Copagril – Sou agro com orgulho
Marechal "Situação vergonhosa"

ONG promete apurar denúncias contra políticos rondonenses

Presidente da ONG Vigilantes da Gestão, Sir Carvalho: “Neste e outros casos seguiremos acompanhando, e mais, analisando e investigando e se for o caso pedindo para prender” (Foto: Joni Lang/OP)

 

O presidente da Organização Não Governamental (ONG) Vigilantes da Gestão, Sir Carvalho, esteve na segunda-feira (15) em Marechal Cândido Rondon, onde acompanhou parte da sessão da Câmara.

Em entrevista exclusiva ao O Presente, ele revelou que o motivo de estar no município era acompanhar aquilo que já vinha fazendo. “Que são as denúncias em relação à escandalosa situação da Câmara de Marechal Rondon, culminando na prisão de um vereador e agora mais duas denúncias que estamos apurando a veracidade e atuando no âmbito criminal e no âmbito judicial, e não apenas no âmbito político, que é aqui na Câmara, porque este não nos diz respeito”, afirma.

Casa do Eletricista ROWA

Na sessão do último dia 08 foram aprovados processos por quebra de decoro parlamentar contra os vereadores Adelar Neumann (DEM), Dorivaldo Kist (MDB) e Nilson Hachmann (PSC), enquanto o pedido de investigação contra Josoé Pedralli (MDB) acabou arquivado. No entanto, ações contra os quatro vereadores seguem no Ministério Público. Ainda ontem foi apresentada ação contra o presidente do Legislativo, vereador Claudio Köhler (PP), que foi arquivada.

Nied 2021 L1

Em relação ao caso envolvendo o vereador Neumann, preso no início de fevereiro e liberado no fim de março mediante uso de tornozeleira eletrônica, Carvalho declara: “Estamos acompanhando para ver qual a postura dos demais vereadores que devem, por uma questão de coerência legal, cassá-lo”.

Combate Max Natal

Sobre os outros vereadores, o presidente da ONG Vigilantes da Gestão ressalta que seguem com a realização de diligências e algumas ações tomadas junto ao Ministério Público Estadual. “Quanto ao prefeito não temos conhecimento ainda sobre o pedido, mas assim que tivermos da mesma forma o trataremos. Se houver nexo trataremos na mesma medida e na justa medida. É fundamental salientar que o Vigilante da Gestão atua naquilo que estiver de ilegal onde quer que seja. Agora conseguimos a indisponibilidade de bens de um deputado porque estava cometendo crime”, avisa.

Rui Sonho nov/dez 2

 

VEREADORES

Segunda-feira foi divulgada a indisponibilidade de bens dos ex-secretários e atuais vereadores Ronaldo Pohl (PSD) e Adriano Cottica (PP). No entanto, no final de semana houve pedido de cancelamento do bloqueio de bens Cottica, sendo que o resultado da liberação está nas mãos da Justiça. A ação também envolve o ex-secretário Adelar Urnau. As ações se referem ao período em que o Executivo era comandado por Moacir Froehlich (MDB), cujos denunciados respondiam pelas secretarias de Agricultura e Política Ambiental e de Viação e Serviços Públicos, sendo que a acusação aponta para suposto superfaturamento de serviços.

“Temos a indisponibilidade de bens do ex-secretário e atual vereador Ronaldo Pohl e outras pessoas por uma iniciativa nossa através de denúncia que levamos ao Ministério Público e agora foi decretada. Estivemos no Cartório, o caso estava sob segredo de Justiça. Fomos verificar e pedimos que isso fosse retirado porque não havia decisão judicial nesse sentido e também para que o povo tome conhecimento e possa se conscientizar de quais escolhas faz. Neste e outros casos seguiremos acompanhando, e mais, analisando e investigando e se for o caso pedindo para prender”, declara.

 

SITUAÇÃO VERGONHOSA

Segundo ele, Marechal Rondon é conhecido por ser um município formado por uma população extremamente trabalhadora e com uma cultura diferenciada no Estado. “Mas está envergonhada com esta situação de ver um vereador professor preso e usando tornozeleira eletrônica, infelizmente porque foi pego em flagrante, mas isso é uma herança que precisa ser mudada. É importante que a população fique atenta a isso para a gente mudar esta situação”, reforça.

“Empresas de vereadores vendendo para prefeitura, esse negócio promíscuo de vereador indicar funcionário para a prefeitura, tudo isso deve acabar. É preciso que haja independência entre os poderes, Câmara de Vereadores é o Legislativo, quem fiscaliza, julga, analisa e se for o caso cassa, e Prefeitura é aquela que executa a obra, então separando os poderes como é o caso do Judiciário, as coisas tendem a fluir melhor, mas o fato é a herança de uma cultura política que está na Câmara e não é a realidade do povo de Marechal Rondon”, destaca Carvalho.

 

ATUAÇÃO

O presidente informa que a ONG Vigilantes da Gestão tem atuado em vários Estados do Brasil e um dos exemplos foi observado em Cascavel, com a questão do contrato do lixo com R$ 205 milhões e três ações em curso, mais atuação do Ministério Público. “Além dela, há ações que acabaram com oito deputados tendo bens indisponíveis, prefeito cassado por crime eleitoral, vereadores presos em outros municípios, inclusive no Espírito Santo, portanto a gente tem tentado trabalhar para dar vazão à necessidade que a população tanto clama”, salienta.

 

ONG

A ONG Vigilantes da Gestão é uma organização que não recebe dinheiro público, não tem atrelamento com nenhum partido político e trabalha à medida da capacidade para atender o Brasil todo. “Qualquer pessoa que tiver elemento fático, real e que tenha o mínimo de elementos para nos encaminhar é só entrar no site www.vigilantesdagestao.org.br, onde há mecanismo de envio, mandar o e-mail e nós vamos receber, analisar e se for o caso agir para coibir este ato. É claro que tem o canal no Ministério Público, mas às vezes a pessoa não quer se expor, portanto nós preservamos a fonte”, finaliza Carvalho.

 

Grupo Costa Oeste 2021

O Presente

TOPO