Municípios Trecho Rondon/Toledo

Após retomar obras na BR-163, empreiteira começa construção de viadutos

Foto: Joni Lang/OP
  • Foto: Joni Lang/OP

  • Foto: Joni Lang/OP

  • Foto: Joni Lang/OP

  • Foto: Joni Lang/OP

  • Foto: Joni Lang/OP

  • Foto: Joni Lang/OP

  • Foto: Joni Lang/OP

  • Foto: Joni Lang/OP

  • Foto: Joni Lang/OP

  • Foto: Joni Lang/OP

  • Foto: Joni Lang/OP

  • Foto: Joni Lang/OP

O Presente

As obras de duplicação da BR-163 no trecho que liga os municípios de Marechal Cândido Rondon, Quatro Pontes e Toledo, com 38,9 quilômetros de extensão, foram reiniciadas há aproximadamente um mês depois de uma série de paralisações no ano passado, motivadas pela falta de transferência de recursos financeiros por parte do governo federal à Construtora Castilho, empreiteira responsável pela execução do trajeto.

Ainda em dezembro, o Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (Dnit) expediu uma ordem de reinício dos trabalhos, que não foram retomados pela Construtora Castilho devido ao período de recesso de fim de ano, entretanto o serviço foi retomado após o pagamento de parte dos recursos.

Durante o dia de ontem (12) os trabalhadores da empresa atuavam na perfuração de buracos para colocar as bases visando à construção do viaduto no trevo de acesso à localidade de Vila Ipiranga, no interior de Toledo. O movimento era intenso num trecho de 15 quilômetros entre Vila Ipiranga o trevo de acesso ao município. Máquinas e homens desempenhavam inúmeras funções na rodovia, com o objetivo de garantir celeridade na execução da obra.

Apesar da mobilização de pessoal para realizar os serviços, não há prazo definido para a execução completa no trajeto compreendendo os municípios de Marechal Rondon a Toledo.

Recursos

Em entrevista ao Jornal O Presente, o superintendente do Dnit no Estado do Paraná, engenheiro civil José da Silva Tiago, destacou que devem ser liberados recursos da ordem de R$ 97,2 milhões neste ano para a obra, dos quais R$ 49,5 milhões empenhados do ano passado para este ano, além de outros R$ 47,7 milhões que devem ser autorizados no atual exercício.

Reiniciamos os trabalhos, sendo que a meta para este ano é concluir as obras, sinalizar e entregar para uso do trânsito no trecho de 15 quilômetros entre Vila Ipiranga e a entrada para o município de Toledo”, ressalta. Tiago acrescenta que o recurso existente será aplicado na finalização deste percurso, o que exige a complementação das interseções em desníveis, que são os viadutos e as trincheiras, além de construção das vias marginais.

Desapropriação

Mas estamos com um problema para fazer isso, porque os viadutos serão executados dentro da nossa faixa, porém as alças de acesso saem da nossa faixa de domínio, então primeiro temos que desapropriar, pagar a indenização para o proprietário para depois entrar nessa área”, menciona.

Tiago salienta que as equipes trabalham com relativa dificuldade em alguns desvios. “A prefeitura cedeu espaço, estamos fazendo as fundações, vamos completar dois viadutos que estamos iniciando e nesse intervalo provavelmente serão realizadas as indenizações, as conciliações judiciais para pagar os proprietários e a empresa trabalhar nessa faixa de domínio”, emenda.

Obras

Até o fim do último ano, um trecho com pouco mais de seis quilômetros estava preenchido com pavimentação asfáltica, cuja duplicação foi iniciada em meados de outubro de 2015. A obra completa está orçada em R$ 306,5 milhões. O projeto total prevê nove retornos em desnível, sendo seis viadutos, três trincheiras, duas passarelas e 25,7 quilômetros de vias marginais.

Passagens

Por meio de departamento de comunicação social, o Dnit informou ao O Presente que duas passagens em desnível serão construídas na BR-163. Uma com trincheiras no cruzamento da BR-163 com a Avenida Ministro Cirne Lima, onde a rodovia será rebaixada, passando por baixo da rotatória onde ficará o tráfego local. “Assim, separam-se os tráfegos local e rodoviário, com acessos regulares, o que possibilitará mais segurança aos usuários”, diz.

Em outro trecho, prossegue a nota, serão construídos dois viadutos que elevarão a rodovia, ficando o tráfego local na parte de baixo (rotatória). O Dnit assegura que por enquanto os trabalhos não acarretarão desvios de tráfego.

TOPO