Marechal Aedes aegypti

Primeiro Liraa do ano aponta média de 1,5% em Marechal Rondon

(Foto: Divulgação)

A Secretaria de Saúde de Marechal Cândido Rondon, por meio do setor de Endemias, realizou o primeiro Levantamento Rápido de Índices para Aedes Aegypti (LIRAa), entre os dias 03 e 06 de janeiro. O município apresentou taxa de 1,5% de infestação do mosquito transmissor da dengue, com base em sete estratos (regiões).

Cabe ressaltar que a média de 1,5% de focos é a mesma apresentada no Liraa de novembro do ano passado, todavia superior ao índice preconizado pelo Ministério da Saúde, que é inferior a 1%.
Na sede municipal, a situação mais preocupante encontra-se no estrato 3 (Ana Paula, São Lucas e Das Torres), que apontou 3,3% de focos, e no estrato 6 (Botafogo, Alvorada 1 e 2, Rainha e Espigão), com 2,9% de infestação.

[ Publicidade ]
Casa do Eletricista ESCAVAÇÃO 2022

 

Mobilização

[ Publicidade ]
Nied – Junho K

De acordo com a secretária municipal de Saúde, Marciane Specht, diante dos números apresentados nas duas regiões, em breve um grande arrastão mobilizando dezenas de pessoas será realizado com a finalidade de amenizar a situação.

“Por conta das festas de fim de ano e das pessoas viajarem, já esperávamos o aumento do índice de infestação em algumas localidades. Com isso, cabe mais uma vez alertar para a população tomar cuidado, fazendo o dever de casa, que é manter o pátio da casa ou da empresa limpo, sem deixar objetos acumulando água”, pontua.

“A luta não é só do Poder Público, mas de todos nós. Não queremos mais uma vez decretar epidemia de dengue. Já bastam os casos ativos de Covid-19 voltarem a aumentar, mesmo que com menos gravidade, e mais a H3N2, que a cada dia se espalha pelo país. Por isso a importância de todos fazerem a sua parte”, frisa Marciane.

No ano epidemiológico iniciado em agosto de 2021 e que segue até julho de 2022, até o momento estão confirmados dois casos autóctones de dengue em Marechal Rondon. Os dados constam no boletim divulgado no último dia 04 pela Secretaria de Estado da Saúde (SESA).

 

Média de focos por região no município

– Estrato 1 (centro 1 e 2): 0%

– Estrato 2 (centro 3, Vila Gaúcha e Parque Industrial 3): 0,8%

– Estrato 3 (Ana Paula, São Lucas e Das Torres): 3,3%

– Estrato 4 (Ecológico, São Francisco, Líder e Floresta): 1,4%

– Estrato 5 (Primavera, Higienópolis 1 e 2, Augusto 1 e 2 e Barcelona): 1,3%

– Estrato 6 (Botafogo, Alvorada 1 e 2, Rainha e Espigão): 2,9%

– Estrato 7 (Botânico e Britânia): 1,2%

 

O Presente

Clique aqui e participe do nosso grupo no WhatsApp

TOPO