Copagril – Sou agro com orgulho
Marechal Plano de correções

ONG aponta irregularidades no aterro sanitário rondonense

Município está tomando providências para atender exigências feitas pela organização não governamental Vigilantes da Gestão Pública, que encontrou irregularidades no local (O Presente)

Um plano de correções no aterro sanitário de Marechal Cândido Rondon foi solicitado pela organização não governamental Vigilantes da Gestão Pública, após recente visita ao local, situado na Linha Neuhaus. A entidade encontrou problemas na operação do aterro e no cumprimento ao que teria sido contratado com a empresa que atua no local há quase cinco anos.

Conforme o Vigilantes da Gestão, o termo de referência que deu a base para as contratações técnicas, materiais e pessoais não foi cumprido. As irregularidades apontadas pela ONG são ausência de contenção de águas pluviais, regularização de células, drenagem de chorume e falta de cobertura do material depositado, o que motivou os apontamentos à administração municipal com cópia ao Ministério Público para a tomada das providências cabíveis.

Casa do Eletricista ROWA

A entidade requer investigação dos fatos e apresentação de relatório de auditoria técnica para qualificar todos os indícios na operação do aterro, bem como execução de plano de correções no aterro, dentro das técnicas de engenharia e licença de operação do aterro.

Nied 2021 D1

“É questionável, em quase cinco anos de serviços, não ter havido uma atuação, tanto do ente fiscalizador quanto do fiscal do contrato. Pelo menos não ocorreu nenhuma publicação disso no portal do município”, expôs o presidente do Vigilantes da Gestão, Sir Carvalho.

 

PROVIDÊNCIAS

O secretário municipal de Agricultura e Política Ambiental, Adriano Backes, diz que a pasta está tomando as providências cabíveis, após os apontamentos recebidos. “O Sir veio mostrar alguns problemas do aterro, que hoje está entre os que possuem boas condições de preservação e de cuidados ambientais na região. São pequenas situações que devemos mudar para estarmos aptos e com todas as exigências colocadas em contrato. A empresa responsável toma nessa semana as medidas para deixar tudo adequado”, garante.

De acordo com Backes, o presidente do Vigilantes da Gestão apontou o que pode ser melhorado. “Semana que vem vamos até um aterro onde houve apontamentos e foi trabalhado com o município de União da Vitória para colocar em ordem. Vamos conduzir da forma adequada para melhorar o nosso, até porque teremos um novo contrato daqui algum tempo e desejamos ter um aterro muito bem organizado na parte ambiental”, ressalta.

O secretário destaca que o engenheiro ambiental da pasta, Marcos Chaves, realiza boa condução dos trabalhos, inclusive o município possui Ecoponto para depósito de outros materiais. “O prefeito e o vice estão muito preocupados e nós vamos correr atrás para que tenhamos um dos melhores aterros da região Oeste, do Paraná e do país”, finaliza.

 

Secretário de Agricultura e Política Ambiental, Adriano Backes: “Vamos conduzir da forma adequada porque desejamos ter um aterro muito bem organizado na parte ambiental” (Foto: Joni Lang/OP)

 

CONVÊNIO

O aterro rondonense recebe em média 26 toneladas diárias de lixo. Está sendo realizada tratativa com a Itaipu Binacional para assinatura de um convênio que contempla investimentos na infraestrutura do local, viabilizando, assim, a criação de um consórcio por meio do qual seria possível receber resíduos dos municípios vizinhos.

 

O Presente

Clique aqui e participe do nosso grupo no WhatsApp

Grupo Costa Oeste 2021
TOPO