades

(Foto: Américo Antônio/Sesa/Ilustrativa)

O Paraguai iniciou nesta sexta-feira (23) a vacinação contra Covid-19 de adolescentes entre 12 e 17 anos com comorbidades. A expectativa é que, após imunizado todo o público, a campanha seja aberta para adolescentes da faixa etária sem comorbidades.

Desde o começo desta semana, o país abriu a campanha de imunização para o público geral a partir dos 20 anos.

Casa do Eletricista ARANDELAS

“Estamos avançando em todo Paraguai, com jornadas intensas de vacinação especialmente no departamento de Alto Paraná (PAR), fronteira com o estado do Paraná”, disse o diretor regional de Saúde de Alto Paraná, Hugo Kunzle.

Nied 2021 Y

No país, a busca pela imunização é baixa. Com cerca de 7 milhões de habitantes, menos de 1,8 milhão de paraguaios receberam a vacina no país.

Autoridades atribuem a baixa procura e a recusa às notícias falsas.

“Temos muita gente lamentavelmente que seguia pelas falsas informações, mas a medida que vemos a população jovem se vacinando, vemos que estão trazendo seus avós, tios, pessoas idosas que não se vacinaram quando chegou sua vez”, afirmou.

Para Carolina Augusto, mãe de um jovem que recebeu a primeira dose da vacina nesta sexta, o sentimento é de alegria ao ver o filho iniciar o processo de imunização.

“Ele era o único que faltava na família para se vacinar. Meus pais, meu esposo e meu irmão já estão todos vacinados, só esperando a segunda dose”, comemorou.
A manicure ainda deixou um recado para as pessoas que ainda não se vacinaram no país.

“Aos que não se vacinaram, que venham se vacinar. Do que vamos ter medo? Para que? Não serve para nada o medo”, ressaltou.

Até esta sexta, o Paraguai tem 447.864 casos confirmados do coronavírus e 14.501 mortes registradas pela doença.

 

Queda no número de casos

Nos últimos 14 dias, Cidade do Leste registrou queda no numero de novos casos de Covid-19.

De acordo com Frederico Schroeder, diretor do Hospital Regional do município, a diminuição tem reflexos, também, na ocupação de leitos.

“Temos uma redução importante no número de casos. Temos dois centros de referência para doenças respiratórias dentro dos hospitais em Cidade do Leste. No Hospital Regional, dos 42 leitos, temos oito pacientes”, salientou.

 

Com G1

Clique aqui e participe do nosso grupo no WhatsApp

Grupo Costa Oeste 2021
TOPO