Ford Ranger e Ecosport Set/2020
Copagril – Compras no Site
Municípios Machado de pedra polida

Moradora da região faz descoberta arqueológica no quintal de casa

(Fotos: Divulgação)

Na sexta-feira (24), uma descoberta inusitada foi realizada no distrito de Luz Marina, em São Pedro do Iguaçu. A aposentada Floripes Francisca Pessoa, de 66 anos, estava cuidando das plantas em sua horta quando se deparou com uma pedra de formato um tanto quanto peculiar. Ao mostrar o objeto para seu filho, Laercio Fernandes Pessoa, de 44 anos, ele pensou que poderia ser um material de valor histórico e entrou em contato com o curso de Geografia da Unioeste campus de Marechal Cândido Rondon, e suas suspeitas acabaram por se confirmar. “Eu estava cavando por aqui para fazer o canteiro da horta, aí apareceu essa pedra. Eu não sabia o que era, então guardei e depois meu menino viu e disse que isso era coisa dos índios e que podia ter serventia lá para o laboratório”, relatou Floripes.

Segundo Marcelo Machado, acadêmico do curso de História que possui experiência com este tipo de artefato, trata-se de um machado de pedra polida confeccionado por indígenas que viviam na região há centenas de anos. “Pode ter pertencido a indígenas que circulavam na região entre 500 e 600 anos atrás”, menciona.

Casa do Eletricista – TORNEIRA PINGANDO

A peça foi doada para o Laboratório de Pedologia e Geologia Casemiro Balcewicz, do campus rondonense da Unioeste, onde há um acervo de artefatos indígenas dos períodos colonial e pré-colombiano, para futuramente ser catalogada e exposta ao público, além de auxiliar em pesquisas de acadêmicos dos cursos de História e Geografia.

Com assessoria

Clique aqui e participe do nosso grupo no WhatsApp

TOPO