Copagril – Sou agro com orgulho
Marechal Menos restrições

O que esperar do Natal “pós-pandemia”? Representantes do comércio rondonense têm boas expectativas

(Foto: Sandro Mesquita/OP)

A pouco mais de um mês para o Natal, as decorações natalinas ganham espaço em lojas, residências e espaços públicos. Depois do último mês de dezembro, que mesclou a vontade de confraternizar com a família e as proibições sobre aglomerações, o Natal de 2021 acontece entremeio à queda de decretos restritivos, número de casos de Covid-19 em decrescente e, o mais importante, índices positivos de vacinação contra o coronavírus.

Para a presidente da Associação Comercial e Empresarial de Marechal Cândido Rondon (Acimacar), Carla Rieger, apesar do quadro pandêmico estar controlado, o Natal deste ano ainda não se insere em tempo um pós-pandemia. “Este Natal não será livre de restrições, pois precisamos seguir com os cuidados para evitar uma nova onda de contaminação pelo coronavírus. Ainda precisamos usar máscara, manter a higienização dos espaços, das mãos, usar álcool gel e primar pelo distanciamento social”, pontua, lembrando que a flexibilização de decretos por parte dos governos estadual e municipal se deve à eficiência da vacinação.

Casa do Eletricista – Black Friday

Presidente da Acimacar, Carla Rieger: “Temos boas expectativas e estamos esperançosos para um Natal com boas vendas. Mantendo os cuidados, as pessoas vão sair mais, vão comprar mais e teremos, sim, uma movimentação maior e diferente do que visto no Natal de 2020” (Foto: Raquel Ratajczyk/OP)

Nied 2021 J1

 

Muito aguardado

CombateMax – Oferta Inauguração

A vice-presidente do Comércio da Acimacar, Geovana Krause, diz que o Natal deste ano está sendo bastante aguardado porque, diferente de 2020, as liberações permitem o festejo da data em família. “É uma data emotiva, celebrada em família, principalmente porque nós, brasileiros, sentimos a necessidade da convivência”, frisa.

Rui Sonho nov/dez

 

Movimentação maior

Com menos restrições e um cenário epidemiológico diferenciado, a empolgação chega a todos, de consumidores a empresários, que ainda se reconstroem depois dos períodos de fechamento para conter o avanço da Covid-19, os “inesquecíveis” lockdowns. “Temos boas expectativas e estamos esperançosos para um Natal com boas vendas. Mantendo os cuidados, as pessoas vão sair mais, vão comprar mais e teremos, sim, uma movimentação maior e diferente do que foi visto no Natal de 2020. O cenário tem se mostrado favorável tanto para quem vende quanto para quem compra”, enaltece a vice-presidente de Comércio da Acimacar ao O Presente.

O aumento do movimento, contudo, não deve ser sentido de maneira igual por todos os empresários, menciona Geovana. “Já estamos sentindo um movimento maior. Os setores que tiveram liberação mais rápida hoje estão normais. Por outro lado, se pensarmos em setores como entretenimento a retomada acontece timidamente”, compara.

 

Impactos diretos e indiretos

Varejo de confecções, calçados e presentes seguem como os mais movimentados no fim de ano, aponta a vice-presidente do Comércio da Acimacar. “Para alguns setores a data influencia mais diretamente e alguns são beneficiados de forma secundária. Principalmente no varejo, a data é aguardada e a expectativa é de crescimento nas vendas”, reforça.

 

Momento de reação

Por parte da municipalidade, o secretário de Indústria, Comércio e Turismo, Valdir Port (Portinho), enaltece que, depois de 22 meses de incertezas, esse é o momento de reação do comércio rondonense. “Em um primeiro momento, as pessoas tiveram cautela para comprar devido à instabilidade no futuro. Após essa recessão, os consumidores sentem-se dispostos e seguros para as compras. A injeção do 13º salário, de servidores públicos e privados, concretiza um impacto positivo na roda da economia, por isso acredito que teremos um comércio ainda mais fortalecido neste fim de ano”, destaca.

Secretário de Indústria, Comércio e Turismo, Valdir Port (Portinho): “A injeção do 13º salário, de servidores públicos e privados, concretiza um impacto positivo na roda da economia, por isso acreditamos que teremos um comércio ainda mais fortalecido neste fim de ano” (Foto: Arquivo/OP)

 

Preocupação do momento

Uma das preocupações do momento, por parte do empresário, é a inadimplência dos consumidores. “Muitas pessoas estão endividadas, realizaram compras parceladas e o poder aquisitivo, em virtude da inflação, diminuiu. Itens essenciais, como combustíveis e alimentos, subiram bastante de preço e, consequentemente, a renda do assalariado diminui. Isso pesa no orçamento e também nas compras de fim de ano”, salienta Geovana.

Vice-presidente do Comércio da Acimacar, Geovana Krause: “Já estamos sentindo um movimento maior. Quem der uma voltinha na cidade vai ver que o comerciante está empolgado e pronto para receber o consumidor”

 

Incentivos

A preparação para o Natal, destaca a presidente da Acimacar, recebe, sempre, atenção especial, tendo em vista que essa é a data mais importante para o comércio. “O Natal Premiado Acimacar, por exemplo, iniciou na terça-feira (16) e segue até 27 de dezembro, incentivando o fortalecimento das empresas. Serão injetados R$ 100 mil em vales-compras no comércio local, que serão sorteados em três datas durante o período da campanha, contemplando 214 consumidores que trocarão seus vale-compras nas empresas participantes”, enfatiza.

Geovana informa que as empresas participantes da campanha estão identificadas e os cupons já estão sendo distribuídos. Os sorteios serão realizados no próximo dia 27 e nos dias 13 e 27 de dezembro, sempre às 18h30 e com transmissão ao vivo.

 

Horários especiais

A fim de criar mais oportunidades de atendimento aos consumidores, Carla informa que o horário especial para o comércio neste fim de ano já está definido. “O Natal é a safra do comércio, não há como negar que é a principal data para um fluxo de vendas satisfatório. Pensando nisso, os empresários planejam trabalhar em horários estendidos, proporcionando aos seus clientes maior flexibilidade para realizarem suas compras”, expõe.

Ela convida os consumidores para prestigiarem o comércio local. “Comprando aqui, movimentamos as engrenagens da nossa economia, permitindo que as empresas continuem abertas e contratem mais colaboradores, o que gera emprego e renda para a nossa população”, enaltece. Geovana emenda: “Quem der uma voltinha na cidade vai ver que o comerciante está empolgado e pronto para receber o consumidor”.

No segundo sábado de dezembro, dia 11, o comércio atenderá das 08h30 às 16 horas. De 15 a 17 de dezembro, o atendimento se estende das 08h30 às 22 horas e dia 18, sábado, das 08h30 às 16 horas. Na semana do Natal, dia 19, domingo, o comércio rondonense atenderá das 16 às 21 horas e de 20 a 23 de dezembro o horário especial será das 08h30 às 22 horas. Na véspera de Natal, 24 de dezembro, o comércio funcionará das 08h30 às 16 horas e no último dia do ano, 31 de dezembro, das 08 às 13 horas.

 

O Presente

Grupo Costa Oeste 2021

Clique aqui e participe do nosso grupo no WhatsApp

TOPO