Ecoville – Maior rede de limpeza
Marechal Jardim Universitário

Coelhos, galinhas e pombos são encontrados em condições inadequadas em fazenda alugada da Unioeste

(Fotos: O Presente)
  • (Foto: O Presente)

  • (Foto: O Presente)

  • (Foto: O Presente)

  • (Foto: O Presente)

  • (Foto: O Presente)

  • (Foto: O Presente)

  • (Foto: O Presente)

  • (Foto: O Presente)

  • (Foto: O Presente)

  • (Foto: O Presente)

  • (Foto: O Presente)

  • (Foto: O Presente)

  • (Foto: O Presente)

  • (Foto: O Presente)

  • (Foto: O Presente)

  • (Foto: O Presente)

  • (Foto: O Presente)

  • (Foto: O Presente)

  • (Foto: O Presente)

  • (Foto: O Presente)

  • (Foto: O Presente)

  • (Foto: O Presente)

  • (Foto: O Presente)

  • (Foto: O Presente)

  • (Foto: O Presente)

Na tarde desta quarta-feira (26), agentes da Secretaria de Agricultura e Política Ambiental realizavam trabalho de poda em uma chácara da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), por volta das 14 horas, quando uma das servidoras visualizou uma situação fora do comum em uma propriedade rural nas proximidades, no Jardim Universitário, em Marechal Cândido Rondon.

Em vista disso, conforme Larissa Hoff, da Secretaria de Agricultura, foram acionadas a Polícia Militar, Vigilância Sanitária, fiscais da Secretaria de Fazenda, um médico veterinário e a ONG Arca de Noé para tomar as medidas cabíveis.

Casa do eletricista PRESSURIZADORES

“A propriedade pertence à Unioeste, mas estava alugada para um homem. Nós encontramos cerca de 53 coelhos, quatro destes mortos, galinhas, pombos e cães em péssimas condições”, relata.

De acordo com ela, os animais estavam sem alimento, muito magros e com marcas na pelagem, visto que as áreas onde estavam presos eram pequenas e os animais se estressavam. Além disso, o ambiente encontrava-se sujo, sem cuidados e havia larvas de mosquito nas águas dos animais e em outros lugares acumuladores.

O homem responsável pela propriedade, conforme relatos, não quis prestar esclarecimentos para os presentes no local, somente afirmou que não criava os animais com o objetivo de comercialização. O sujeito foi encaminhado à Delegacia de Polícia Civil para os procedimentos legais.

Os coelhos, as galinhas, os pombos e os cães estão recebendo os devidos cuidados. Foram retirados dos ambientes impróprios e levados pela ONG Arca de Noé. Em breve, possivelmente os animais serão disponibilizados para adoção.

 

O Presente

 

Clique aqui e participe do nosso grupo no WhatsApp

TOPO