Ford Ranger e Ecosport AGOSTO1
Ford Ranger e Ecosport AGOSTO2
Marechal

Foco de Seyboth é elaborar projetos amplos e inovadores

 

Joni Lang/OP

Secretário de Coordenação e Planejamento, Reinar Seyboth: Os ministérios e secretarias estaduais buscam atender geralmente projetos inovadores que venham ao encontro das necessidades da população, não apenas no aspecto básico, e sim no que demanda aprimoramento para reverter em benefício

 

Advogado formado pela Faculdade de Direito de Curitiba e pós-graduado em Administração pública municipal, Reinar Klagges Seyboth integra o primeiro escalão da gestão do prefeito Marcio Rauber e vice Ilario Hofstaetter (Ila) no cargo de secretário de Coordenação e Planejamento do município de Marechal Cândido Rondon.

Seyboth foi candidato a vereador em três ocasiões, a primeira delas no ano de 2008 pelo PPS, quando somou 455 votos; em 2012, já pelo DEM, Seyboth atingiu 868 sufrágios, enquanto em 2016 recebeu 737 votos, estando na primeira suplência. De família pioneira de Marechal Rondon, Seyboth é filho de Dieter, vereador, presidente da Câmara e prefeito do município de 1989 a 1992.

Casa do Eletricista – Clorador Agosto

Ao Jornal O Presente, Seyboth destaca que estagiou em um escritório especializado na elaboração de projetos visando à captação de recursos dos governos estadual e federal aos municípios. Já formado pude elaborar projetos para cidades do Norte do Paraná, além de prospectar a demanda no Oeste, momento em que verifiquei haver uma carência muito grande na elaboração desses projetos que garantem orçamento extra. A capacidade de investimento no Brasil como um todo é muito reduzida, pois grande parte se dilui no pagamento de pessoal, manutenção da máquina e pequenas ações com serviços. Em Marechal Rondon aproximadamente 5% a 7% estariam com capacidade de investimento frente à arrecadação total, explica.

 

Trabalho técnico

O novo secretário de Coordenação e Planejamento menciona que realizou um trabalho técnico nas prefeituras de inúmeras cidades, não focando apenas na elaboração de documentos, mas, sim, buscando desenvolver um projeto amplo e inovador. Asfalto, galerias e construção é algo mais difícil de viabilizar, o que os ministérios e secretarias estaduais buscam atender são geralmente projetos inovadores que venham ao encontro das necessidades da população, não apenas no aspecto básico, e sim no que demanda aprimoramento para reverter em benefício, enfatiza.

Durante dez anos Seyboth atuou mensalmente com as administrações dos municípios de Entre Rios do Oeste, Maripá, Nova Santa Rosa, Ouro Verde do Oeste, Pato Bragado, Santa Helena, Santa Tereza do Oeste, São José das Palmeiras, São Pedro do Iguaçu e Tupãssi, além de cidades como Guaíra, com a execução de projetos pontuais. O reconhecimento pelo trabalho e pelas conquistas acabou aparecendo, porém a principal referência foi proporcionar bons resultados para esses municípios, declara.

Segundo ele, entre os anos de 1996 e 2004 os municípios de Nova Santa Rosa e Pato Bragado receberam aproximadamente R$ 700 mil do governo federal, enquanto no período de 2005 a 2012, quando atendeu os dois municípios, Nova Santa Rosa recebeu cerca de R$ 10 milhões em recursos e Pato Bragado foi beneficiado com R$ 8 milhões. O trabalho foi de toda uma equipe, porém, sob a minha coordenação, conseguimos a liberação desses recursos com deputados, senadores e força política dos prefeitos, principalmente sobre a parte técnica que exigia ser muito bem elaborada para aprovação e prestação de contas, dificuldades que muitas prefeituras têm, especialmente as pequenas, expõe.

 

Diferencial

De acordo com o secretário, o principal documento que a população pode esperar é o próprio plano de trabalho da gestão Marcio e Ila. A equipe de todas as secretarias está formada por pessoas extremamente comprometidas e, principalmente, capacitadas para desenvolver este trabalho. Acredito que a partir da Secretaria de Coordenação e Planejamento nós teremos excelentes projetos para Marechal Rondon e as frentes da parte do planejamento não são apenas projetos de captação de recursos; queremos a partir desta secretaria propor um diferencial, porque pelo tamanho de Marechal Rondon, força política que sempre teve, respeito nos cenários estadual e nacional, entendemos que sempre ficou aquém da capacidade. Esta é uma constatação e não uma crítica. Marechal Rondon sempre conquistou muitos recursos, contudo entendo que se ocorrer um trabalho estruturado será possível oferecer maior vazão a essa força e obter mais recursos, destaca.

A secretaria envolve inúmeros trabalhos, como o Plano Diretor, que a partir do ano que vem vai ter uma nova realidade porque está completando dez anos de elaboração e precisa ser revisado, além da pasta tratar de toda parte orçamentária do município. Entendo que o prefeito é o cérebro, comanda e ordena para que os demais órgãos funcionem, enquanto o coração é a Secretaria de Coordenação e Planejamento, que vai pulsar e bombar os recursos necessários para todas as secretarias desempenhar os seus trabalhos e atender a finalidade a que se prestam, que é o atendimento à população com a melhor qualidade dentro do serviço público, diz.

 

Debate

O perímetro urbano teve sua projeção ampliada no fim do ano passado para atender às pressões e demandas dos condomínios, algo natural porque chegou-se no limite para a revisão. O perímetro já estava engessado, entretanto há outras frentes para discutir e não são prefeito, vice, secretário e presidente da Câmara que determinam aspectos da discussão. Será preciso promover amplo debate com a sociedade para que ela tenha conhecimento do que está sendo feito e ajude para que possamos tomar as melhores decisões, dentro da legalidade, que vão ao encontro dos anseios da população, enaltece Seyboth. Conforme ele, o estudo será iniciado neste ano para em 2018 ter o plano pronto e aprovado pela Câmara de Vereadores. A ampliação já ocorrida no perímetro foi um detalhe e deve ser alvo de discussão dentro da revisão, assim como novos aspectos que precisam ser abordados, enfatiza.

 

Entusiasmo

Seyboth afirma que a população rondonense pode esperar muito trabalho. O entusiasmo é bastante grande, todavia não faremos nada sem organização. Queremos oferecer condições para que os serviços públicos sejam efetivamente bem prestados, que dentro da secretaria possamos ter um trabalho interligado às demais secretarias e que possamos trabalhar de maneira harmônica, melhorando aspectos no urbanismo, trabalhos voltados na secretaria como aprovação de loteamentos, construção, ampliações. Vamos tentar dinamizar esses setores, ressalta.

De acordo com o secretário, no aspecto orçamentário, a meta será buscar austeridade nas ações públicas junto com o prefeito para gerar maior economia e que esta seja revertida em melhor prestação de serviços e melhor infraestrutura a todo o município. Somado à captação de recursos, vamos montar uma equipe que possa trabalhar diuturnamente para buscar recursos nas esferas estadual e federal, para que ao final dos quatro anos da gestão Marcio e Ila tenhamos muitos resultados positivos, conclui Seyboth.

TOPO