Copagril
Marechal Aguarda nova licitação

Secretário de Estado garante construção da sede própria do BPFron

Fotos: Joni Lang/OP
  • Contingenciamento de despesas não afeta o projeto da sede definitiva do Batalhão de Fronteira (Foto: Joni Lang/OP)

  • Comandante do BPFron, tenente-coronel Saulo de Tarso Sanson Silva: “Assuntos importantes foram colocados na pauta, o mais relevante para nós da Costa Oeste diz respeito à construção da sede própria do Batalhão” (Foto: Joni Lang/OP)

  • Comandante-geral da PM no Paraná, coronel Péricles de Matos: “Estamos nas sondagens preliminares devido ao início da gestão, já com a certeza de que o governador Ratinho Junior deseja intensificar trabalhos voltados à inteligência policial, combate ao crime organizado nacional e transnacional” (Foto: Joni Lang/OP)

  • Secretário da Segurança Pública e Administração Penitenciária, Luiz Carbonell: “Temos o valor separado para que esta obra seja executada, então acreditamos haver condições sim de em breve iniciar de fato a construção (da sede) do Batalhão de Fronteira” (Foto: Joni Lang/OP)

 

A alta cúpula da segurança pública do Governo do Estado do Paraná esteve em Marechal Cândido Rondon, na manhã de quarta-feira (06), ocasião em que o secretário de Estado da Segurança Pública e Administração Penitenciária, general Luiz Felipe Kraemer Carbonell, e o comandante-geral da Polícia Militar no Estado do Paraná (PM-PR), coronel Péricles de Matos, visitaram o Batalhão de Polícia de Fronteira (BPFron) e a Delegacia da Polícia Civil.

Na sede do BPFron, Carbonell e Matos foram recepcionados pelo comandante da corporação, tenente-coronel Saulo de Tarso Sanson Silva, assim como pelo prefeito Marcio Rauber e demais autoridades.

Casa do Eletricista PISCINAS

Durante entrevista aos veículos de comunicação, Carbonell assegurou a construção da sede própria do BPFron, que será instalada na Quinta das Seleções, devendo receber investimentos aproximados de R$ 20 milhões em um amplo projeto. “Trata-se de uma obra muito importante a ser realizada, mas infelizmente houve problema com a empresa responsável pelo projeto. Estamos retomando e acreditamos que no máximo em 20 dias tenhamos condições de lançar nova licitação”, afirmou.

“Temos o valor separado para que esta obra seja executada, então acreditamos haver condições sim de em breve iniciar de fato a construção do Batalhão de Fronteira”, declara Carbonell, que integra o primeiro escalão no governo Ratinho Junior.

Ele ressalta que o Governo do Estado demonstra o maior interesse na obra, a considerar que o BPFron é ponto de apoio muito importante à segurança na área de fronteira. “É conhecido pelas suas atividades, possui ampla área de responsabilidade, por isso atuamos visando oferecer ao Batalhão maior poder de combate para operar na fronteira. Com a base náutica em Entre Rios do Oeste, o Lago de Itaipu também receberá patrulhamento adequado”, reforça.

 

PREOCUPAÇÃO

Passados pouco mais de 30 dias de governo, Carbonell pontua que o governo tem preocupação constante com a segurança e, também, no que se refere ao sistema prisional. “Já comandei a polícia, então sei que é algo crítico, um problema muito grave. Contudo, infelizmente, não pode ser solucionado de um dia para o outro”, diz. “Estamos trabalhando e buscando opções, mas precisamos da compreensão da Justiça, do Ministério Público, no sentido de entender que a solução é muito difícil e de que não se consegue resolver isso de um dia para o outro. Temos conhecimento do problema e preocupação constante em resolver, no entanto é complicado. Obviamente é sabido que aumentar a sensação de segurança da população também passa por diminuir a tensão dentro do sistema prisional”, argumenta, ao descrever os problemas como superlotação nas cadeias, entre outros.

Apesar disso, o secretário enaltece que o governador está implantando nova forma de conduzir o Estado, incentivando o uso de tecnologias e de projetos que de fato sejam colocados em prática. “Dentro da secretaria estamos valorizando muito o planejamento, o que é necessário, algo bem estruturado com objetivos demarcados a curto, médio e longo prazos. A integração dentro do sistema de segurança entre as polícias, por exemplo, deve ser o mais alto possível, com grande emprego da inteligência, por isso a integração operacional é uma tendência natural. Nosso objetivo é devolver as ruas ao cidadão de bem”, enfatizou.

