Copagril
Marechal Destaque estadual

Conheça os rondonenses pré-selecionados ao Parlamento Jovem Brasileiro; eles apostam em temas sociais e ambientais

Foto: O Presente

 

A participação de estudantes rondonenses nas edições do programa Parlamento Jovem Brasileiro (PJB) tem se tornado destaque nos últimos anos. A divulgação da lista dos pré-selecionados à edição de 2019, que aconteceu na semana passada, comprova ainda mais a notoriedade, já que dos 20 projetos de lei selecionados no Estado do Paraná, dez são de alunos dos terceiros anos do Ensino Médio do Colégio Estadual Eron Domingues.

Os estudantes, de acordo com a realidade da sua cidade e do país, observando os problemas que precisam de solução e propondo possíveis alternativas, elaboraram projetos de lei com base nos temas escolhidos por cada um para participar do PJB. No total, 78 projetos de estudantes brasileiros serão selecionados para integrar a jornada parlamentar que será realizada no período de 23 a 27 de setembro, em Brasília. O resultado final será divulgado no dia 06 de agosto.

Casa do Eletricista LORENZETTI

 

Conheça os projetos de lei dos alunos do Eron Domingues selecionados na fase estadual:

Bianca Aparecida Gonçalves Caldeira, 17 anos:

“Meu projeto de lei é sobre disponibilizar auxilio psicológico para estudantes de instituições de ensino público. Eu tive a experiência de ter ansiedade e depressão e muitos dos meus colegas também têm. Além disso, estão se tornando cada vez mais frequentes notícias de massacres em escolas, como em Suzano. Penso que o auxílio psicológico poderia prevenir isso. É preciso ter esse olhar para os jovens”.

 

Camila Pinz, 16 anos:

“No meu projeto eu pedi auxílio para meninas que ficaram grávidas e não conseguiram concluir seus estudos. Elas teriam uma creche especializada para deixar essas crianças e assim conseguir terminar os estudos. Se a cidade tiver mais de 50 mil habitantes deveria ter uma creche especializada. Em cidades com número populacional inferior, poderia abrir mais vagas em creches já existentes”.

 

Ezequiel Boff Venz, 16 anos:

“Escolhi como tema a opção de os restaurantes usarem restos de alimentos na produção de biogás. Já há muitos gastos com alimentos e muito ainda é desperdiçado, então os restaurantes parariam de desperdiçar e ainda teriam um retorno em economia de energia”.

 

Gabriel de Abreu Fachini, 17 anos:

“Olhando para nossa realidade, meu projeto de lei pede bolsa-auxílio para grávidas e mulheres com filhos. Tive vários amigos com mães que desistiram dos estudos e que teriam um futuro brilhante, além de que isso também afeta o filho. Com essa bolsa elas poderiam continuar os estudos e ainda assim sustentar seus filhos”.

 

Gabriela Andreoli da Costa, 18 anos:

“Meu projeto consiste na colocação de filtro nos bueiros, para dessa forma deixar os lixos retidos, fazendo com que a água passe mais facilmente. Vejo muito nos jornais sobre os problemas das enchentes, já que não tem por onde a água ser escoada, e várias casas são alagadas e famílias inteiras ficam sem moradia”.

 

Jenelly Richart, 16 anos:

“No meu projeto eu peço a construção de ciclovias em todo o perímetro urbano das cidades brasileiras. Vemos muitos ciclistas andando nas vias para carros, muitas vezes atrapalhando o trânsito, causando transtornos, acidentes e acarretando em casos mais graves. Se houvessem ciclovias, a atenção se voltaria para eles, além de melhorar a mobilidade urbana e trazer retorno ao meio ambiente, já que é uma forma de locomoção sustentável”.

 

Marcio Fachinello, 17 anos:

“O tema do meu projeto é crimes ambientais. Após ver várias ocorrências de crimes ambientais, nas quais o órgão fiscalizador não dava uma resposta efetiva, criei o projeto com o intuito de coibir a corrupção dos agentes. Moro no interior e convivo muito com isso. Há produtores que desmatam a área, o órgão fiscalizador é corrompido e a denúncia não chega no órgão competente para efetuar a punição. Quando é deixado de punir um crime, outras pessoas irão cometer por achar que não tem punição”.

 

Miriam Guedes Klassmann, 17 anos:

“Meu projeto de lei se desdobra sobre a oferta de assistência psicológica a policiais de todos os órgãos de segurança e agentes penitenciários. Muitos policiais quando estão fora do serviço ou até mesmo trabalhando usam os armamentos de forma inadequada, tirando a vida de pessoas ou cometendo suicídio. Já tive um caso assim na minha família”.

 

Sara dos Santos Pereira, 18 anos:

“Meu projeto traz como tema a logística reversa do lixo eletrônico. Ele fala sobre pegar, por exemplo, um celular que não tem mais função, mandar para a usina, reaproveitar todas as peças e fazer uma reversão, transformando em um novo objeto. Isso trará benefícios ao meio ambiente com menos poluição”.

 

Vinícius Cancelli, 17 anos:

“Diante do atual cenário político, meu projeto de lei fala sobre a quebra obrigatória de sigilo bancário a qualquer indivíduo acusado de corrupção ou qualquer movimentação ilegal na conta. É algo que trairia mais celeridade às investigações e processos. Na nossa realidade social e política, acredito que vai servir como uma ferramenta muito útil no combate à corrupção”.

 

O Presente

Fotos: O Presente

 

TOPO