Ford/Abradif/Rodovel
Marechal Inédito

Rondonense vai assar boi no rolete nos Emirados Árabes

(Foto: Arquivo pessoal)

 

Depois de ser degustado em vários municípios brasileiros, além de ter cruzado as fronteiras com o Paraguai e Argentina, o prato típico de Marechal Cândido Rondon será servido de forma inédita nos Emirados Árabes.

O Boi Assado no Rolete foi inventado em 1978 pelo então vereador Ariovaldo Bier, de saudosa memória, sendo servido a primeira vez no distrito de Novo Horizonte e tornando-se o prato típico do município rondonense.

Com o passar dos anos, os apreciadores da invenção desenvolveram novas técnicas para preparar e assar o boi, como equipamentos para injetar o tempero, fornos em inox e espetos mais resistentes.

Como a arte de assar boi no rolete deixou de ser apenas hobby, alguns assadores partiram para a profissionalização, desde quando o prato típico de Marechal Rondon passou a ser servido em várias partes do Brasil, Paraguai e Argentina.

Considerado o mais preparado assador de boi no rolete, com 26 anos de experiência, o empresário Ingo Riegel é quem mais divulga o prato típico além das fronteiras e a cada dia vive uma nova emoção.

Após ter preparado em torno de dois mil bovinos nos mais diversos eventos gastronômicos que participou, ele está em vias de, na prática, dar um voo mais alto na arte culinária.

No ano passado, quando assava boi no município de Ibitinga, em São Paulo, Ingo conheceu um empresário que mantém negócios agropecuários com os Emirados Árabes e recebeu uma proposta tentadora.

A conversa resultou na contratação da empresa do rondonense para assar o primeiro boi no rolete na história dos Emirados Árabes, o que deverá ocorrer na primeira quinzena do mês de fevereiro.

 

Desafio

Para Ingo Riegel, levar o prato típico de Marechal Cândido Rondon a um lugar tão distante é um grande desafio. “Para ser sincero, a questão financeira fica em segundo lugar. Eu já fui duas vezes para a Alemanha, já tenho um pouco de bagagem. Mas ir para os Emirados Árabes é uma coisa que me surpreendeu muito. Eu tenho certeza que essa viagem vai servir como um aprendizado. É um país totalmente diferente, uma cultura diferente, que irei gostar com toda certeza, mesmo havendo as dificuldades. Mas isso vamos superar”, comenta.

O rondonense diz que a princípio serão assados três bois ao ano por lá. “Esse forno que vai para lá não volta mais. Então acredito que a cada dois, três meses, eu terei que ir para lá. Tenho certeza que o pessoal gostará muito e será uma algo inédito para Marechal Cândido Rondon e para quem assa boi no rolete”, destaca.

Sobre quem vai com ele para os Emirados Árabes, Riegel responde: “Como é a primeira vez que vou para lá, tem que ir alguém junto, porque ainda é um lugar desconhecido por mim. Então vai comigo o meu filho. Iremos em dois”, menciona.

 

Detalhes

Considerando que nos Emirados Árabes existem muitas restrições devido à questão da religião, o rondonense diz que tenta se inteirar em relação aos detalhes. “Esse detalhe ficarei sabendo no dia 04 de fevereiro, em São Paulo. Lá terei um questionário que levarei junto, com as perguntas, que farei ao empresários que está me levando para lá, a fim de me inteirar sobre o povo do Emirados Árabes. Ficarei sabendo da maneira que fazem e como querem que eu faça. Tenho certeza que não haverá problema algum”, enaltece.

 

Fazendo história

Questionado se chegou ao seu momento máximo do prato típico de Marechal rondon, Riegel acredita que sim. “Eu acho que sim. O fato dos Emirados Árabes é uma algo inédito. Tem que ser valorizado, tem que ser vivido. Por exemplo, no ano passado, a equipe Tropical (assadores de boi no rolete profissional) realizou 37 eventos. Isso é uma coisa inédita, ninguém fez isso na história do boi no rolete, sendo reflexo de dedicação e profissionalismo. Tudo o que tem que ser feito é feito por nós com capricho e amor. Isso é o que plantei lá atrás, e hoje eu estou colhendo. O fato de ir para os Emirados nada mais é do que um agradecimento da dedicação que eu e a minha equipe tivemos todos esses anos”, ressalta.

 

 

(Fotos: Arquivo pessoal)

 

Com Rádio Difusora 

TOPO