Marechal Projeto

Jovens participam de treinamento sobre empreendedorismo e inovação na Acimacar

O treinamento faz parte do "pacote de prêmios" a todos os que se dedicaram à produção do vídeo (Foto: Amanda Camargo)
  • Foto: Amanda Camargo

  • Foto: Amanda Camargo

  • Foto: Amanda Camargo

  • Foto: Amanda Camargo

  • Foto: Amanda Camargo

  • Foto: Amanda Camargo

  • Foto: Amanda Camargo

Os 77 alunos que participaram do Concurso de Vídeo Amador Jovem Empreendedor Acimacar, promovido pela Associação Comercial e Empresarial de Marechal Cândido Rondon, participaram na segunda-feira (03) de um treinamento sobre empreendedorismo.

O treinamento faz parte do “pacote de prêmios” a todos os que se dedicaram à produção do vídeo.

Os responsáveis pela interação foram os profissionais da Fundação Parque Tecnológico de Itaipu (PTI). Em um formato dinâmico, o analista do Programa de Desenvolvimento de Negócios do PTI, Gideão Matinc Claro, apresentou aos alunos a proposta “Hora do desafio do ovo”. O objetivo era criar um produto que protegesse o ovo de uma queda livre de um metro.

Alguns itens estavam à disposição dos estudantes para a idealização do projeto, a criação do protótipo e o produto final. Eles foram divididos em quatro grupos.

Gideão conta que a intenção era simular o mercado: problemas a serem solucionados, os recursos limitados e a necessidade da pesquisa e planejamento.

“O que importa neste caso é entender o processo, como funciona na prática pensar em algo inovador, e esse método prático é mais fácil de incorporar os conceitos. No começo todos acham que não vão conseguir, mas depois encontram uma maneira”, explica Gideão.

O analista salienta que a ideia de ensinar os estudantes a terem uma nova visão para a solução de problemas é prepará-los, pois é disso que o mercado precisa hoje. “Colocamos essa ‘pulga atrás da orelha’: como resolver? Tanto para a vida profissional como pessoal. Ter essa visão influencia muito a maneira como eles encaram as tarefas porque o empreendedorismo não é somente ser empresário, mas é uma forma de pensar, resolver problemas. Estar inquieto com o seu entorno e buscar resultados é ser empreendedor com inovação.”

Gideão ressalta que a inovação está presente no dia a dia e por isso muitas vezes não é valorizada, é simples, mas funcional. “É como um garfo. Uma invenção que deu certo e que as pessoas querem.”

Drieli Godoy Monteiro Coutinho, também analista de negócios do PTI, afirma que, desde 2015, quando da assinatura do convênio com a prefeitura para a vinda da Incubadora Santos Dumont à cidade, a intenção é estimular o empreendedorismo a partir da base. “Para que os alunos tenham contato com a temática, aprendam sobre esses conceitos, incorporem a inovação e o empreendedorismo e olhem para o mercado de forma diferente. Daqui uns anos quando forem para a faculdade veremos a transformação, é ainda algo tímido, mas esperamos que a semente frutifique”, diz.

A professora de geografia do Colégio Estadual Marechal Cândido Rondon e Novo Três Passos, Roseli Teresinha Lorenzett Faria, acredita que a própria proposta da Acimacar e seus apoiadores é inovadora ao trazer esses conhecimentos para os estudantes. “É muito válido e diferente. As escolas têm pouca participação externa de outras entidades com ações. Quando essas iniciativas chegam é animador. Acredito que o final de toda essa ação será muito positiva”, salienta.

Ela afirma que considerou o projeto interessante desde o início e ressalta o quanto os adolescentes ficaram motivados. “Todos empolgados buscaram várias ideias e isso é importante, desde ter uma ideia e colocar em prática, criar estratégias, tentar, errar, planejar. Isso tudo vale para qualquer situação na vida, precisamos de protagonistas que querem resolver problemas”, conclui.

As ações do eixo educacional estão ligadas à comemoração do cinquentenário da Acimacar.

 

Com assessoria

TOPO