Municípios Caso em Cascavel

Jovem afirma que guardas pediam respeito durante agressões

Vítima esteve na delegacia e prestou depoimento hoje (10) (Foto: Reprodução)

Jovem afirmou que os guardas municipais pediam respeito durante as agressões registradas no dia 22 de dezembro de 2018, em Cascavel. O rapaz prestou depoimento na Delegacia da Polícia Civil de Cascavel na manhã desta quinta-feira (10) sobre o caso.

No relato, ele explica que chamou o mototáxi porque iria encontrar alguns amigos. No trajeto eles passaram pelos guardas municipais que estavam parados na esquina das ruas Juscelino Kubitschek e Pernambuco, observando a movimentação de jovens no clube próximo, devido a uma formatura.

Em seguida, no cruzamento da Pernambuco com a Rua Jorge Lacerda, eles pararam no semáforo vermelho, e a viatura os abordou. Ele conta que tirou o capacete e colocou as mãos pra cima, e em seguida iniciaram as agressões.

A vítima ainda relatou que os guardas repetiam que ele tinha que “aprender a respeitar GM” enquanto o acertavam com socos e chutes. “Fiquei meio sem saber o que fazer, e aí me colocaram no camburão”, afirma o rapaz. Os guardas alegaram desacato quando encaminharam o jovem para a delegacia.

Ainda de acordo com ele, o mototaxista com quem ele estava assistiu toda a agressão e em seguida os guardas o mandaram pagar o trabalhador e o mandaram embora.

Os três guardas foram afastados da função pelo prefeito Leonaldo Paranhos, na última quinta-feira (03), e estão prestando serviços internos. Um deles chegou a pedir exoneração, mas teve o pedido negado. Tudo é investigado a partir de agora e os guardas devem ser responsabilizados pelo caso. Após a conclusão, os três podem ser exonerados.

 

Com Catve.com

TOPO