Copagril
Marechal

Marechal Rondon encerra 2016 com 30 vagas negativas de trabalho

Joni Lang/OP
Somente no mês de janeiro, na Agência do Trabalhador, foram solicitadas 300 carteiras de trabalho

Os dados repassados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), vinculado ao Ministério do Trabalho e Emprego, apontam para índices negativos na geração de postos de trabalho no município de Marechal Cândido Rondon no ano de 2016. A tendência de queda vem sendo acompanhada desde 2015, ano em que o saldo foi positivo em 29 vagas. De janeiro a dezembro daquele ano foram 7.576 contratações diante 7.547 demissões, resultando em um tímido crescimento de 0,38%. Já nos 12 meses de 2016 foram criadas 6.215 oportunidades ao passo em que o mercado de trabalho fechou 6.245 postos, culminando em um saldo negativo de 30 postos, o que representa 0,48% de queda no acumulado do período (confira nas tabelas).

Casa do Eletricista PISCINAS

De acordo com os números da Agência do Trabalhador de Marechal Rondon, o mês de dezembro foi o responsável por jogar para baixo os índices que a princípio poderiam ser positivos, caso fosse mantido o desempenho dos três primeiros trimestres do último ano. Isso porque houve 269 contratações diante de 584 demissões, ou 315 postos negativos, o que resultou na queda de 54% em relação à geração de empregos.

O quarto trimestre de 2015 teve saldo negativo de 428 vagas na comparação entre 1.439 contratações e 1.867 demissões, cujo índice de variação foi de 22,92%. Já no quarto trimestre de 2016 foram criados 1.154 postos de emprego perante 1.468 desligamentos, saldo de 314 vagas negativas, ou 21,39%.

 

 

Segmentos

Os setores como comércio, serviços e serviço industrial de utilidade pública jogaram os índices para baixo ao longo do ano. Só no mês de dezembro o setor que mais demitiu foi serviços, o qual foi seguido de perto pela indústria de transformação; porém, este último, ao lado da agropecuária, conseguiu fechar em um patamar positivo no acumulado dos 12 meses.

Conforme a Agência do Trabalhador, a provável retomada do crescimento econômico prevista para o quarto trimestre do ano passado deve ser atravessada ainda no início deste ano. Entre os argumentos estão a expectativa de safra recorde de soja e os bons preços pagos ao produtor, o que tende a injetar muitos recursos na economia local. Além disso, inúmeras empresas e cooperativas estão realizando investimentos e abrindo vagas de emprego, possibilitando o ingresso de profissionais no mercado de trabalho.

Aproximadamente 70 vagas foram disponibilizados na Agência do Trabalhador de Marechal Rondon neste mês. Ontem (09) estavam disponíveis oito oportunidades na indústria, outras cinco no comércio e cinco em serviços. E o cidadão não para de comparecer à agência em busca de novas oportunidades de trabalho, assim como para realizar o cadastro para encaminhar a Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS). Para se ter ideia, só no mês de janeiro foram solicitadas 300 carteiras de trabalho no município.

 


Indústria de transformação lidera demissões no Paraná

O mês de dezembro e o ano de 2016 também resultaram em saldo negativo no que se refere à geração de oportunidades de trabalho no Estado do Paraná. Enquanto foram criadas 63.065 vagas, foram realizados 93.522 desligamentos, o que representa um saldo negativo de 30.457 postos apenas no mês de dezembro. No acumulado dos 12 meses, o Paraná gerou 1.080.413 vagas, contudo as demissões foram de 1.140.241 postos de trabalho, ou seja, no total o saldo negativo foi de 59.828 vagas.

O setor que mais demitiu durante o último ano no Estado foi a indústria de transformação, com saldo negativo de 24.168 vagas. A construção civil teve saldo negativo de 14.790 vagas, serviços 11.375, o comércio somou 7.234 postos negativos, agropecuária 1.612, extração mineral fechou 304 postos, serviço industrial de utilidade pública encerrou com 257 mais demissões do que admissões e administração pública com saldo negativo de 88 vagas.

TOPO