Ecoville – Maior rede de limpeza
Marechal Metas fiscais

Marechal Rondon arrecadou R$ 196,8 milhões em 2018

Secretário municipal da Fazenda, Carmelo Daronch, e o contador da Prefeitura, Maico Alexandre Heck, na prestação de contas (Fotos: Cristiano Viteck)

 

A Câmara de Vereadores de Marechal Cândido Rondon promoveu nesta semana audiência pública com a Secretaria Municipal de Fazenda, referente ao cumprimento das metas fiscais do Poder Executivo no exercício de 2018.

A audiência foi dirigida pelo presidente da Comissão Permanente de Finanças, Orçamento e Fiscalização, vereador Arion Nasihgil, e teve a presença dos vereadores Adriano Backes, Claudio Köhler, Cleiton Freitag (Gordinho do Suco), Josoé Pedralli e Vanderlei Sauer, além de membros da comunidade.

Casa do eletricista TRATAM. E ACESS.

A apresentação do relatório financeiro foi feita pelo secretário municipal da Fazenda, Carmelo Daronch, e pelo contador da prefeitura, Maico Alexandre Heck.

 

Arrecadação

No ano passado, o município teve arrecadação menor do que a prevista. Enquanto o orçamento era de R$ 198.850.400,00, o total arrecadado foi de R$ 196.810.519,03. Esse valor leva em consideração a soma do caixa da prefeitura, Saae, Fundação Promotora de Eventos (Proem) e Fundo Municipal de Desenvolvimento (FMD).

Mas, embora um pouco menor do que o orçado, a arrecadação de 2018 foi de quase R$ 20 milhões a mais em relação a 2017, quando o valor chegou a R$ 177.240.308,31.

Em 2016, a arrecadação foi de R$ 159.317.496,77.

 

Despesas

Por outro lado, as despesas totais do município em 2018 – incluindo gastos da prefeitura, Câmara, Saae, Proem e FMD – alcançaram R$ 194.359.074,12.

Ou seja, a diferença entre arrecadação e despesa no ano anterior gerou um resultado positivo de R$ 2.451.444,91.

Em 2017 as despesas haviam sido de R$ 156.546.0611,70.

Em 2016, foram de R$ 158.796.419,91.

 

Educação

No setor educacional os investimentos da administração municipal em 2018 alcançaram R$ 38.165.979,12. Isso representa 32,22% dos recursos do município, enquanto que o mínimo exigido por lei é de 25%. Assim, a aplicação na Educação foi de R$ 8.550.698,66 além do investimento mínimo legal.

Em 2017, a soma dos investimentos no mesmo setor foi de R$ 33.304.588,52 (30,09%) e em 2016 R$ 31.762.564,26 (31,99%).

 

Saúde

Na área de Saúde, os gastos atingiram R$ 36.578.992,19. Isso equivale a 31,61% dos recursos do Executivo Municipal, sendo que aplicação mínima por lei deve ser de 15%. Ou seja, gastou-se R$ 19.220.325,77 além.

Em 2017, a aplicação total foi de R$ 34.498.115,13 (32,34%).

Em 2016, o percentual investido pela prefeitura na Saúde foi de 27,47%, que representam R$ 26.707.095,94.

 

Situação confortável

Após o encerramento da audiência pública, o vereador Arion Nasihgil afirmou que a situação financeira do município é bastante confortável. Ele entende que o orçamento de quase R$ 200 milhões é suficiente para que Marechal Cândido Rondon continue com obras, serviços e melhorias à comunidade.

“Nosso município tem dinheiro em caixa. Então, o que a gente espera é que sempre haja o retorno à população, fazendo jus a tudo aquilo que pagamos de impostos e arrecadamos”, afirma o presidente da Comissão de Finanças, Orçamento e Fiscalização.

Conforme relatório da Secretaria da Fazenda, Marechal Rondon encerrou 2018 com disponibilidade de caixa de R$ 53.673.126,20. Deste montante, R$ 29.360.267,78 são recursos vinculados.

Os outros R$ 24.312.858,42 podem ser investidos de acordo com os interesses da administração municipal.

 

Números foram apresentados em audiência pública promovida pela Comissão de Finanças, Orçamento e Fiscalização do Poder Legislativo

 

Com assessoria

 

TOPO