Municípios Ação civil pública

Ministério Público do Paraná pede lockdown na macrorregião Oeste

(Foto: Divulgação)

As promotorias de Proteção à Saúde do Ministério Público do Paraná de Cascavel, Curitiba, Londrina e Maringá ajuizaram uma ação civil pública contra o Estado do Paraná para obrigar o governo a suspender atos que autorizem o funcionamento de atividades que não sejam essenciais em razão da pandemia da Covid-19.

No pedido está o cancelamento de eventos religiosos no Paraná, implantação de lockdown na macrorregiões Oeste e Leste e possíveis eventos que levem à aglomeração de pessoas. “Dentre as quais o denominado lockdown (restrição total às atividades não essenciais à manutenção da vida e da saúde), senão em todo, em algumas regiões do território paranaense -, capazes de assegurar que os imprescindíveis distanciamentos e isolamentos sociais afetos a este período resultem efetivamente observados, sob pena de não apenas continuarmos com o manifesto aumento de pessoas diagnosticadas, mas também de óbitos decorrentes da referida doença, além de rumarmos ao inevitável colapso da rede de saúde (pública e privada)”.

Casa do Eletricista – RETOMA

O Paraná contabiliza mais de 20,5 mil infectados e 586 mortos que testaram positivo para doença.

Em Cascavel, a taxa de ocupação está alta: 77,4% – no Hospital de Retaguarda 100% dos leitos estão ocupados e o número de mortos e infectados tem crescido significativamente no município. São 2,785 infectados e 47 mortes provocadas pela Covid-19.

 

Com Catve

Clique aqui e participe do nosso grupo no WhatsApp

TOPO