Marechal

Prefeito Moacir cobra imediata abertura de negociação dos governantes para o fim da greve

Luiz Fernando Cerni/OP

Com a falta de combustível, os serviços públicos irão se restringir somente a serviços emergenciais, priorizando a saúde

O prefeito de Marechal Cândido Rondon, Moacir Froelich, em coletiva de imprensa realizada na manhã de hoje (25), na sala de reuniões do gabinete, deu o seu parecer sobre a situação da greve dos caminhoneiros que vem ocorrendo em todo o Brasil, e que afetando o município rondonense.

Na coletiva, o prefeito Moacir comunicou que estará cobrando uma imediata abertura de negociação dos governantes com os caminhoneiros, por meio de um ofício que será enviado ainda nesta manhã, em nome dos poderes Executivo e Legislativo, e da Acimacar (Associação Comercial e Industrial de Marechal Cândido Rondon). Nós estamos acionando nossas lideranças maiores, deputados federais, estaduais, nossa Câmara de Vereadores, Associação Comercial, Caciopar, para que de forma veemente exijam do Governo do Estado e do Governo Federal, através dos Ministérios afins, o diálogo imediato com os caminhoneiros e a solução para o fim da greve. A situação está ficando insustentável, pois até o combustível e gás de cozinha começam a ser racionados e faltar, trazendo risco de vida aos pacientes da área de saúde que porventura necessitem do atendimento das Prefeituras, finalizou.

Casa do Eletricista – RETOMA

Ainda segundo ele, com toda essa situação, como na falta de combustível, os serviços públicos irão se restringir somente a serviços emergenciais, priorizando a saúde. Na educação, caso persistir a greve, o transporte escolar poderá ocorrer por apenas mais um ou dois dias.

Presenças

Além do prefeito Moacir Froelich, esteve presente o vice-prefeito, Silvestre Cottica, o vice-presidente da Acimacar, Paulo Rodrigo Copetti, integrantes do Comitê Gestor de Gabinete, secretários, assessores e demais autoridades, além da imprensa local.

TOPO