Pref. MCR Ecoturismo_
Marechal Cuidado!

Casos de picadas de escorpiões são registrados no perímetro urbano de Marechal Rondon

(Foto: Divulgação)

Uma moradora da região central de Marechal Cândido Rondon foi picada por um escorpião na noite de terça-feira (05). Ela estava tomando banho, quando o fato aconteceu. O aracnídeo estava no box do banheiro. Após a picada, a rondonense foi levada à Unidade de Pronto Atendimento (UPA), onde foi medicada.

De acordo com a rondonense, essa não é a primeira vez que escorpiões foram encontrados em sua residência. Em 2017, uma familiar estava em uma cama da moradia e quando desceu do móvel pisou no animal. Com fortes dores no local da picada, a vítima foi levada, na época, às pressas para o hospital, onde recebeu a aplicação de soro e ficou internada por uns dias.

Casa do Eletricista folha LORENZETTI

Conforme a rondonense, ela toma os cuidados necessários para manter seu imóvel limpo, todavia, ao lado de sua casa há um barracão antigo onde estão armazenadas várias madeiras entre outros entulhos, o que, na opinião dela, pode estar servindo de alojamento e criadouro de animais e insetos.

A responsável técnica da Vigilância Epidemiológica de Marechal Cândido Rondon, enfermeira Franciele A’ Costa Perez, diz que o município está em alerta para estes tipos de casos. “Todo atendimento envolvendo escorpião é preocupante”, comenta.

Segundo ela, em relação ao caso registrado na terça-feira, a picada aconteceu quando a rondonense tentou pegar o escorpião. “Se você ver um escorpião, tente matá-lo. Se tentar pegá-lo, faça com um objeto, não com a mão. E sempre que possível traga o animal dentro de um recipiente junto à UPA no caso de atendimento ou leve até a Vigilância Sanitária. Mas, volto a frisar, não tente manipular o escorpião com mão, pois o risco de acidente é muito grande”, alerta.

 

CASOS

De acordo com dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SinanWeb), até esta sexta-feira (08) foram registrados quatro casos envolvendo escorpiões em Marechal Rondon, mesmo número do ano passado. Recentemente houve uma possível infestação de escorpiões no distrito de Novo Horizonte.

Os casos atendidos na UPA são acompanhados pela Vigilância Sanitária do município, que toma os procedimentos cabíveis para não que não haja novos acontecimentos de picadas.

 

 

PROCEDIMENTOS

Conforme a enfermeira Franciele, se houver possibilidade, recomenda-se que a pessoa leve o escorpião junto ao atendimento, em caso de picada. “Existe essa necessidade para todos os animais peçonhentos, pois, ao fazer o diagnóstico, deve-se descartar a possibilidade de que a picada seja de outro animal, como aranha-armadeira, por exemplo, que possui sintomas parecidos e, então, identificar qual é o tipo de escorpião. Desse modo, toma-se o caminho correto para o atendimento”, orienta.

A responsável técnica da Vigilância Epidemiológica destaca ainda que em casos de acidentes sempre é recomentado procurar a UPA, onde os médicos poderão avaliar qual o tipo e a gravidade da picada, fazendo com o tratamento seja eficiente.

 

SINTOMAS

“O sintoma principal é a dor local, imediata e bem significativa, podendo se irradiar para os membros. Pode ser acompanhada de parestesia, eritema e sudorese. Após duas ou três horas, é possível que haja agitação psicomotora, tremores, náusea, vômito, alteração de pressão e arritmia cardíaca ou, então, outros agravos como edema pulmonar e local”, informa a enfermeira Franciele.

A preocupação maior, segundo ela, se dá com crianças menores de dez anos, visto que a quantidade de veneno da picada do escorpião é proporcionalmente mais reativa a elas.

Dependendo das circunstâncias, o tratamento pode ser mais simples ou complexo. “Em casos leves sem alteração psicomotora, se realiza o tratamento ambulatorial: o paciente é deixado em observação e tratado com analgésicos. Em casos mais graves, o tratamento é mais invasivo, com soro e exames específicos”, menciona.

 

ORIENTAÇÃO

A responsável técnica da Vigilância Epidemiológica diz que os casos registrados no município até então foram manifestações locais e leves. “Não tivemos nenhum caso grave. Então, isso é importante divulgar para que as pessoas não fiquem muito preocupadas com o que que vai acontecer, como vai ser. Uma vez seguidas as orientações e os procedimentos, o acidente pode ser solucionado”, destaca.

 

CUIDADOS

Alguns cuidados podem ser tomados visando evitar acidentes com escorpiões, como verificar cuidadosamente calçados, roupas, toalha e roupas de cama antes de usá-los; limpar periodicamente ralos de banheiro, cozinha e caixas de gordura; manter camas e berços afastados, no mínimo, dez centímetros da parede; evitar que lençóis toquem no chão; fechar frestas nas paredes, móveis e rodapés para que não sirvam de esconderijo para os escorpiões; usar telas nas aberturas dos ralos, pias e tanques.

Em geral, os escorpiões gostam de lugares com lixo e entulhos, por isso é recomendada a limpeza de quintais, jardins, terrenos baldios e ao redor das residências; evitar a formação de ambientes favoráveis ao aparecimento dos escorpiões como restos de obras, materiais de construção e terraplanagem, que possam deixar acúmulo de entulho, superfícies sem revestimento, umidade etc; colocar o lixo em sacos plásticos fechados para evitar baratas e outros insetos; mudar, periodicamente, de lugar materiais de construção que estejam armazenados e lembre-se de proteger as mãos com luvas grossas na realização do trabalho; retirar de paredes e muros plantas ornamentais densas, arbustos e trepadeiras; eliminar fontes de alimento para os escorpiões (baratas, aranhas, grilos e outros pequenos animais invertebrados); evitar a prática de queimadas em terrenos baldios, pois desalojam os escorpiões, entre outros animais; e manter jardins e gramados aparados e bem cuidados.

 

RECOMENDAÇÕES EM CASO DE ACIDENTES

– Lavar o local da picada com água e sabão e encaminhar a vítima para o serviço médico mais próximo (preferencialmente levando o animal que causou o acidente para identificação de suas características).

– Nos acidentes considerados leves, a pessoa apresenta inchaço, vermelhidão, calor e pelos eriçados no local da picada. Nos casos moderados, somam-se sintomas como vômitos, náuseas, hipertensão e taquicardia. Os acidentes graves podem provocar vômitos intensos e frequentes, muita sudorese, agitação, aumento ou diminuição da frequência cardíaca, arritmias, contrações musculares, edema e choque.

– É indicado uso de soro antiescorpiônico para tratar os acidentes.

– Não é aconselhável usar veneno para combater os escorpiões, porque o desalojamento temporário pode favorecer a dispersão dos focos e o aumento da população do animal.

– De hábitos noturnos, os escorpiões costumam se esconder durante o dia sob cascas de árvores, pedras, tijolos, troncos podres, madeiras empilhadas, fendas, muros e porões, além de locais onde se acumula o lixo doméstico. São mais ativos durante os meses quentes do ano,  mas em épocas de muita chuva podem sair em busca de abrigo em áreas secas e residências.

 

O Presente

TOPO