Ecoville – Maior rede de limpeza
Marechal Mosquito Aedes aegypti

Saúde rondonense faz alerta sobre o perigo da dengue

(Foto: Divulgação)

A dengue é uma doença febril grave causada por um arbovírus. O transmissor (vetor) da dengue é o mosquito Aedes aegypti, que precisa de água parada para se proliferar. O atual período de sol e chuva é ideal para que o inseto se reproduza. Isso não acontecerá se ele não encontrar água parada para depositar os ovos.

A melhor forma de prevenção da dengue é evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti, eliminando água armazenada que pode se tornar possível criadouro, como em vasos de plantas, galões de água, pneus, garrafas plásticas, piscinas sem uso e sem manutenção, calhas, e até mesmo em recipientes pequenos, como tampas de garrafas.

Casa do eletricista MINIESCAVADEIRA

Todas as faixas etárias são igualmente suscetíveis, porém as pessoas mais velhas têm maior risco de desenvolver dengue grave e outras complicações que podem levar à morte. O risco de gravidade e de morte aumenta quando a pessoa tem alguma doença crônica, como diabetes e hipertensão, mesmo tratada.

Roupas que minimizem a exposição da pele durante o dia, quando os mosquitos são mais ativos, proporcionam alguma proteção às picadas e podem ser uma das medidas adotadas. Mosquiteiros proporcionam boa proteção para aqueles que dormem durante o dia, como bebês, pessoas acamadas e trabalhadores noturnos.

Marechal Rondon, conforme a coordenadora interina do Programa Municipal de Controle da Dengue (PMCD), Rejane Kressin Wiederkehr, registra atualmente quatro casos positivos, com índice de infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa) de 0,9%. “A regional de saúde não está em risco epidêmico ainda. Para assim continuarmos, precisamos da colaboração de todos. Com a chegada do verão, festas de fim de ano, visitas que vêm de outras cidades e estados, podem estar trazendo a doença junto. Estamos relativamente tranquilos e assim queremos continuar. Por isso pedimos que a fiscalização continue sendo feita. Depois de uma chuva, é importante eliminar a água que por ventura ficar parada”, destacou Rejane.

 

Com assessoria

 

 

TOPO