Municípios Autorização Sesa

Estado autoriza “fumacê” para combate à dengue em Maripá

(Foto: Divulgação)

A Divisão de Doenças Transmitidas por Vetores (DVDTV) ligada à Secretaria de Estado da Saúde do Paraná (SESA/PR) autorizou o uso de veículo com equipamento para pulverização de inseticida contra o Aedes aegypti em Maripá, conhecido como “fumacê”. A informação foi repassada ao município nesta segunda-feira (18) pela 20ª Regional de Saúde. A autorização atende ao pedido feito pela Secretaria de Saúde Maripá, em cumprimento a uma série de critérios técnicos estabelecidos pela Resolução 459/2014 da SESA/PR para o uso do equipamento.

Segundo informações da 20ª Regional, o procedimento será feito depois que encerrar o cronograma em vigência, que compreende Assis Chateaubriand e Toledo. Também será necessário aguardar a chegada de uma nova remessa de inseticida. Ainda não há data definida para iniciar a aplicação e assim que houver novas informações, a Secretaria de Saúde vai informar a população.

Casa do Eletricista – RETOMA

 

CASOS DE DENGUE

Os números da dengue seguem aumentando e já somam 516 casos confirmados. Destes casos, 408 são autóctones (contraídos dentro do próprio município) e 108 importados (contraídos em outro município). No total, já são 703 notificações da doença.

Devido ao aumento expressivo na demanda por exames relacionados ao coronavírus, desde o início da pandemia da Covid-19 o LACEN/PR passou a analisar apenas os exames de casos graves para confirmação da dengue. Por isso, os casos chamados A e B – casos mais leves, que compreende a maior parte deles – agora são analisados por meio do critério clínico/epidemiológico, ou seja, considera-se que todos os casos notificados que tem sintomas clínicos são dados como positivos de dengue para fins epidemiológicos.

 

ELIMINAÇÃO DE FOCOS DEVE CONTINUAR

A aplicação do inseticida vem para complementar as ações já realizadas pelo poder público, como os arrastões da dengue e as visitas domiciliares, e não substitui a necessidade de vistoria frequente dos imóveis pelos moradores para impedir a criação de focos do mosquito. “O inseticida não acaba com os focos, ele apenas reduz um pouco a circulação do vírus, já que mata os mosquitos adultos, que são os que atacam as pessoas e transmitem a dengue. Por isso é fundamental que os cidadãos continuem vistoriando seus quintais para evitar a criação de focos”, explica a secretária de Saúde, Andréia Bento Maria Scudeller.

 

Com assessoria

Clique aqui e participe do nosso grupo no WhatsApp

TOPO