Copagril – Compras no Site
Marechal Eleições municipais

Começam os treinamentos para mesários e presidentes de seções

(Foto: Divulgação)Na 121ª Zona Eleitoral, que abrange os municípios de Marechal Rondon, Mercedes, Pato Bragado e Quatro Pontes, foram abertas 27 turmas presenciais; 314 pessoas serão capacitadas

Com cerca de 50 mil votantes e abrangendo os municípios de Marechal Cândido Rondon, Mercedes, Pato Bragado e Quatro Pontes, a 121ª Zona Eleitoral segue com os preparativos para as eleições municipais do dia 15 de novembro.

No mês de setembro foram recebidas 188 urnas dos modelos 2009, que serão distribuídas nas 164 seções da 121ª Zona Eleitoral. Também foram convocados 660 mesários, sendo 185 voluntários. “Em geral, temos recebido um ótimo retorno dos convocados. Alguns possuíam motivos para solicitar dispensa à convocação e foram substituídos”, declarou ao O Presente o chefe do Fórum Eleitoral rondonense, Fábio Gealh.

Casa do Eletricista – NÃO PAGUE AR

Segundo ele, os principais motivos para dispensa se devem ao vínculo do convocado com algum candidato ao pleito. “Nesses casos, a liberação é imediata devido ao impedimento legal para que atuem na função”, menciona. Além disso, acrescenta, aqueles que apresentam atestados médicos também são liberados, incluindo gestantes e lactantes.

Os substitutos, informa Gealh, têm sido em sua maioria os que se inscreveram como mesários voluntários. “Por isso, se algum eleitor ainda quiser colaborar como voluntário nestas eleições, as inscrições continuam abertas no site do TRE (Tribunal Regional Eleitoral), www.tre-pr.jus.br. Por mais que a nomeação dos integrantes das seções eleitorais tenha sido completada, podem surgir vagas em eventuais substituições”, ressalta.

Treinamentos seguem todos os protocolos de prevenção à Covid-19 (Foto: Divulgação)

 

CAPACITAÇÕES

De acordo com o chefe do Fórum Eleitoral rondonense, na primeira semana de outubro começaram a ser ministradas as capacitações presenciais com orientações básicas para as funções de presidente e primeiro mesário. “O treinamento iniciou para os convocados no município de Pato Bragado, seguido por Quatro Pontes e Mercedes. No município de Marechal Rondon, inclusive nos distritos de Margarida e Porto Mendes, os treinamentos acontecem nesta semana”, expõe.

Os convocados para 2º mesário e secretário não recebem capacitação presencial, salienta Gealh. “O treinamento pelo aplicativo é fornecido de forma aberta e livre para conhecimento de todos, inclusive de quem não tenha sido convocado. Assim, não há supervisão sobre carga horária”, explica.

Além das funções eleitorais, os convocados recebem instruções sobre os cuidados adotados para prevenção à Covid-19, tal como distanciamento entre as pessoas e a constante higienização. “Estes procedimentos têm sido adotados em todos os treinamentos. Nenhum mesário ou colaborador terá maior risco de contágio ao vírus em razão dos trabalhos que serão realizados nas eleições ou em preparação a elas. Todas as medidas de segurança recomendadas estão sendo e serão adotadas no dia do pleito”, garante o chefe do Fórum.

Foram abertas 27 turmas e, ao todo, 314 pessoas passarão pelos treinamentos, realizados até o próximo dia 28. “Neste ano o número de turmas foi consideravelmente superior ao de anos anteriores para que a presença de todos ocorra com respeito às determinações sanitárias de distanciamento”, aponta, acrescentando: “Além do treinamento presencial, todos os mesários poderão obter orientações sobre os trabalhos que serão desenvolvidos no app ‘Mesários’, disponibilizado pelo Tribunal Superior Eleitoral”.

Registro do treinamento de mesários em Quatro Pontes (Foto: Divulgação)

 

 

BENEFÍCIOS

Aqueles que se voluntariam a participar da festa da democracia recebem alguns benefícios em troca de sua prestação de serviço: a cada dia em treinamento ou trabalhando na eleição, tem direito a dois dias de folga no trabalho; há isenção de inscrições em concursos públicos estaduais, além de, quando previsto em edital, ter vantagem no desempate; recebimento de auxílio alimentação nos dias de votação no valor de R$ 35; e, por fim, concedimento de 30 horas extracurriculares para universitários voluntários.

Gealh conta que, após o pleito, alguns mesários contatam a Justiça Eleitoral questionando sobre como usufruir de seus direitos quando o empregador não autoriza. “Algumas vezes, o próprio empregador entra em contato questionando sobre e reclamando que não considera ‘justo’ que o empregado tire dias de folga por ter trabalhado nas eleições. É compreensível o ponto de vista do empresário, mas a convocação se trata de dever cível e é um serviço não remunerado prestado em prol da democracia. Portanto, merece ser reconhecido por toda a sociedade e prestigiado com os benefícios que gera”, enaltece, concluindo: “O empregador também pode se voluntariar e prestar este serviço comunitário. Pode, inclusive, substituir seu empregado e solicitar que preste o serviço no lugar dele”.

 

O Presente

Clique aqui e participe do nosso grupo no WhatsApp

TOPO