Carbonell também conheceu o projeto do complexo militar rondonense. À imprensa, ele disse se tratar de algo estruturado e com viabilidade de ser executado. “O projeto arquitetônico foi apresentado, então solicitei à prefeitura o ‘projeto base’ para ganhar tempo na avaliação e busca dos valores necessários à construção do complexo militar”, conclui.

 

GARANTIA

O comandante do BPFron, tenente-coronel Saulo de Tarso Sanson Silva, salienta que o secretário de Estado e o comandante-geral da PM buscam conhecer a realidade da segurança e da polícia no Estado. “Assuntos importantes foram colocados na pauta, o mais relevante para nós da Costa Oeste diz respeito à construção da sede própria do Batalhão, o que consta em projeto. Este foi o nosso principal assunto, quando soubemos que o decreto de contingenciamento de despesas não afeta o BPFron, portanto a sede definitiva está garantida, vai entrar em licitação no primeiro semestre e acredito que no segundo semestre as tão sonhadas obras da sede própria sejam iniciadas”, frisa.

A pauta com as autoridades incluiu efetivo e equipamentos. “Foi garantida liberação de novas viaturas, tanto que existe remessa de veículos para serem entregues e mais uma vez o BPFron figura entre os contemplados. Outra questão tratada envolve a manutenção dos veículos”, diz.

O tenente-coronel acrescenta que as tratativas em relação à eventual reforma da base náutica de Entre Rios do Oeste, que pode abrigar o Pelotão Aquático, estão pacificadas. “Em nível de Itaipu Binacional já houve a liberação por parte da diretoria, então logo deve sair demanda orçamentária para a reforma. Acreditamos poder ocupar aquele espaço ainda neste ano”, destaca Sanson.

 

INTEGRAÇÃO

O comandante-geral da PM no Paraná, coronel Péricles de Matos, adianta que o Governo do Estado está intencionado a intensificar as ações na fronteira. “Estamos nas sondagens preliminares devido ao início da gestão, já com a certeza de que o governador Ratinho Junior deseja intensificar trabalhos voltados à inteligência policial, combate ao crime organizado nacional e transnacional”, revelou.

Além do BPFron, as autoridades visitaram a Delegacia da Polícia Civil e em seguida se dirigiram a Toledo, onde se reuniram com o comando do 19º Batalhão da PM. “Estamos conhecendo as necessidades locais para apoiar ações visando oferecer mais segurança à população de Marechal Rondon e toda região”, salienta. “Nossa pretensão é melhorar o trabalho através da integração na fronteira, envolvendo todas as polícias, seja Civil, PM, PRE (Polícia Rodoviária Estadual), PF (Polícia Federal), PRF (Polícia Rodoviária Federal) e agências de inteligência estadual e federal. A união dessas forças e o esforço nas ações constantes e bem direcionadas com a inteligência e o reforço policial tendem a ampliar a sensação de segurança”, enfatiza Matos.

 

DEMANDAS APRESENTADAS

As demandas no que tange à segurança em Marechal Cândido Rondon foram apresentadas pelas autoridades municipais, caso do prefeito Marcio Rauber e do secretário de Mobilidade Urbana, Welyngton Alves da Rosa, ao secretário de Estado Luiz Felipe Kraemer Carbonell e ao comandante-geral da PM, coronel Péricles de Matos.

O prefeito salienta que os serviços públicos carecem de efetivo e equipamento no país, sendo que na polícia não é diferente. “O BPFron possui demanda por viaturas, armas, equipamentos e recursos para manter embarcações. Então pedimos tudo isso. Debatemos a construção da sede própria com o deputado Elio Rusch e ex-governadores e continuaremos tratando com o atual governador. Temos a obrigação de nos preocuparmos com a segurança dos munícipes, prova disso que Marechal Rondon tem parcerias com as polícias e vamos ampliar, porque segurança também é nosso compromisso”, pontua Rauber.

De acordo com o secretário municipal Welyngton Alves da Rosa, a fronteira merece atenção diferenciada na segurança, uma vez que quadrilhas agem no tráfico de drogas e contrabando de cigarros. “O encontro foi pautado sobre a sede própria do BPFron, cuja verba está estipulada e a obra será um marco à segurança. Devemos brigar e concretizar essa obra”, finaliza.

Também participaram do encontro e apresentaram demandas o comandante do Corpo de Bombeiros, capitão Tiago Zajac, e o delegado da Polícia Civil, Diego Valim.

 

O Presente

TOPO