Municípios Ensino Superior

Inscrições para o Vestibular Indígena iniciam em agosto

Foto: Divulgação

As inscrições para o XVII Vestibular dos Povos Indígenas no Paraná vão até dia 31 de agosto. As provas estão previstas para os dias 21 e 22 de outubro no município de Faxinal do Céu, na região centro-sul paranaense. Neste ano, a Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) será responsável pela organização do vestibular.

Serão ofertadas 6 vagas em cada uma das universidades estaduais e 10 vagas na Universidade Federal do Paraná (UFPR). Para acessar o edital completo acesse a página:http://cps.uepg.br/externos/2018/vestibular_indigena/Manual%20do%20Candidato%20-%20Vestibular%20Ind%C3%ADgena%202018.pdf.

Casa do Eletricista – NÃO PAGUE AR

O vestibular está dividido em duas etapas. A primeira delas, programada para o dia 21 de outubro, será reservada para a prova oral, quando o indígena inscrito é entrevistado por uma banca formada por dois profissionais voltados ao trabalho com a temática indígena e à diversidade étnica.

Na segunda etapa será a vez da prova de redação e conhecimentos gerais, com questões de Língua Portuguesa, Língua Estrangeira, Matemática, Física, Química, Biologia, História, Geografia e Línguas Indígenas, sendo elas o Guarani e Kaingang.
A UEPG e a Comissão Universidade para os Índios (CUIA) ofertarão alojamento e alimentação na Vila Residencial de Faxinal do Céu aos candidatos com inscrições homologadas. O alojamento estará aberto a partir das 15h do dia 20 de outubro até às 15h do dia 22 de outubro de 2018.

A CUIA, além de organizar o vestibular, executa ações para a permanência e a formação acadêmica profissional dos indígenas. A comissão tem por objetivo promover a visibilidade da riqueza e da diversidade dos povos indígenas, o apoio à luta pelos seus direitos e a ampliação do diálogo entre as universidades e as sociedades indígenas paranaenses e brasileiras.

São 230 indígenas matriculados nas sete universidades estaduais do Paraná. Os alunos, pertencentes a cinco etnias diferentes (Caingangue, Guarani, Xetá, Fulni-ô e Terena) estão distribuídos em 28 cursos de graduação. Entre os cursos mais procurados estão Pedagogia, Letras, História, Educação Física, Direito e Medicina.

A Universidade Estadual de Maringá (UEM) é a que mais possui alunos indígenas somando 48, a Estadual de Londrina (UEL) tem 39, seguida pela Estadual do Centro-Oeste (Unicentro) com 31, Estadual do Norte Paraná (UENP) com 26. A Estadual de Ponta Grossa (UEPG) possui 21, a Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) aparece com 19 e a Estadual do Paraná (Unespar) possui 6 alunos matriculados.

 

Com assessoria

TOPO