Marechal

Polícia intensifica ações na tentativa de prender autores de roubos em Marechal Rondon

Após quatro jovens, dentre eles dois menores de idade, serem apontados como suspeitos de praticarem os últimos roubos em Marechal Cândido Rondon, o setor de investigação da Polícia Civil está empenhado em ouvir as vítimas dos recentes assaltos a fim de elucidar os casos. Por outro lado, a Polícia Militar (PM) está intensificando o policiamento, buscando dar uma resposta à comunidade diante da onda de criminalidade que assola o município.

Os quatro suspeitos foram abordados por uma equipe da PM na noite do último domingo (28), no centro da cidade. A princípio, somente três jovens teriam sido abordados, no entanto, como nada de ilícito foi encontrado com eles, ambos foram liberados. Pouco depois a PM foi informada de que nas proximidades do local um dos rapazes averiguados teria dispensado algo estranho, o que deu sequência às buscas policiais.

Casa do Eletricista – RETOMA

Em seguida, um cidadão que transitava de bicicleta informou aos policiais que havia sido abordado por três indivíduos suspeitos, os quais teriam exigido dinheiro, mas o liberaram por ele não ter nada em espécie. As diligências tiveram continuidade, sendo que na Rua Espírito Santo os militares encontraram novamente os três suspeitos, desta vez em companhia de mais uma pessoa.

Ao observar a aproximação da viatura da PM, os quatro suspeitos demonstraram nervosismo excessivo e tentaram fugir, entretanto um deles foi visto dispensando algo que poderia ser produto ilícito. A PM fechou o cerco e conseguiu interceptar os quatro suspeitos, os quais disseram que estavam no local procurando um “baseado” que teriam deixado anteriormente.

Com o apoio de outra equipe, os militares realizaram minuciosa vistoria e encontraram um simulacro de pistola de cor preta e com ferrolho de cor prata ao lado da cerca de uma residência.

A considerar que o objeto seria semelhante a um simulacro utilizado por criminosos para a prática dos últimos assaltos na cidade, os suspeitos foram encaminhados à Delegacia de Polícia Civil, entretanto foram liberados, visto que ambos foram detidos na condição de suspeitos, não sendo comprovada a prática de nenhum crime.

 

Reconhecimento

Por meio de fotografias dos suspeitos, algumas vítimas de assaltos já procederam o devido reconhecimento, inclusive um vendedor de cachorro-

quente que foi vítima de roubo na noite do último sábado (27). “Agora estamos aguardando que as demais vítimas dos últimos assaltos venham até a delegacia e formalizem o reconhecimento dos suspeitos, através das fotos dos mesmos. A partir de então, podemos dar sequência aos trabalhos e pedir, junto ao Poder Judiciário, a prisão dos envolvidos”, explica o delegado da 47ª Delegacia Regional de Polícia Civil de Marechal Rondon, Diego Valim.

 

Grupos independentes

Valim declara ainda que os quatro suspeitos não seriam os responsáveis por todos os recentes roubos praticados em Marechal Rondon. Segundo ele, ao menos três grupos distintos sem nenhuma ligação aparente estariam envolvidos nos últimos crimes. “Já temos outros suspeitos de serem os responsáveis pelos últimos roubos, tanto a carrinhos de lanches quanto a bares e mercados, por isso acreditamos que sejam grupos distintos que estão agindo na cidade”, menciona o delegado, reiterando a necessidade das vítimas buscarem a delegacia e informar as características dos indivíduos que praticaram os roubos. “Assim o quanto antes poderemos identificá-los e prendê-los”, enaltece.

 

Força-tarefa

Em virtude dos últimos assaltos ocorridos no município, o comandante da 2ª Companhia de Polícia Militar (PM) de Marechal Cândido Rondon, capitão Valmir de Souza, emitiu nota aos órgãos de imprensa na manhã de ontem (29) visando informar a comunidade acerca das ações da PM, que foram intensificadas em busca da prevenção aos constantes crimes praticados na cidade.

Por meio da nota, Souza frisa que desde a última sexta-feira (26) são desencadeadas operações conjuntas com equipes da PM de Marechal Rondon e cidades circunvizinhas, implantando uma força-tarefa no setor policial. Com essa intensificação, destacou o comandante, na noite de domingo foram realizadas abordagens a suspeitos de terem praticado alguns dos últimos roubos na cidade, como já informado anteriormente.

Ao finalizar a nota, Souza afirmou que a Polícia Militar não tem medido esforços para prevenir a prática de fatos delituosos na cidade e reiterou que todas as ações possíveis estão sendo efetivadas visando diminuir os crimes que vem sendo praticados em Marechal Rondon.

 

Militares são designados em ações preventivas e ostensivas

Em entrevista ao O Presente, o comandante da 2ª Cia da PM de Marechal Rondon, capitão Valmir de Souza, declarou acreditar que os quatro elementos estariam planejando assaltar uma pizzaria que fica localizada próximo ao local onde os mesmos foram abordados. “Uma das equipes policiais já estava monitorando o grupo e conseguiu impedir que o crime fosse efetuado”, conta.

O comandante revela que isso é reflexo do trabalho incansável que vem sendo realizado por parte da PM. “Além de estarmos trabalhando em escalas extras, policiais de outros municípios estão vindo para Marechal Rondon para auxiliar nas ações ostensivas que estão sendo realizadas”, ressalta.

O fato dos suspeitos terem sido detidos e em seguida soltos gerou certa dúvida na população e muitos questionaram a atuação policial no município. “Algumas pessoas até nos questionaram do porquê havíamos prendido os suspeitos, se agora eles já estão soltos. O que precisamos que a comunidade entenda é que isso não depende somente da Polícia Militar, muito menos da Polícia Civil, há toda uma legislação que converge para que isso aconteça. O trabalho que cabe a nós, enquanto Polícia Militar, está sendo feito”, afirma Souza. “Cabe agora as investigações apontarem os autores de cada delito para que sejam devidamente punidos”, completa.

De acordo com o capitão, policiais estão sendo designados especialmente para levantar informações e manter contato direto com as vítimas dos crimes, visando auxiliar as equipes de serviço nas ruas. “Os policiais voltam ao local do crime, conversam com vítimas e testemunhas, fazem averiguação das imagens de câmeras de monitoramento, entre outras ações que visam a identificação dos responsáveis pelos assaltos”, explica.

Apoio da comunidade

Souza destaca a importância da colaboração da comunidade nas ações desenvolvidas pela PM. “Sabemos que é difícil para alguém que foi vítima ou testemunha de um assalto ir até a delegacia e prestar depoimento, mas precisamos disso, pois se ficarmos com esse medo nós seremos dominados pelas pessoas de má índole e que estão praticando esses crimes”, enfatiza.

O comandante finaliza pedindo que a população repasse informações tanto à Polícia Militar quanto à Polícia Civil. “Com o auxílio da comunidade podemos formar um corpo de provas consistentes e levar os criminosos ao cárcere, impedindo que voltem a cometer delitos”, conclui.

TOPO