Fale com a gente

Geral Tempo

Semana reserva queda de granizo e rajadas de vento intensas, veja onde

Previsão do tempo para as cinco regiões brasileiras mostra os estados que terão clima ameno ou mais severo

Publicado

em

(Foto: Ellen Noskoski/OP)

Confira a previsão do tempo do meteorologista do Canal Rural, Arthur Müller, para toda essa semana, de segunda (10) a sexta (14), para as cinco regiões brasileiras:

Sul

Segunda-feira (10) começa com a entrada de umidade em decorrência da passagem afastada de uma frente fria que vai favorecer condições de chuva rápida no sul do Rio Grande do Sul. Nas demais áreas do estado e em Porto Alegre, sol, variação de nuvens e tempo firme.

Grande parte da Região Sul continua sob influência do bloqueio; não chove em Santa Catarina e no Paraná, o que favorece os trabalhos em campo durante toda a semana. O acumulado de chuva da semana fica em cerca de 50 milímetros no centro sul gaúcho, já que a partir de sexta-feira (14), há o avanço de outra frente fria, que além da chuva deixa a região sob alerta de tempo severo com possibilidade de queda de granizo e rajadas de ventos intensas (acima de 70 quilômetros por hora), podendo ocasionar queda de árvores e corte no abastecimento de energia.

Sudeste

A semana se inicia com ar seco em todo o Sudeste. Dia de sol e poucas nuvens nos quatro estados da Região. As temperaturas continuam amenas de manhã (com chance de nevoeiro no sul de São Paulo), mas à tarde esquenta. Atenção ao calor no interior paulista, onde a temperatura máxima no decorrer da semana deve oscilar entre 33ºC e 34ºC. Não há previsão de chuva em nenhuma área e a umidade relativa do ar segue baixa.

No decorrer da semana o acumulado de chuva fica em torno de 15 milímetros no estado do Espírito Santo e no nordeste de Minas Gerais. A situação favorece a moagem da cana-de-açúcar e a colheita do café, mas a falta de precipitação em áreas produtoras de milho 2ª safra ainda deixa os cultivos sob restrição hídrica.

Centro-Oeste

Segunda-feira (10) com ar seco em todo o Centro-Oeste. O destaque continua sendo o período de altas temperaturas e falta de chuva, que favorece novos focos de incêndios, principalmente na região do Pantanal. O sol predomina quase sem nuvens em todas as regiões no decorrer da semana com a temperatura máxima chegando a até 35ºC em Sorriso, em Mato Grosso. A mesma situação vale para as demais regiões do estado e para o Mato Grosso do Sul e Goiás, onde as máximas devem se manter em cerca de 32ºC.

Lavouras de milho 2ª safra seguem sob restrição hídrica e as pastagens seguem prejudicadas porque não há previsão de chuva nos três estados esta semana. Produtores devem ter cautela quando forem realizar manejo com fogo, pois o ambiente quente e seco favorece o avanço das chamas e a situação pode fugir facilmente do controle.

Nordeste

Nos próximos dias a infiltração marítima deixa o tempo instável no litoral do Nordeste. Muitas nuvens e condição de pancadas de chuva desde o leste do Rio Grande do Norte até o litoral sul da Bahia. Os ventos que sopram do mar, devido à Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), ainda causam chuva forte no litoral do Maranhão, Piauí e Ceará.

O acumulado de chuva em cinco dias chega entre 40 e 50 milímetros no norte do Maranhão, Piauí, Ceará e Rio Grande do Norte. Na faixa leste do Pará, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Bahia, o volume deve ser em torno de 50 milímetros, o que ajuda na reposição hídrica do solo. Nas demais áreas do interior o solo já se encontra mais ressecado devido às altas temperaturas que devem continuar na casa dos 35ºC nos próximos dias.

Norte

Segunda-feira com a Zcit reforçando a umidade no leste e norte do Amapá. Muitas nuvens e condição de chuva a qualquer momento com risco de temporal. O sol aparece e podem ocorrer pancadas mais irregulares no Amazonas, em Roraima e na metade norte do Pará. Nos próximos cinco dias a chuva se concentra nas faixas norte do Amazonas e do Pará, bem como em Roraima, Amapá e Acre. Nessas áreas, o volume fica em torno de 50 milímetros, contribuindo para as operações em campo e na recuperação das pastagens.

Já no Tocantins, o calor combinado com a ausência de chuva mais volumosa deixa o milho 2ª safra sob estresse térmico e hídrico nas lavouras porque a temperatura máxima no decorrer da semana fica na casa dos 35ºC no estado, potencializando também o risco para focos de incêndio.

Com Canal Rural

Clique aqui e participe do nosso grupo no WhatsApp

Copyright © 2017 O Presente