Marechal Índice histórico

Dólar alto dobra venda de soja que ainda nem foi plantada

Produtor rural Heitor Osterkamp: “Vendi antecipadamente 35% da safra ao valor de R$ 85 a saca. Agora vou esperar a safra ser instalada para observar o que acontece. É preciso ter pé no chão, equilíbrio, pois se não cumprir o combinado eu pago multa” (Foto: Joni Lang/OP)

A alta do dólar, que na sexta-feira (15) estava cotado em R$ 5,82, na segunda-feira (18) chegou a R$ 5,72 e ontem (20) fechou a R$ 5,69, favoreceu a venda antecipada da safra de soja 2020/2021 no município de Marechal Cândido Rondon. A moeda norte-americana também tornou atrativo o preço da soja, cuja saca era vendida a R$ 98 no balcão, ou na média de R$ 80 a R$ 85 no caso de contrato futuro. O bom preço também fez com que o estoque da safra 2019/2020 praticamente se esgotasse.

O agricultor Heitor Osterkamp, que possui uma propriedade na Linha Horizonte, onde trabalha com avicultura, armazenagem de milho e aveia e com produção de grãos, diz que vendeu aproximadamente 35% da safra de soja 2020/2021 de maneira antecipada. “O contrato é de R$ 85 a saca, mas hoje estou perdendo, uma vez que com a cotação do dólar a saca vale R$ 98. Faz alguns anos que trabalho com venda antecipada. Quando percebo que consigo atingir bom preço de acordo com o custo de produção, incluindo compra de adubos e defensivos, analiso e realizo o contrato”, expõe.

Casa do Eletricista – TORNEIRAS ELÉTRICAS

Ele comenta que se a média obtida na colheita é de 150 sacas, dificilmente vende mais do que 50 a 60 sacas na primeira etapa, antes do plantio. “Acompanho a previsão do tempo diariamente, bem como outros fatores, e se puder vendo algo final do ano, se o preço estiver bom. Tomamos cuidados, então nossa média de venda antecipada é de 30% a 40%”, ressalta Osterkamp, que também possui área de terra no Paraguai, onde trabalha com grãos e gado.

O produtor menciona que no Brasil, com a variável do câmbio, é mais difícil acertar o momento ideal de venda. “Já no Paraguai tenho sido mais assertivo na venda antecipada”, pontua.

Conforme o rondonense, um dos principais objetivos com a venda antecipada é ter uma segurança. “Agora vou esperar a safra ser instalada para observar o que acontece. É preciso ter pé no chão, equilíbrio, pois se não cumprir o combinado eu pago multa. Vou parcelando a venda da soja para fazer valer a pena, comercializando em vários momentos. Quando agrada, eu vendo”, enaltece, acrescentando que faz armazenagem no caso do milho safrinha. “Então, participo do mercado e vendo o ano todo”, conta.

 

Gerente comercial da Agrícola Horizonte, Valdair Schons: “Esses 15% de venda antecipada nessa época são considerados um índice expressivo. Representa o dobro de anos anteriores, quando nesse período a venda antecipada era de cerca de 8%” (Foto: Sandro Mesquita/OP)

 

ANO EXCEPCIONAL

De acordo com o gerente comercial da Agrícola Horizonte, Valdair Schons, praticamente 90% da safra colhida recentemente está comercializada. “Em outras épocas era vendido de 40% a 50% durante a safra e o restante no decorrer do ano”, compara. “Este é um ano excepcional”, avalia.

Segundo ele, o preço atrativo contribuiu com as vendas. “Embora a saca tenha sido vendida a R$ 98 na semana passada, a maioria dos produtores rurais venderam anteriormente na faixa de R$ 80 para pagar as contas. Isso porque a tendência era o valor da soja cair, mas ocorreu o contrário e a saca passou a subir”, frisa.

No que tange à comercialização da próxima safra de soja, 2020/2021, Schons revela que em torno de 15% já está vendida antecipadamente na empresa. “Esses 15% de venda antecipada nessa época são considerados um índice expressivo, haja vista que o plantio vai acontecer em meados de setembro, ou seja, até lá podem ocorrer mais negócios ainda. Isso representa o dobro de anos anteriores, quando nesse período a venda antecipada era de cerca de 8%”, salienta.

Schons assegura que o crescimento na venda antecipada ocorre devido ao câmbio alto. “Hoje os insumos subiram de preço, mas quando se converte em dólar o preço fica igual ou ainda melhor ao produtor, ou seja, fica vantajoso e por isso os agricultores buscam uma garantia pela venda antecipada”, expõe o gerente comercial.

 

O Presente

 

Clique aqui e participe do nosso grupo no WhatsApp

TOPO