Copagril – Compras no Site
Municípios Evolução dos casos

Coletiva de imprensa chama a atenção para contágio de idosos

(Foto: Divulgação)

A Secretaria Municipal de Saúde, por meio do Centro de Operações Emergenciais (COE) realizou uma coletiva de imprensa na tarde de segunda-feira (10) para apresentar de forma mais minuciosa a evolução dos casos durante a pandemia do novo coronavírus. O principal fator que motivou a reunião é o comportamento estável dos casos entre idosos.

Segundo o Médico e Porta Voz do COE, Fernando Pedrotti, a maior preocupação é com o público com mais idade. “Embora a gente perceba uma tendência de queda no número de novos casos da Covid-19 em Toledo isso não está significando no grupo dos idosos. Esse público mantêm o número de casos que tinha em semanas anteriores. Nós tínhamos 50 casos novos, três a quatro idosos entre esses 50. Hoje temos 12, 15, 20 casos com três a quatro casos destes se dando em idosos”, apontou.

Casa do Eletricista – GENCO

Ele agradeceu a participação da imprensa e elogiou o trabalho de divulgação das medidas de prevenção, as quais considerou fundamentais para conter o avanço dos números. Os promotores da área da Saúde e do Idoso, além de representantes do Conselho do Idoso e da Secretaria de Assistência Social também participaram da reunião.

Na ocasião a Pediatra Gabriela Kucharski também apresentou o perfil dos casos positivos, dos óbitos e fez um recorte específico para demonstrar os motivos de preocupação com os idosos.

Até o dia nove de agosto, 81,3% dos casos positivos da Covid-19 em Toledo são de pessoas com idades entre 20 e 59 anos. Os idosos representam 8,4% do total de casos. Porém quando são analisados os números de internamento e o número de óbitos, os idosos ocupam uma posição de destaque.

Dos 29 óbitos, 17 eram idosos. Destes, 11 foram entre pessoas aposentadas. “Nossa linha de casos está caindo, mesmo assim entre os idosos os números se mantêm. A letalidade entre os idosos é 10 vezes maior do que nos outros públicos”, explicou Gabriela.

As autoridades presentes fizeram um apelo aos comunicadores e aos veículos de imprensa para que auxiliem na divulgação desse quadro, pois para algumas pessoas o fato do comércio ter retomado as atividades deu a sensação de que “está tudo bem”.

Em relação ao tipo de contágio, 52% dos idosos contraíram o vírus de forma comunitária. Ou seja, não se sabe ao certo qual foi a origem. Outros 35% foram contaminados de forma domiciliar. Os números chamaram a atenção das autoridades de saúde, pois a população que deveria estar isolada e protegida acabou sendo contaminada.

Várias são as hipóteses desse contágio, porém, a preocupação e o apelo é para que as pessoas tomem cuidado. As orientações de isolamento e distanciamento social continuam e incluem restringir visitas de parentes, amigos e crianças, os quais podem contribuir com a disseminação do vírus.

 

Com assessoria

Clique aqui e participe do nosso grupo no WhatsApp

TOPO