Brincando na Praça 2019
Marechal Gesoma

Grupo de pesquisa da Unioeste é premiado em mais um evento internacional e firma mais uma parceria científica com a Europa

Fotos: Divulgação
  • Fotos: Divulgação

O Grupo de Estudos em Solos e Meio Ambiente (Gesoma), liderado pelo pesquisador e professor doutor Affonso Celso Gonçalves Jr., do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), campus de Marechal Cândido Rondon, visitou, recentemente, a University of Amsterdam – Science for Energy and Sustainability, onde mais uma parceria científica internacional foi firmada para o desenvolvimento de trabalhos inovadores na área de remediação e descontaminação de compartimentos ambientais.

Affonso, juntamente com seu orientado de mestrado Élio Conradi Junior, apresentou as linhas de pesquisa inovadoras desenvolvidas atualmente pelo Gesoma. O convite surgiu por parte de pesquisadores holandeses interessados em desenvolver trabalhos científicos em parceria com a equipe liderada pelo professor rondonense, visando também o intercâmbio de pesquisadores entre Brasil e Holanda.

Casa do Eletricista ESCAVAÇÕES

Posteriormente, Affonso e Élio foram a Lisboa (Portugal) participar do 9th International Conference on Environmental Pollution and Remediation, que ocorreu de 19 a 20 de agosto. O evento foi organizado por pesquisadores canadenses e teve a participação de pessoas de mais de 20 países. Este evento fez parte do 5th World Congress on New Technologies (NewTech’19). Neste congresso científico foram apresentados dois trabalhos desenvolvidos pelo Gesoma, intitulados “Removal of Pb2+ and Cd2+ from contaminated water using activated carbon from canola seed wastes” e “Use of lysimeters to evaluate the atrazine dynamics in soil cultivated with maize”.

“Hoje recebemos a informação que o trabalho ‘Use of lysimeters to evaluate the atrazine dynamics in soil cultivated with maize’ foi escolhido o melhor trabalho científico do 9thInternational Conference on Environmental Pollution and Remediation 2019″, enaltece Affonso.

Ele ressalta que os trabalhos científicos desenvolvidos pelo Gesoma-CNPq) têm foco em um ambiente sustentável, em que são reaproveitados resíduos da agroindústria que certamente seriam descartados como lixo. “Transformamos estes materiais em produtos adsorventes ou carvões ativados que podem ser utilizados com grande eficácia na descontaminação de águas”, expõe, acrescentando: “Certamente hoje a poluição hídrica representa um problema de grande magnitude no mundo todo”.

Outros trabalhos inovadores sob orientação do professor Affonso estão relacionados à contaminação de solos e águas pelo transporte de agrotóxicos no perfil de solos cultivados e, sendo assim, o Gesoma propõe uma avaliação desta problemática utilizando lisímetros de percolação e sucção.

Segundo o pesquisador da Unioeste, o desenvolvimento sustentável não pode ser considerado um sistema estático de harmonia, mas, sim, um processo dinâmico de constante transformação no qual a exploração de recursos, a orientação do desenvolvimento tecnológico e a definição de políticas devem ser realizadas de modo consistente com as expectativas de futuro, mas sem perder o foco nas atividades e necessidades presentes.

“O sucesso de todos estes projetos é fruto de um efetivo trabalho em equipe e parcerias científicas, pois sem isso não é possível o desenvolvimento da ciência e da tecnologia de forma ética e eficaz. O Gesoma tem apresentado um excelente desenvolvimento científico na área de ciências ambientais em virtude dos projetos aprovados nos últimos anos e das inúmeras parcerias internacionais com diversas universidades europeias (Alemanha, Portugal, Espanha e agora Holanda)”, avalia Affonso.

 

Com assessoria

TOPO